As Múmias do Egito e da América do Sul

As Múmias do Egito e da América do Sul

As Múmias
Nos últimos anos, uma série de achados na África e na América do Sul dá forte impulso ao estudo de múmias. No Egito, a descoberta da maior coleção já vista, com 10 mil corpos, é anunciada em 1999. Localizadas num único necrotério, no oásis de Bahariya, todas são de um mesmo período, próximo da época de Cristo. A comunidade inteira parece ter sido preservada, como se um pedaço grande de sua história, entre 331 a.C. e 324, se congelasse no tempo.


A análise dos corpos pode ajudar a entender melhor a presença grega e romana no Egito, muito forte nesse período. Também será possível descobrir aspectos básicos do modo de vida dos egípcios e suas condições de saúde – naquela época eles sofriam persistentemente de anemia, e nunca se soube o porquê. Outro aspecto animador da descoberta é que as múmias não representam a aristocracia egípcia, mas diversos estratos da população, grandes proprietários, comerciantes, camponeses.

As Múmias no EgitoEsse também era o atrativo científico dos cemitérios de Saqqara, na periferia do Cairo. Abertos à investigação em 1984, eles contêm, especialmente, múmias pertencentes a camadas mais baixas da população. A diferença em relação ao oásis de Bahariya é que em Saqqara os enterros se estenderam de 2000 a.C., época de ouro dos faraós, até o tempo de Cristo. Não representam, portanto, uma comunidade inteira, estruturada, como em Bahariya. Mesmo assim é considerado um valioso tesouro arqueológico pelos pesquisadores, que estimam haver lá mais de 20 mil corpos.

América do Sul – Um achado quase tão impressionante quanto os do Egito teve lugar no subsolo de uma favela de Lima, a capital peruana, em abril de 2002. Pesquisadores peruanos e norte-americanos encontraram uma coleção de 2.200 corpos mumificados, todos da época incaica (por volta do final do século XV). Os corpos estavam todos envoltos em grandes embrulhos de algodão, que continham também pertences, jóias e alimentos para os mortos. As múmias prometem fornecer um retrato detalhado da vida cotidiana durante o Império Inca, incluindo dados sobre doenças, envelhecimento, estrutura etária e condição social.

A região andina, na qual se inclui o Peru, é particularmente fértil em múmias do período pré-colombiano, em geral bem-conservadas. Outro achado importante aconteceu no país em 1999. Em Laguna de los Condores foram encontrados 12 cemitérios, com cerca de 200 corpos no total. Supõem-se que sejam vítimas de sacrifícios humanos, comuns na religião incaica, ou membros dos chachapoyas, povos que eram vassalos do império e viviam perto das nascentes do rio Amazonas.

www.klimanaturali.org