Mostrando postagens com marcador Esportes. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Esportes. Mostrar todas as postagens

História do Futebol | Linha do Tempo


História do Futebol | Linha do Tempo


História do Futebol | Linha do TempoLinha do Tempo

1842- Em 2 de dezembro, nasce o futebolista inglês e criador da FA Cup (Copa da Inglaterra), Charles William Alcock.

1862- Nasce o Notts County, o time de futebol mais antigo que ainda disputa os principais torneios da Inglaterra.

1863- Em 26 de outubro, onze escolas e clubes fundam a Football Association.

1864- Em 09 de janeiro é disputada a primeira partida sob a égide da Football Association com 14 jogadores de cada lado, já que as regras não estabeleciam limites de jogadores.

1865- Na Argentina é fundado o Buenos Aires FC, provavelmente o primeiro clube sul-americano.

1870- É disputada, em Kennington Oval, no dia 5 de março, a partida internacional entre a Inglaterra e Escócia, que acaba em 0 a 0.

1872- Tem início o campeonato oficial mais antigo do mundo, a FA Cup da Inglaterra.

1873- Surge a Associação Escocesa de Futebol.

1885- Pela Copa da Escócia o Arboath vence o Bon Accord por sonoros 36 a 0 a maior goleada do futebol em toda história. Neste mesmo dia e pelo mesmo torneio o Dundee Harp vence o Aberdeen Rovers por 35 a 0.

1888- Em 17 de abril, 12 times fundam na Inglaterra a primeira liga de futebol da história.

1891- William Leslie Poole, professor de Literatura, com a ajuda de seu aluno, Enrique Candido Lichtenberger, funda o Albion, o primeiro clube de futebol do Uruguai.

1888- No dia da abolição da escravatura no Brasil nasce o São Paulo Athletic Club - SPAC

1895- Em Crounch End (Londres) Nettie Honeyball organizou o primeiro jogo de futebol feminino que se tem notícia entre mulheres do Norte e do Sul da Inglaterra, que atraiu cerca de 8 mil espectadores.

1895- Acontece a primeira partida de futebol no Brasil: São Paulo Railway 4 x 2 Companhia de Gás, no dia 14 de abril.

1898- Nasce o Mackenzie, o primeiro clube "genuinamente brasileiro".

1900- O futebol é disputado pela primeira vez nas Olímpiadas, realizada na França. O Upton Park conquista a medalha de ouro, porém, a Fifa não reconhece o feito do clube britãnico como oficial.

1901- Em jogo realizado no estádio de Crystal Palace, 110.820 espectadores assistem a final da Copa Inglaterra entre o Tottenham Hotspur x Sheffield United.

1901- Dois clubes estudantis argentinos, La Rosales e Santa Rosa, se fundiram para formar o CA River Plate.

1902- É disputado o campeonato paulista, primeiro campeonato oficial no Brasil.

1902- Acontece o primeiro jogo internacional "não britânico", disputado em Montevidéo: Uruguai 3 x 2 Argentina, amistoso.

1904- A FIFA é fundada no dia 21 de maio e Robert Guérin é eleito o primeiro presidente.

1905- O irlandês Patrick McCarthy funda o Boca Juniors (da Argentina), um dos clubes mais vencedores do futebol mundial.

1905- O Southampton, da Inglaterra, é o primeiro time estrangeiro a excursionar pela América do Sul.

1907- O Celtic Glasgow se torna no primeiro clube britãnico a perder uma partida na Europa continental. O jogo foi realizado em Copenhague, contra a seleção local - Celtic 1 x 2 Seleção de Copenhague.

1909- Acontece a maior goleada de que se tem notícia no futebol brasileiro. Foi em partida pelo campeonato carioca: Botafogo 24 x 0 Mangueira.

1910- Surge no Brasil, o Sport Club Corinthians Paulista, o primeiro campeão Mundial da Fifa,criado por um grupo de operários, recebendo este nome em homenagem ao Corinthian FC, time inglês que acabara de excursionar pelo Brasil.

1911- A primeira partida de futebol com numeração na camisa dos jogadores de que se tem notícia foi realizada em Sydney, na Austrália, entre as equipes locais do Sydney Leichardt x HMS Powerfull.

