Mirtazapina (Zispin®)

Tags

Mirtazapina (Zispin®)

#Mirtazapina (Zispin®)  A Mirtazapina (comercializado sob o nome Remeron® - ou Zispin®, Avanza®, Norset®, Remergil®) é um antidepressivo tricíclico que difere dos seu grupo por aumentar a quantidade de serotonina e noradrenalina entre os neurônios. Possui eficácia semelhante aos antidepressivos: amitriptilina, clomipramina e a trazodona (o que pode ser considerado um resultado excelente).

Apesar de ser tricíclico, este antidepressivo costuma causar menos efeitos colaterais do que outros de sua classe.

A mirtazapina é um antagonista de receptores a2 (pré-sinápticos) no sistema nervoso central, que age aumentando a transmissão noradrenérgica. Também modula a função central da serotonina por interação com os receptores 5-HT 2 e 5-HT 3. Acredita-se que ambos enantiômeros da mirtazapina contribuem para atividade antidepressiva. O enantiômero S(+), bloqueando os receptores a 2 e 5-HT 2, e o anantiômero R(-), bloqueando os receptores 5-HT 3. A atividade antagonista nos receptores histaminérgicos H1 da mirtazapina é responsável por seus efeitos sedativos. A mirtazepina é geralmente bem tolerada, está praticamente desprovida de atividade anticolinérgica e nas doses terapêuticas, praticamente não tem efeitos sobre o sistema cardiovascular. A presença de sintomas tais como anedonia, inibição psicomotora, distúrbios do sono (despertar precoce) e perda de peso aumentam a possibilidade de resposta favorável ao tratamento.

Mirtazapina (Zispin®)  Mirtazapina é um novo antidepressivo, cuja molécula tem estrutura tetracíclica, não estando quimicamente relacionado a nenhuma classe de antidepressivos existente atualmente no mercado (ISRSs, IMAOs, triciclicos e biciclicos).

Os efeitos colaterais proeminentes observados com frequência no uso desse fármaco são: sedação (deve ser tomado logo antes de dormir) e aumento de peso devido a aumento pronunciado no apetite. Pacientes emaciados podem se beneficiar da mirtazapina uma vez que esta aumenta consideravelmente o apetite, sendo este efeito colateral também o responsável por não ser tão utilizado quanto os tricíclicos e ISRSs.

A maioria dos usuários reporta um sono revigorante, e em geral mais longo do que o normal, ao utilizarem a mirtazapina, o que faz deste fármaco uma boa opção em pacientes com depressão acompanhada de sono perturbado ou insônia. O efeito indutor de sono é mais eficaz na menor dose, a de 15 mg.

A mirtazapina é frequentemente utilizada em depressão severa resistente a tratamento, e/ou como antidepressivo adjuvante em casos de depressão severa.

www.klimanaturali.org