Urânio | Elemento Químico e Maiores Produtores do Mundo

Tags

 Urânio | Elemento Químico e Maiores Produtores do Mundo

Urânio

O potencial energético do urânio, combustível da fissão nuclear, ultrapassa as possibilidades do petróleo e de outros materiais fósseis: aproximadamente meio quilo de urânio é capaz de fornecer tanta energia quanto 1.360 toneladas de carvão.

Urânio é o elemento químico de símbolo U da série dos actinídeos, grupo IIIb da tabela periódica. É encontrado na crosta terrestre na proporção de duas partes por milhão. Alguns dos minérios de urânio mais importantes são a pechblenda, a uraninita, a carnotita, a autunita e a torbenita. De coloração branco-prateada e denso, o urânio é dúctil, maleável e capaz de alcançar alto polimento. No ar, o metal perde o brilho e inflama-se quando finalmente dividido.


Mau condutor de eletricidade, o urânio consiste de uma mistura dos isótopos U 238 (99,27%), U 235 (0,72%) e U 234 (0,006%). Com meias-vidas de respectivamente 4,5 milhões de anos, 713 milhões de anos e 247.000 anos, esses isótopos tornam possível descobrir a idade da Terra pela medição da quantidade de chumbo (produto final do decaimento do urânio) presente em algumas rochas que contêm urânio.


Descoberto em 1789 por Martin Heinrich Klaproth, que deu a ele o nome de urânio em homenagem à descoberta do planeta Urano, o metal foi isolado pela primeira vez, em 1841, por Eugène-Melchior Péligot por redução de tetracloreto de urânio (UCl4) com potássio. Em 1896, Henri Becquerel descobriu a radioatividade do urânio. O elemento tornou-se objeto de estudo intenso e de amplo interesse depois que Otto Hahn e Fritz Strassman descobriram, em 1938, o fenômeno da fissão nuclear no urânio bombardeado por nêutrons lentos. No ano seguinte, Enrico Fermi sugeriu que os nêutrons deveriam ser produtos da fissão e podiam então desencadear uma reação em cadeia, o que foi comprovado mais tarde por outros pesquisadores.


Em conseqüência dessas descobertas, produziu-se a primeira reação nuclear em cadeia auto-sustentada, em 1942; fez-se o primeiro teste de uma bomba atômica, em 1945; lançou-se a primeira bomba atômica num conflito armado, também em 1945; inventou-se o primeiro submarino movido a energia atômica, em 1955; e construiu-se a primeira usina nuclear, em 1957.

Uranium


A fissão ocorre com nêutrons lentos no relativamente raro urânio 235 (o único elemento naturalmente físsil), que deve ser extraído do abundante urânio 238 para suas diversas aplicações. O urânio 238, no entanto, após absorver nêutrons e sofrer um decaimento beta negativo, transforma-se no elemento artificial plutônio, que também é fissionável pelo bombardeamento de seu núcleo com nêutrons lentos. Isso permite que o urânio natural seja, portanto, usado em reatores conversores e regeneradores, em que a fissão é sustentada pelo raro urânio 235 e o plutônio é fabricado, ao mesmo tempo, pela transmutação do urânio 238.


Altamente eletropositivo, o urânio reage com a água e é dissolvido por ácidos, mas não por álcalis. Empregam-se alguns compostos de urânio como agentes corantes de cerâmicas. No estado gasoso, o hexafluoreto de urânio (UF6) é usado na separação dos isótopos 235 e 238 do urânio.


Veja o vídeo que mostra os maiores produtores de Urânio do Mundo de 1970 e perspectivas para 2030:

Link do Canal → https://www.youtube.com/c/CityGlobeTour

Arquivo