1914- É fundada a Federaçao Brasileira de Sports (atual CBF).

1916- É criada a Confederação Sulamericana de Futebol, mais conhecida como Conmebol.

1917- O futebol feminino se fortalece com a criação da equipe Dick Kerr´s Ladies, em Preston - Inglaterra, oriundo da empresa de engenharia de mesmo nome.

1924- O Uruguai conquista a medalah de ouro das Olímpiadas, realizada em Paris - França.

1925- O Clube Atlético Paulistano, de São Paulo, faz a primeira excursão de um clube brasileiro ao "Velho Continente".

1930- É disputada a primeira Copa do Mundo com a participação de 13 países.

1931- O futebol argentino foi o primeiro a se profissionalizar na América do Sul.

1940- Em 23 de outubro nasce Edson Arantes do Nascimento, Pelé, apontado como o maior craque da história.

1963- 177.656 torcedores lotaram o estádio de Maracanã, no Rio de Janeiro (Brasil), estabelecendo um recorde mundial para jogos entre clubes; a partida foi Flamengo x Fluminense.

2001- A Austrália vence a Samoa Americana por 31 a 0, a maior goleada entre seleções. Foi pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2002.

2002- Pelo campeonato de Madagáscar o AS Adema vence o Stade Olympique de L´Emyrne - SOE por 149 a 0. Porém o placar foi um protesto dos jogadores do SOE, que marcaram contra suas próprias redes.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org
lumepa.blogspot.com

Jogos da Amizade

Jogos da Amizade

Jogos da Amizade
Criado em 1986, os Goodwill Games, ou Jogos da Amizade, têm como propósito estimular a confraternização, através do esporte, entre nações envolvidas na Guerra Fria, principalmente Estados Unidos (EUA) e União Soviética (URSS), que vinham boicotando os Jogos Olímpicos. A primeira edição é realizada em Moscou, na antiga URSS, hoje Federação Russa. O sucesso fez com que organizadores reeditassem os jogos. Assim, em 1990, em Seattle, EUA, foi disputada a segunda edição. A partir daí, os Goodwill Games passam a entrar no calendário oficial do Comitê Olímpico Internacional (COI). Em 1994, os Jogos voltam a ser disputados na Rússia, na cidade de São Petersburgo. Quatro anos depois retorna aos EUA, na cidade de Nova York. Em 2000, os Goodwill Games são disputados no inverno, novamente em Nova York. Em 2001 é realizada a última edição, em Brisbane, Austrália. Participam 1,3 mil atletas de 68 países. A anfitriã Austrália é a grande vencedora dos Jogos, com 29 medalhas de ouro, 22 de prata e 21 de bronze. Rússia e EUA ficam na segunda e terceira colocações, respectivamente. A competição reúne atletas de 14 esportes: atletismo, basquete, boxe, ciclismo, ginástica artística, ginástica rítmica, halterofilismo, natação, salto ornamental, skate, surfe, trampolim, triatlo e vôlei de praia. O norte-americano Michael Johnson, 33 anos, quatro vezes medalha de ouro em Olimpíadas e nove vezes campeão mundial de atletismo, despede-se do esporte em Brisbane. Em sua última prova, ajuda a equipe dos EUA a conquistar o ouro no revezamento 4 x 400 m. A próxima edição dos Goodwill Games está marcada para o Canadá, na cidade de Calgary, em fevereiro de 2005. Porém, corre o risco de não ser disputada. A baixa audiência mundial e o fraco desempenho dos principais atletas são fatores determinantes para a eventual extinção do evento, que é promovido pelo grupo empresarial norte-americano AOL-Time Warner.

Resultados do Brasil – A delegação brasileira fica na 13ª- colocação da sexta edição dos Jogos da Amizade, em 2001, com três medalhas de ouro, uma de prata e outra de bronze. A atleta paulista Maurren Higa Maggi conquista a medalha de ouro na prova de salto em distância, com a marca de 6,94 m, seu novo recorde. A australiana Bronwyn Thompson fica com a prata, com 6,88 m, e a russa Tatyana Kotova leva a medalha de bronze, com 6,84m. No vôlei de praia, os brasileiros dominaram as disputas masculina e feminina. Numa final totalmente brasileira, Sandra e Tatiana ganham o ouro ao derrotar Shelda e Adriana Behar por 2 a 0. Loiola e Ricardo vencem Conde e Barracetti, da Argentina, por 2 a 0, e ficam com o ouro. A outra medalha brasileira vem com a equipe masculina de basquete, que ganha o bronze após vencer a Austrália por 94 a 93 na decisão do terceiro lugar. A equipe dos EUA ganha a medalha de ouro e a da Argentina, a de prata.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org
lumepa.blogspot.com

