Perfumes e Fragrâncias

Tags

Perfumes e Fragrâncias

#Perfumes e Fragrâncias

Perfume é todo produto aromático resultante de uma complexa mistura de substâncias odoríferas, na maioria das vezes de origem vegetal, embora não sejam negligenciáveis as de origem animal e as sintéticas, estas produzidas pela indústria química. O termo é derivado do latim per fumum ("por meio da fumaça"), uma referência aos vapores aromáticos obtidos pela combustão de determinados vegetais. A indústria da perfumaria dedica-se à produção de uma grande variedade de preparados de odor agradável para uso pessoal e doméstico. Por serem comumente produzidos nos mesmos estabelecimentos industriais, são incluídos na classificação de perfumaria os cosméticos, sabonetes, sais e diversos outros artigos de higiene e embelezamento.

Perfumes e FragrânciasHistória do Perfume - Os perfumes estão presentes no cotidiano do homem desde a Pré-História. Sabe-se que o homem primitivo já utilizava madeiras e resinas para melhorar o cheiro dos alimentos. No Egito Antigo, foram desenvolvidas diversas substâncias aromatizantes de uso religioso, como incensos e óleos perfumantes. Na própria Bíblia Sagrada, há uma passagem em que Deus manda Moisés fazer um incenso perfumado.

Após a contribuição das primeiras civilizações, os gregos tiveram um papel fundamental, pois passaram a trazer perfumes de diversas partes do mundo em suas expedições para o uso medicinal. Os árabes também foram essenciais na evolução do perfume, pois foram eles os criadores do alambique, tornando possível destilar as matérias-primas. No século XII, por meio das Cruzadas, o perfume penetrou na Europa, passando a ser usado exclusivamente na higiene pessoal e nos banhos públicos. Em 1370, o primeiro perfume à base de álcool foi feito especialmente para a rainha da Hungria, Elizabeth.

A partir do século XVII, o perfume se tornou objeto de requinte na Europa, destinado unicamente à nobreza, pois somente os reis, rainhas e altos funcionários podiam o utilizar. Posteriormente, com o progresso da química, o que permitiu a reprodução artificial de cheiros encontrados na natureza, o perfume ficou mais acessível e deixou de ser um objeto das elites. Hoje em dia, o mesmo é um produto essencial até mesmo para aqueles que não são tão vaidosos, tendo se tornado um símbolo de bom gosto, autoestima e sociabilidade.

Na antiguidade, os egípcios empregavam grande quantidade de perfumes no culto aos deuses e na conservação de cadáveres. A arte da perfumaria era conhecida também dos chineses, indianos, cartagineses, árabes, gregos e romanos. Há referências na Bíblia (Gênesis e Êxodo) ao uso dos perfumes entre os judeus e à composição do perfume a ser usado no culto.

Os perfumistas, profissionais responsáveis pela obtenção de novos perfumes, mantêm na memória olfativa o registro de centenas de compostos e com a mistura destes criam fragrâncias originais. Para conquistar boa aceitação no mercado, os perfumes precisam também ter elevado grau de estabilidade, algo bastante difícil de ser alcançado, pois em geral se compõem de substâncias voláteis, que evaporam com facilidade. As substâncias que se combinam para a composição de um perfume podem ser assim classificadas: (1) óleos de flores, que se obtêm por meio de destilação com vapor d'água ou por extração com solventes; (2) óleos essenciais, em geral obtidos por destilação de raízes, folhas ou frutos; (3) extratos, que consistem em compostos químicos de origem natural, isolados dos óleos essenciais; (4) substâncias odoríferas produzidas sinteticamente; (5) compostos de origem animal; e (6) resinas.

Entre os materiais de origem vegetal mais utilizados na produção de óleos essenciais destacam-se a rosa, jasmim, gerânio, sândalo, canela, lírio, gardênia, cravo, vetiver, lavanda e cítricos em geral. As matérias-primas artificiais foram muito aprimoradas com os progressos ocorridos na indústria química e em especial na petroquímica. Já os produtos de origem animal são de importância fundamental para a fixação do aroma. Entre eles se destacam o almíscar, extraído de uma variedade de cervídeo, o âmbar, proveniente do intestino do cachalote, e o castóreo, secretado em cavidades do ventre do castor.

De maneira geral, a indústria dos perfumes apresenta seus produtos em soluções alcoólicas. Os extratos contêm de 10 a 25% de concentrado perfumado; as águas de colônia, de dois a seis por cento; e as loções após barba, de meio a dois por cento. Quanto à composição, há perfumes que contêm mais de cem ingredientes.

Utilizam-se perfumes industriais para encobrir odores desagradáveis de produtos como tintas e materiais de limpeza. Também se empregam esses perfumes para imprimir fragrâncias naturais em produtos de origem sintética, como na adição de couro a plásticos usados para estofar móveis.

www.klimanaturali.org