Mostrando postagens com marcador Rio Tâmisa. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Rio Tâmisa. Mostrar todas as postagens

Rio Tâmisa na Inglaterra | Reino Unido

Rio Tâmisa na Inglaterra | Reino Unido 


RIO TÂMISA NA INGLATERRA (REINO UNIDO)O rio Tâmisa nasce nas colinas de Cotswold e percorre seis condados ingleses ao longo de seu curso de 338km antes de desembocar no mar do Norte, em Tilbury, logo depois de banhar Londres. Com uma bacia de 9.873km2, o Tâmisa é o rio mais caudaloso do Reino Unido. Seus principais afluentes são os rios Churn, Coln, Windrush, Evenlode, Cherwell, Ock, Thame, Kennet, Loddon, Colne, Wey e Mole.

A imagem de Londres, uma das cidades mais populosas e ricas do mundo, está indissociavelmente ligada ao rio Tâmisa, em cujas margens se engendrou a história do Reino Unido.

Por percorrer terrenos permeáveis, o Tâmisa é normalmente um rio de regime regular, embora se tenham registrado inundações danosas no baixo curso, quando chuvas prolongadas ou a brusca fusão da neve coincidiam com marés altas, afetando o centro de Londres, cidade que está praticamente no nível do mar. Para evitar o problema, construiu-se modernamente um sistema de comportas que, em caso de perigo, podem ser levantadas a fim de bloquear o curso das marés rio acima. O sistema entrou em funcionamento em 1982.

Rio Tâmisa em Londres
Rio Tâmisa em Londres
Navegável de Oxford até a foz, o Tâmisa teve a navegabilidade melhorada após sucessivas obras públicas realizadas desde o século XVIII. Diversos canais foram construídos para unir suas águas com as de outras bacias fluviais da Inglaterra. No final do século XX, o transporte de mercadorias se limitava à porção do rio que fica abaixo da Torre de Londres, enquanto a navegação turística e de lazer percorria seu médio curso, nas imediações da capital britânica.

Em meados do século XIX, as águas do Tâmisa formavam um esgoto a céu aberto, o que representava um problema de saúde pública, agravado pelo fato de o rio ser a principal fonte de água potável de Londres. A partir de 1963, as autoridades realizaram um esforço bem-sucedido para evitar a contaminação das águas. Na década de 1980, várias espécies de peixes voltaram a nadar numa corrente de água antes considerada morta.



www.klimanaturali.org
www.geografiatotal.com.br