História dos Jogos Olímpicos


História dos Jogos Olímpicos

História dos Jogos Olímpicos

Berço dos Jogos Olímpicos da Antiguidade e da primeira edição dos Jogos Modernos, em 1896, a Grécia sedia mais uma vez uma Olimpíada, em 2004.

Organização – Atletas e dirigentes ficam sobressaltados com a organização das Olimpíadas às vésperas das competições. As principais reclamações estruturais vêm dos participantes dos esportes aquáticos, já que não houve tempo para concluir a cobertura da piscina. Pela primeira vez desde 1992, em Barcelona, as provas são disputadas a céu aberto, o que atrapalha a quebra de recordes. Os jogadores de vôlei de praia também se queixam das quadras – segundo eles, muito duras e pouco profundas, o que pode facilmentecausar lesões. No geral, entretanto, não há problemas mais graves de estrutura.

Segurança - Uma das grandes preocupações das Olimpíadas é garantir a segurança de atletas, dirigentes e espectadores. Apesar do objetivo de promover a amizade entre os povos, os Jogos Olímpicos já foram usados para manifestações políticas e chegaram a ser alvo de atentado em 1972 . O temor de ações terroristas faz com que milhares de policiais norte-americanos sejam mandados à Grécia para reforçar a segurança. Tudo vai bem até a última prova, a maratona, quando ocorre o incidente mais grave dos Jogos. Na altura do quilômetro 36, o brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima, que liderava a prova, é atacado por Cornelius Horan, um ex-padre irlandês que se diz "pregador do Evangelho". Horan é afastado de Vanderlei por espectadores, que também chegam a invadir o percurso da prova. O brasileiro prossegue na prova, mas perde rendimento, é ultrapassado duas vezes e termina com a medalha de bronze. Recebe ainda um prêmio especial do COI pelo "espírito olímpico" que demonstrou ao prosseguir a prova apesar do ocorrido.

Política e violência em campo
Na era moderna, as Olimpíadas servem de palco para manifestações políticas, apesar de seu objetivo de promover a amizade entre os povos. Nas Olimpíadas de Berlim, em 1936, o chanceler alemão Adolf Hitler recusa-se a reconhecer as vitórias do atleta norte-americano negro Jesse Owens, ganhador de quatro medalhas de ouro. Em 1968, na Cidade do México, os norte-americanos Tmmie Smith e John Carlos, medalha de ouro e de bronze nos 200 m rasos, respectivamente, sobem ao pódio para receber as medalhas descalços e com luvas negras nas mãos. Ao som do hino norte-americano, baixam a cabeça a erguem as mãos, símbolo do movimento Panteras Negras, que combatia o racismo nos Estados Unidos. Os dois são expulsos dos Jogos pela atitude.

O pior ataque – Nas Olimpíadas de Munique, em 1972, um atentado do grupo terrorista palestino Setembro Negro termina com a morte de 11 atletas de Israel. Dois são mortos durante a invasão da vila pelos palestinos e outros nove são feitos reféns. O grupo exige que o governo israelense liberte mais de 200 presos em troca da vida dos atletas, mas Israel decide não negociar. O governo alemão resolve então realizar uma operação de resgate. A ação falha e os terroristas matam todos os reféns.

Boicotes – Até o fim da Guerra Fria ocorrem vários boicotes às Olimpíadas por motivos políticos. Os Estados Unidos (EUA), por exemplo, não participam dos Jogos de Moscou, em 1980, em protesto contra a invasão do Afeganistão. Os soviéticos, por sua vez, recusam-se a disputar as Olimpíadas de Los Angeles, em 1984, alegando problemas de segurança. Apenas em Barcelona (1992) a competição volta a contar com a maioria dos países.

