Império Macedônico (382 a.C.-336 a.C.)

Império Macedônico (382 a.C.-336 a.C.)

Império Macedônico (382 a.C.-336 a.C.)Império Macedônico que surge em 359 a.C., com Felipe II (382 a.C.-336 a.C.), rei da Macedônia, com o declínio das cidades-estados gregas. Estende-se até 31 a.C., quando cai sob domínio romano.

Os macedônios, de ascendência grega, ocupam originalmente o norte da Grécia. Durante seu reinado, Felipe II redistribui as terras, conquistando o apoio dos camponeses, e amplia o Exército, garantindo a defesa das fronteiras. Dá início então às campanhas expansionistas, anexando as cidades de Potidéia, Anfípolis e Pidna, controladas por Atenas. Intervém na Grécia e, em 338 a.C., as forças macedônicas derrotam definitivamente os atenienses e tebanos na Batalha de Queronéia. Felipe é assassinado em 336 a.C. Seu filho, Alexandre, o Grande (356 a.C.-323 a.C.), assume o reino. Após estabelecer domínio completo sobre a Grécia, dirige-se à Ásia Menor. Liberta do domínio persa as cidades gregas da região em 333 a.C., vencendo as tropas do soberano persa Dario III (?- 330 a.C.).

Rumo ao Oriente – Após a tomada do porto fenício de Tiro, em 332 a.C., Alexandre ruma para a conquista do Egito. No ano seguinte derrota Dario, que é assassinado em 330 a.C. Com sua morte, Alexandre é proclamado imperador persa. Entre 327 a.C. e 325 a.C. dirige seus Exércitos para a Índia e acaba por formar um dos maiores Impérios territoriais até então conhecidos, compreendendo a Macedônia, a Grécia Balcânica, a Ásia Menor, a Fenícia, a Palestina, a Mesopotâmia, o Egito, a Pérsia e parte da Índia.

Império Macedônico Civilização helenística – Resulta da fusão da cultura helênica (grega) com a do Oriente Médio, principalmente a persa e a egípcia. Seu centro se desloca da Grécia e do mar Egeu para novos polos de cultura no Oriente Médio, como Alexandria, Antioquia e Pérgamo.

Para garantir a integração de seu vasto Império, Alexandre estimula casamentos mistos e funda dezenas de cidades com certa autonomia, mas ligadas ao poder central. Elas funcionam como mercados de troca econômica e cultural com o Oriente. A fusão dos povos do Oriente Médio conquistados com a cultura helênica é conhecida como helenismo. O polo irradiador dessa civilização helenística é Alexandria, fundada por Alexandre, no Egito. Além de templos grandiosos, a cidade possui uma biblioteca com 400 mil obras, o que incentiva um novo florescimento da ciência, da arte e da filosofia.

Divisão do Império – Ao morrer, Alexandre deixa como principais legados um vasto Império e a unificação do mundo grego, com a difusão de sua cultura até o Subcontinente Indiano. Mas as conquistas territoriais não avançam sem ele. Disputas até 281 a.C. dividem o Império em três grandes reinos (Macedônia, Ásia Menor e Egito). A crise político-econômica dos reinos, a ascensão de novos Impérios e a reação grega contrária à cultura helenística contribuem para o declínio desse Império a partir de 220 a.C. Entre 197 a.C. e 31 a.C., os romanos tomam Alexandria e encerram definitivamente o período macedônico.

http://www-storia.blogspot.com/