Dor, Tipos de Dores

Tags

Dor, Tipos de Dores

#Dor, Tipos de Dores

Dor é a sensação desagradável produzida pela ação de um estímulo potencialmente lesivo ao organismo. O estímulo que desencadeia dor pode ser elétrico, mecânico, térmico ou químico. A sensação dolorosa tem função protetora para o organismo, pois o sofrimento que provoca desencadeia sempre reações orgânicas, somáticas e viscerais, reflexas e voluntárias, destinadas a livrar o organismo do estímulo prejudicial.  

Grande parte dos remédios e terapias têm como objetivo a remissão ou alívio da sensação dolorosa. Para esse fim se empregam analgésicos, anestésicos e narcóticos, bem como procedimentos menos convencionais, como hipnose e acupuntura.

Via Sensorial da dor

Como toda sensação, a dor é conduzida ao cérebro por uma via formada por três neurônios, que se inicia no receptor periférico. Esse receptor pode estar situado em qualquer tecido que forma o organismo animal, exceto no próprio tecido nervoso. Assim, conforme a localização, a dor pode ser classificada em dois tipos gerais: (1) dor somática, que se verifica quando o receptor está localizado em tecidos originados da somatopleura (pele, músculos, tendões, ossos e articulações), e (2) dor visceral, que ocorre quando o receptor se localiza nos tecidos oriundos da visceropleura (vísceras, vasos sangüíneos, serosas, meninges etc.)

Tipos de dor

A dor de cabeça, ou cefaléia, acomete grande número de pessoas e pode ser causada por doenças locais, como sinusite, abscesso dentário, doenças oculares, inflamação das meninges etc., e por doenças sistêmicas ou gerais, como febre, hipertensão, nefrite e outras. A enxaqueca (migraine) é uma dor de cabeça de origem vascular, que ataca de preferência um dos lados da cabeça e é acompanhada de distúrbios visuais e digestivos.

A dor cardíaca decorre em geral de lesões no músculo cardíaco, nas artérias coronárias ou no pericárdio. A dor de angina de peito e a do enfarte do miocárdio constituem exemplos clássicos de dor referida, uma vez que podem ser sentidas no braço esquerdo, pescoço, braço direito e abdome. A dor torácica pode ser causada também por tumores, doenças pulmonares, pancreáticas e gastrintestinais.

As dores abdominais podem ter múltiplas causas

As doenças do estômago e duodeno em geral projetam dor no epigástrio (parte superior do abdome). A apendicite aguda provoca dor na fossa ilíaca direita, mas nas fases iniciais a dor pode ser referida na região umbilical ou no epigástrio. A dor que se origina no intestino delgado e grosso é do tipo cólica, como também costumam ser as dores originadas na vesícula biliar e vias biliares. A cólica renal, sentida na região lombar, irradia-se para o abdome e a face interna da coxa. Nas cólicas biliares e renais, o doente fica inquieto e se contorce; na apendicite aguda, na peritonite e na perfuração de víscera assume a atitude oposta, porque cada movimento agrava a dor.

A dor vascular surge quando se interrompe o suprimento sangüíneo aos tecidos, especialmente músculos. Nos casos de trombose ou embolia das artérias periféricas, a dor é muito acentuada. A dor associada à trombose coronária é um exemplo de dor vascular, aguda e intensa.

Diagnóstico e tratamento

Ante o doente que apresenta dor, o médico investiga as seguintes características do sintoma: (1) tipo de dor, isto é, se foi real, aguda, surda ou do tipo cólica; (2) localização da dor; (3) sua irradiação; (4) como surgiu, isto é, se foi de dia ou de noite, intermitente ou constante; (5) duração da crise; (6) que fatores a agravam ou aliviam e (7) sintomas que ocorrem em associação com a dor.

Paralelamente ao tratamento da causa, pode-se aliviar a própria dor por vários meios, que incluem repouso, aquecimento ou resfriamento do local dolorido, raios infravermelhos, massagens (sobretudo nas dores musculares) e administração de medicamentos.

www.klimanaturali.org