História dos jogos – Por volta de 2500 a.C., os gregos realizavam festivais esportivos em honra a Zeus no santuário de Olímpia – o que originou o termo olimpíada. O evento era tão importante que interrompia até as guerras. Os nomes dos vencedores das competições começam a ser registrados a partir de 776 a.C. Participavam apenas os cidadãos livres, em provas de atletismo, luta, boxe, corrida de cavalo e pentatlo (que incluía luta, corrida, salto em distância, arremesso de dardo e de disco). Os vencedores recebiam uma coroa de louros. Mais tarde, os atletas se profissionalizam e passam a receber prêmios em dinheiro. As Olimpíadas perdem prestígio com o domínio romano na Grécia, no século II a.C. Em 392, o imperador Teodósio I converte-se ao cristianismo e proíbe todas as festas pagãs, inclusive as Olimpíadas.

Era moderna – A versão moderna dos festivais esportivos gregos é realizada, pela primeira vez, em 1896, em Atenas, por iniciativa do nobre francês Pierre de Fredy (1863-1937), barão de Coubertin. Participam 285 atletas de 13 países, que disputam provas de atletismo, ciclismo, esgrima, ginástica, halterofilismo, luta livre, natação e tênis. Os vencedores são premiados com medalha de ouro e ramo de oliveira. Adota-se o termo "olimpíadas", no plural, pois na competição cada modalidade é encarada como uma olimpíada em separado.

Olimpíadas de Inverno - Também organizadas pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) a cada quatro anos, as Olimpíadas de Inverno reúnem esportes praticados sobre a neve ou o gelo. Os Jogos de Inverno eram realizados, até 1992, no mesmo ano das Olimpíadas "tradicionais". A partir de 1994, no entanto, o COI passa a alternar as datas, para não dividir a atenção dos eventos.

A patinação artística é o equivalente da ginástica, em que os atletas recebem notas por seus movimentos. A patinação de velocidade é uma corrida, com provas em circuitos longos e curtos, em que os atletas desenvolvem maior velocidade. O esqui tem quatro modalidades distintas: o alpino, que é a descida de morros com obstáculos; o salto; o estilo livre, em que os atletas fazem manobras sobre esquis numa pista, em alta velocidade; e o cross country, espécie de maratona sobre esquis. O combinado nórdico é uma prova que une os saltos com o cross country.

O curling é um jogo em que os times usam pedras que devem se aproximar de um círculo, numa dinâmica semelhante à bocha e à malha, jogos populares no Brasil. A diferença é que se joga numa pista de gelo. O hóquei sobre o gelo é uma adaptação do hóquei olímpico, disputado sobre patins. Os jogos reúnem a nata da NHL, a liga profissional dos Estados Unidos e do Canadá que tem os melhores jogadores do mundo.

No snowboard, os atletas fazem manobras em alta velocidade sobre uma prancha, numa pista de neve parecida com a do esqui estilo livre.

Paraolimpíadas
Os Jogos Paraolímpicos, também conhecidos como Paraolimpíadas, são disputados a cada quatro anos, sempre na seqüência das Olimpíadas, por atletas que apresentam tipos diversos de deficiência. Desde 1988, em Seul, são obrigatoriamente realizados na mesma cidade-sede. A competição é organizada pelo Comitê Paraolímpico Internacional.

Origem – Em 1948, o médico inglês Ludwig Guttmann organizou uma competição com veteranos da II Guerra Mundial, inspirado nas Olimpíadas de Londres. A condição para disputar a competição, em Stoke Mandeville, era ser ex-soldado que tivesse desenvolvido problemas na medula espinhal durante o conflito. Quatro anos depois, a segunda edição dos Jogos de Stoke Mandeville tem a participação de ex-soldados holandeses. Em 1960, inspirado no movimento de Guttmann, o COI acolheu em Roma, logo após as Olimpíadas, a primeira edição dos Jogos Paraolímpicos. Competições de atletismo, basquete, esgrima, tênis de mesa e arco-e-flecha provaram que a deficiência não havia eliminado a possibilidade de essas pessoas disputarem uma Olimpíada. Aos poucos, o movimento vai crescendo. Em Atenas, as Paraolimpíadas têm mais de 4 mil participantes.

