As Noites das Grandes Fogueiras | Domingos Meirelles

As Noites das Grandes Fogueiras | Domingos Meirelles

As Noites das Grandes fogueiras | Domingos Meirelles
"A situação do grosso das tropas rebeldes, no Paraná, reclama não só reforços urgentes como também uma mudança drástica de estratégia. Os rebeldes não podem mais se dar o luxo de permanecer entrincheirados há vários meses, como se encontram, gastando munição e consumindo suas escassas energias num tipo de combate que só interessa ao Governo. Ao aceitar a clássica "guerra de posição" imposta pelo Exército, eles praticamente decidiram seu destino no campo militar: a derrota é uma questão de tempo. Acuados entre a Argentina e o Paraguai, sem linhas de abastecimento, com a munição minguando, sem ter como receber reforços, a resistência das forças revolucionárias está a cada dia mais vizinha do colapso. 

Na visão de Prestes, a tática tem que ser outra: os rebeldes devem se libertar da tradicional guerra de trincheiras, adotada durante a Primeira Guerra Mundial, para estabelecer outra forma de confronto com o inimigo. Não poderiam jamais ter aceitado a chamada "guerra de posição", que só beneficia o adversário. Os ensinamentos dessa tática, que se difundira em todo o mundo após a Grande Guerra, começaram a ser repassados aos oficiais brasileiros a partir de 1920, com a chegada da Missão Militar Francesa chefiada pelo general Maurice Gustave Gamelin. O objetivo da Missão era reestruturar e modernizar o Exército, com a introdução de novas técnicas e conhecimentos, promover a renovação do armamento e reformular o ensino militar, para dotá-lo de caráter mais profissional."

www.megatimes.com.br

www.klimanaturali.org