Competições – As Paraolimpíadas tem modalidades no atletismo, na natação, no ciclismo e no iatismo, há provas para deficientes visuais, com paralisia cerebral, limitações na coluna e amputados. Cada prova, por sua vez, tem várias categorias, de acordo com o grau de limitação de cada atleta. O basquete é disputado apenas por pessoas que usam cadeiras de rodas, mas cada atleta recebe um índice, de acordo com sua deficiência, e o time não pode ultrapassar uma determinada pontuação com o quinteto que estiver em quadra. No vôlei não existe essa limitação, e os atletas atuam sentados em quadra. O tiro e o arco-e-flecha são disputados por paraplégicos, assim como a esgrima, em que os atletas competem sentados. A bocha é disputada por esportistas com paralisia cerebral. O futebol tem duas competições: o futebol de cinco é disputado por cegos; o futebol de sete, por atletas com paralisia cerebral. O golbol é uma adaptação do handebol praticada por deficientes visuais que competem sentados, atirando bolas no gol. O hipismo tem apenas a prova de adestramento, com atletas que apresentam variados graus de deficiência. O judô é disputado somente por cegos. O halterofilismo tem provas para cadeirantes, atletas com paralisia cerebral e amputados. O tênis tem competições somente para atletas em cadeiras de rodas, e assim como o rúgbi, é disputado por times mistos, de homens e mulheres.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org
lumepa.blogspot.com

Natação nos Jogos Olímpicos


Natação nos Jogos Olímpicos

Natação nos Jogos Olímpicos

As competições de natação são organizadas pela Federação Internacional de Natação (Fina), no mundo, e pela Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos (CBDA), no Brasil. Além das provas em Jogos Olímpicos, a principal competição do esporte é o Campeonato Mundial, realizado a cada dois anos. Outras competições de importância são a Copa do Mundo, que tem etapas durante o ano, e o Campeonato Mundial de Piscinas Curtas (25 m), a cada dois anos.

Olimpíadas - Nas Olimpíadas modernas a natação é o segundo esporte em importância, depois do atletismo, disputado desde os Jogos de 1896. Há registros egípcios sobre o nado de 2500 a.C. Gregos e romanos consideravam-no parte do treino militar. O primeiro país a adotá-lo como esporte foi o Japão. No século XIX, os ingleses definem as regras e organizam os primeiros campeonatos mundiais. A Federação Internacional de Natação (Fina) rege o esporte no mundo. No Brasil, o eleé organizado pela Confederação Brasileira de Desportes Aquáticos (CBDA).

Regras – São quatro os estilos de natação: crawl, costas, peito e borboleta. No crawl (ou livre), o peito fica submerso. Um braço é estendido enquanto o outro dá impulso dentro da água. Os pés batem para dar velocidade. No nado costas, o nadador desliza com as costas voltadas para o fundo da piscina, movimentando braços e pés como no crawl. No nado peito, o atleta contrai os braços, dentro da água, próximo das laterais do corpo, junta-os sob o peito e depois os estende a sua frente. As pernas, com os joelhos voltados para fora, são encolhidas e depois estendidas. No nado borboleta, os braços são erguidos simultaneamente para fora da água, imitando os movimentos das asas da borboleta. Quando voltam para a água, são estendidos ao mesmo tempo que o nadador mergulha a cabeça. As pernas, sempre juntas, ajudam a dar impulso.

Estilos – Realizam-se em piscinas de 25 m ou de 50 m (olímpicas), divididas em raias. Podem ser individuais ou por equipe. Nos revezamentos, disputados por equipes de quatro atletas, cada nadador completa uma parte da prova. São competições que alternam velocidade e resistência. Há também a prova de nado medley, que combina os quatro estilos. A distância percorrida é padronizada. Além do torneio olímpico e dos Jogos Pan-Americanos, disputa-se um campeonato mundial a cada quatro anos.

Os melhores resultados olímpicos do Brasil nos últimos anos são de César Cielo, medalha de ouro nos 100 m livre, em Pequim (2008); Ricardo Prado, medalha de prata nos 400 m medley, em Los Angeles (1984); de Gustavo Borges, prata nos 100 m nado livre, em Barcelona (1992), prata nos 200 m nado livre e bronze nos 100 m nado livre, em Atlanta (1996); e de Fernando Scherer, bronze nos 50 m nado livre, também nos Jogos de Atlanta.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org
lumepa.blogspot.com

Nado Sincronizado nos Jogos Olímpicos

Nado Sincronizado nos Jogos Olímpicos

Nado Sincronizado nos Jogos Olímpicos
Esporte organizado no mundo pela Federação Internacional de Natação (Fina) e no Brasil pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).

Olimpíadas – Esporte olímpico disputado somente por mulheres, em que as atletas executam uma série de exercícios físicos, acompanhados por música, dentro de uma piscina.

Origem - Sua origem é relativamente recente. Começa oficialmente como esporte de competição em 1953, no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, mas já em 1955 constava do programa dos Jogos Pan-Americanos. O nado sincronizado passa a fazer parte das Olimpíadas em 1984, em Los Angeles.

Justificar
Regras – As nadadoras apresentam-se em um quadrado de 12 m por 12 m com 3 m de profundidade, dentro de uma piscina, na qual são instalados alto-falantes subaquáticos para permitir a elas ouvir as músicas de acompanhamento. Há exercícios obrigatórios e de rotina, nos quais as atletas podem realizar movimentos livres. Cada nadadora recebe notas de 0 a 10 de um grupo de juízes em todos os exercícios. As posições básicas são: delfim (uma volta completa sob a água), flamenco (uma perna elevada sobre a água e a outra levada ao peito), grua (as pernas formam um ângulo reto e a cabeça fica sob a água), carpa (cabeça para baixo e corpo formando um ângulo de 90 graus) e perna de balé (de costas, uma perna levantada perpendicularmente à superfície.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org
lumepa.blogspot.com

Motociclismo


Motociclismo

Motociclismo

Organizado pela Federação Internacional de Motociclismo (FIM), o Mundial de motociclismo é dividido em três categorias: 500, 250 e 125 cilindradas. Na mais importante, a das 500 cilindradas, também conhecida como Moto GP.

Origem - Corrida de motocicletas, divididas em categorias de acordo com a cilindrada (cc) dos motores, a idade e o grau de experiência dos pilotos. As provas de motociclismo também se diferenciam por seus objetivos: alguns tipos privilegiam a velocidade; outros, a habilidade e a regularidade dos concorrentes. O motociclismo é regulamentado em 1905 pelo Clube Francês de Autociclos, que promove o Primeiro Troféu Internacional. A organização do esporte hoje está sob a responsabilidade da Federação Internacional de Motociclismo.

Regras - As provas de velocidade são as mais comuns e se parecem muito com as de automobilismo. As categorias são 125 cc, 250 cc e 500 cc – esta considerada a Fórmula 1 do motociclismo. As motocicletas chegam a 300 quilômetros por hora e o Campeonato Mundial é disputado em diversas corridas, como os grandes prêmios de Itália, Alemanha, França, Holanda (Países Baixos) e Bélgica. O do Brasil acontece no Autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. O Campeonato Nacional também é dividido em quatro categorias: 125 cc, 125 4T, 500 cc e 500 a 600 cc.

Motocross, trial e enduro são competições de motociclismo nas quais a velocidade nem sempre desempenha papel principal. No motocross, as provas duram no mínimo 30 minutos e ocorrem em pistas de 1 200 m a 1 800 m. O traçado possui valetas, riachos, lombadas, depressões e irregularidades. O trial é geralmente disputado em terrenos ainda mais acidentados, que exigem habilidade no equilíbrio da moto. A velocidade máxima permitida é de 15 quilômetros por hora. O enduro exige resistência e pode ser de dois tipos: de velocidade e de regularidade. O primeiro é realizado em circuitos fechados, com obstáculos; o outro, em estradas de terra, trilhas e matas. Os pilotos largam em intervalos de 30 segundos e todos recebem uma planilha com o caminho e o tempo exato para percorrer cada etapa. O objetivo é respeitar ao máximo o tempo estipulado. Ao longo do percurso há diversos locais de cronometragem, onde se confere o tempo de cada piloto até aquele ponto. Qualquer variação em relação ao tempo previsto é penalizada. Vence o enduro quem perder menos pontos ao final da prova.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org
lumepa.blogspot.com

Copa do Mundo de 1958 na Suécia


Copa do Mundo de 1958 na Suécia

Copa do Mundo de 1958 na SuéciaPoster da Copa do Mundo de 1958 na SuéciaCopa do Mundo de 1958 na SuéciaBRASIL: Gilmar, Djalma Santos, Bellini, Orlando e Nilton Santos; Zito e Didi; Garrincha, Vavá, Pelé e Zagallo.Copa do Mundo de 1958 na SuéciaBRASIL: Gilmar, Djalma Santos, Bellini, Orlando e Nilton Santos; Zito e Didi; Garrincha, Vavá, Pelé e Zagallo.

Pela primeira vez, os habitantes do país-sede, a Suécia, podem assistir aos jogos ao vivo pela TV. A Copa é disputada de 8 a 29 de junho. O Brasil é campeão pela primeira vez, sob o comando de Pelé e Garrincha, gênios que haviam começado a competição no banco de reservas. O jogo mais difícil da seleção é contra o retrancado time de País de Gales, nas quartas-de-final: 1 a 0, com gol de Pelé no segundo tempo. Nas semifinais, a forte seleção da França, famosa por seu poder ofensivo, é goleada por 5 a 2, naquela que é considerada a final antecipada. Na decisão de fato, com camisas azuis, o Brasil goleia a Suécia, também por 5 a 2. O francês Fontaine termina a competição com 13 gols, tornando-se até hoje o maior artilheiro em uma edição de Copa do Mundo.


Seleções participantes: 16

1. Alemanha Ocidental
2. Argentina
3. Áustria
4. Brasil
5. Escócia
6. França
7. Hungria
8. Inglaterra
9. Irlanda do Norte
10. Iugoslávia
11. México
12. País de Gales
13. Paraguai
14. Suécia
15. Tchecoslováquia
16. URSS

Copa do Mundo de 1958 na SuéciaDelegação Brasileira na Suécia

Os brasileiros encantaram o mundo com uma seleção de craques, cujas principais estrelas eram Pelé e Garrincha. Além deles, o Brasil contava com grandes jogadores como Gilmar, Djalma Santos, Nilton Santos, Zito, Didi, Vavá, Zagalo. Na véspera o jogo final chovia muito em Estocolmo, e os brasileiros temiam que o campo pesado prejudicasse o jogo mais técnico dos brasileiros. Porém, em uma demonstração de fair-play, os suecos haviam coberto totalmente o campo com lonas. O jogo começou com a Suécia abrindo o marcador logo aos 4 minutos, porém o Brasil não se abateu e empatou logo depois com Vavá aos 9 minutos. Vavá ainda desempataria aos 32 minutos. No segundo tempo os brasileiros sacramentaram a vitória com gols de Pelé (10 e 45 minutos) e Zagalo (13 minutos). O placar final foi de 5x2.

TABELA DA COPA

Grupo A

Irlanda do Norte 1 x 0 Tchecoslováquia
Alemanha Ocidental 3 x 1 Argentina
Argentina 3 x 1 Irlanda do Norte
Alemanha Ocidental 2 x 2 Tchecoslováquia
Argentina 1 x 6 Tchecoslováquia
Alemanha Ocidental 2 x 2 Irlanda do Norte

Irlanda do Norte 2 x 1 Tchecoslováquia (Jogo-desempate)


Grupo B

Iugoslávia 1 x 1 Escócia
França 7 x 3 Paraguai
Paraguai 3 x 2 Escócia
Iugoslávia 3 x 2 França
França 2 x 1 Escócia
Iugoslávia 3 x 3 Paraguai

Grupo C

Suécia 3 x 0 México
País de Gales 1 x 1 Hungria
País de Gales 1 x 1 México
Suécia 2 x 1 Hungria
Suécia 0 x 0 País de Gales
Hungria 4 x 0 México

Grupo D

Brasil 3 x 0 Áustria
URSS 2 x 2 Inglaterra
URSS 2 x 0 áustria
Brasil 0 x 0 Inglaterra
Inglaterra 2 x 2 Áustria
Brasil 2 x 0 URSS

URSS 1 x 0 Inglaterra (Jogo-desempate)

QUARTAS-DE-FINAL

Suécia 2 x 0 URSS
Alemanha Ocidental 1 x 0 Iugoslávia
França 4 x 0 Irlanda do Norte
Brasil 1 x 0 País de Gales

SEMIFINAIS

Brasil 5 x 2 França
Suécia 3 x 1 Alemanha Ocidental

DISPUTA DE 3º LUGAR

França 6 x 3 Alemanha Ocidental

JOGO FINAL (29 de Junho de 1958)

Brasil 5 x 2 Suécia

Estádio: Rasunda (Etocolmo)
Juiz: Maurice Guigue (França)
Público: 49.737 pessoas
Gols da suécia: Liedholm (4 -1º), Simonsson (34- 2º)
Gols do Brasil: Vavá (4 e 32 -1º), Pelé (10 e 45-2º) e Zagallo (23-2º)
BRASIL: Gilmar, Djalma Santos, Bellini, Orlando e Nilton Santos; Zito e Didi; Garrincha, Vavá, Pelé e Zagallo.
SUÉCIA: Svensson, Bergmark, Axbom, Börjesson e Gustavsson; Parling e Hamrin; Gren, Simonsson, Liedholm e Skoglund.

Artilheiro: Fontaine – 13 gols (França)

Curiosidades da Copa do Mundo 1958

Como Brasil e Suécia têm uniforme amarelo, houve sorteio para ver que jogaria com a vestimenta principal na final. A seleção brasileira tinha como chefe da delegação Paulo Machado de Carvalho, que era mestre na motivação dos jogadores, o qual atendeu o telefone para saber o resultado do sorteio. Ao receber a notícia de que o Brasil havia perdido o sorteio, Paulo Machado de Carvalho não titubeou e gritou na frente dos jogadores "era isso que eu queria, jogar de azul, vamos ganhar!".

Após a vitória do Brasil sobre a Suécia na final, o capitão Bellini recebeu a taça e as atenções de todos que queriam fotografá-la. Então, Bellini ergueu a taça do mundo sobre sua cabeça, de modo que todos a pudessem fotografar. Nascia assim o famoso gesto, que desde então vem sendo repetido pelos campeões ao logo dos anos.

A Copa da Suécia foi a primeira a ser televisionada. Mais de setenta países acompanharam o evento. Estádios e uma equipe competitiva foram construídos especialmente para a Copa da Suécia. De acordo com o revezamento a Copa de 1958 deveria ser feita na América do Sul, mas a FIFA decidiu manter na Europa mais uma Copa, sob protestos dos países sul-americanos.

53 países disputaram as eliminatórias e, pela primeira vez, seleções da Ásia e da África participaram do torneio classificatório. Nove seleções da Ásia e África disputaram uma vaga. A seleção de Israel quase se classifica para a Copa sem jogar um jogo. Turquia e Sudão se recusaram a jogar com a equipe de Israel e a Indonésia se recusou a jogar em solo israelense. Entretanto, uma regra determinava que nenhuma equipe poderia se classificar sem ter jogado nenhum jogo. Um confronto direto intercontinental com Gales (segundo do Grupo 4 da UEFA) determinaria a equipe classificada. Gales venceu os dois jogos por 2 a 0 e o sonho de uma equipe da Ásia ou da África na Copa do Mundo foi adiado.

Poucos meses antes da Copa o avião que transportava diversos jogadores do Manchester United caiu em Munique. O Manchester United era base da seleção inglesa.

Desta vez a melhor equipe venceu. E finalmente a taça do mundo é do Brasil. Destacaram-se Didi, Garrincha e sobretudo o jovem Pelé, o mais novo jogador a vencer uma Copa do Mundo com dezessete anos e oito meses quando o Brasil conquistou a Copa de 1958.

A mística camisa 10 de Pelé é fruto da desorganização. Os dirigentes não enviaram a numeração da camisa dos jogadores e coube a FIFA escolher e eternizar a camisa 10 para Pelé, reserva na ocasião.

A seleção brasileira de 1958 é considerada a melhor seleção nacional de todos os tempos por vários especialistas, superando inclusive o time canarinho de 1970. Nunca o Brasil perdeu um jogo quando estavam em campo Pelé e Garrincha. E eles, assim como Didi, Zagallo, Zito, Vavá e Djama Santos fizeram a diferença para o Brasil superar o trauma de nunca ter vencido um torneio Mundial.

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org
lumepa.blogspot.com

Arquivo