Youtube Channels

Mostrando postagens com marcador Geografia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Geografia. Mostrar todas as postagens

Países Com Mais Mulheres do Mundo | 1950-2070

Países Com Mais Mulheres do Mundo | 1950-2070


 Países Com Mais Mulheres do Mundo | 1950-2070

► Instagram: https://www.instagram.com/cityglobetour/

► Instagram: https://www.instagram.com/luciano_mende/

Países Populosos 2021: https://youtu.be/giStreetGK2JfE

Países populados: https://youtu.be/Mh7T98VGzbc

Países menos povoados: https://youtu.be/YgRtpNq67VA

População idosa: https://youtu.be/SteMyEBvhMM

População de idosos (%): https://youtu.be/89j_DnRb_ag

População jovem: https://youtu.be/2zy3vFQ_cHQ

População de mulheres: https://youtu.be/xbDtame4Dh8

********************************

► Instagram: https://www.instagram.com/cityglobetour/

►Facebook: https://www.facebook.com/meggapress/

►Facebook: https://www.facebook.com/www.klimaturali.org/

► Link do canal → https://www.youtube.com/c/CityGlobeTour

► Link do site → http://www.megatimes.com.br

► Link do site → http://www.klimanaturali.org

Top 20 Países Com as Maiores Florestas do Mundo | km²

Top 20 Países Com as Maiores Florestas do Mundo | km²

Maiores Florestas do Mundo | km²

Top 20 Países Com as Maiores Florestas do Mundo | km²

► Instagram: https://www.instagram.com/cityglobetour/

► Instagram: https://www.instagram.com/luciano_mende/

Florestas no mundo: https://youtu.be/DeNpEQpsskQ

Florestas no mundo: https://youtu.be/2ndSskM-tNE

Florestas: https://youtu.be/AsgMedeuFmU

*********************************

► Instagram: https://www.instagram.com/cityglobetour/

► Facebook: https://www.facebook.com/meggapress/

► Facebook: https://www.facebook.com/www.klimaturali.org/

► Link do Canal → https://www.youtube.com/c/CityGlobeTour

► Link do Site → http://www.megatimes.com.br

► Link do Site → http://www.klimanaturali.org

Países que Mais Recebem Turistas no Mundo

Países que Mais Recebem Turistas no Mundo

Turistas no Mundo
 
Top 20 Países Mais Visitados do Mundo

Os 10 países mais ricos do mundo: https://youtu.be/0RK9E2C0sSE
Os 20 países mais ricos do mundo: https://youtu.be/B1aVMXjEBrw
20 principais PIB per capita: https://youtu.be/eJoYfIcr-X0
Transporte aéreo: https://youtu.be/sXb-EwN3w1M
********************************
► Link do site → http://www.megatimes.com.br
► Link do site → http://www.klimanaturali.org

Migrantes dos Estados Unidos da América no Mundo

 Migrantes dos Estados Unidos da América no Mundo

Migrantes dos Estados Unidos da América

Migrantes dos ESTADOS UNIDOS no Mundo

► Instagram: https://www.instagram.com/cityglobetour/

► Instagram: https://www.instagram.com/luciano_mende/

Brasil: https://youtu.be/X5QSiSvXWTs

Estados Unidos: https://youtu.be/r0Oj0widyfU

França: https://youtu.be/t_DeM8QoF2o

Grécia: https://youtu.be/PkmPoDaFDzo

Filipinas: https://youtu.be/u-910zO82f0

México: https://youtu.be/CQ0NNcmwX-w

Polônia: https://youtu.be/HLd-5bwF5Ps

Síria: https://youtu.be/OGwlCabdJB8

Venezuela: https://youtu.be/wuvsaVSAbPA

********************************

► Instagram: https://www.instagram.com/cityglobetour/

►Facebook: https://www.facebook.com/www.klimaturali.org/

► Link do canal → https://www.youtube.com/c/CityGlobeTour

► Link do site → http://www.megatimes.com.br

► Link do site → http://www.klimanaturali.org

Nacionalismo | História e Evolução do Nacionalismo

Nacionalismo | História e Evolução do Nacionalismo

História e Evolução do Nacionalismo

Nacionalismo é o sentimento de íntima vinculação de um grupo humano ao núcleo nacional da coletividade a que pertence. É o princípio político que fundamenta a coesão dos estados modernos e que legitima sua reivindicação de autoridade. Traduzido para a política mundial, o conceito de nacionalismo implica a identificação do estado ou nação com o povo - ou, no mínimo, a necessidade de determinar as fronteiras do estado segundo princípios étnicos. Numa primeira etapa, o nacionalismo aspira a criar ou consolidar a independência política. Em seguida, busca a afirmação da dignidade nacional no campo internacional, para por último transformar-se em impulso que pode levar a nação a procurar ampliar seu domínio pela força.

Muitos dos grandes acontecimentos que marcaram a história contemporânea têm origem no movimento ideológico que desde seu surgimento, no século XVIII, influiu decisivamente na política, no pensamento e em outras manifestações culturais: o nacionalismo.


História do Nacionalismo. Como fator preponderante nas relações entre os estados, o nacionalismo é fenômeno recente, do fim do século XVIII. Sua presente vitalidade e o caráter universal de que se reveste induzem freqüentemente ao erro de considerá-lo fator que sempre influenciou de forma decisiva o curso da história. Na verdade, o estado nacional não existiu durante a maior parte da história da civilização, e nem mesmo, ao surgir, foi visto como a forma ideal de organização política. A lealdade do indivíduo se prendia à cidade-estado, ao feudo e a seu senhor, às dinastias reais, às seitas e grupos religiosos.


O nacionalismo surgiu como força predominante na Europa e na América com a revolução francesa e a independência dos Estados Unidos, e a seguir com os movimentos de emancipação na América Latina. Voltou a se fazer sentir na Europa com a agitação revolucionária de 1848 e as campanhas de unificação da Alemanha e da Itália, para atingir, no século XX, terras da África e da Ásia. Desde então, tem tido influência determinante nas relações internacionais.


Segundo as teorias nacionalistas, a preservação do caráter nacional e o aperfeiçoamento de sua capacidade criativa constituem a suprema finalidade da nação, que, para tanto, deve organizar-se em forma de estado. A nação precisa do poder do estado para sua segurança e desenvolvimento, e o estado requer a comunidade nacional para manter e expandir seu poderio. O caráter nacional aparece, assim, como espírito, e a organização estatal como corpo da comunidade nacional. O sentimento de afinidade, de participação numa cultura comum, de um destino único, que forma a essência do sentido nacional, converte-se, com o nacionalismo, no culto à nação, que deve ser objeto da devoção mais absoluta.


As limitações que o consenso moral impõe à luta pelo poder na cena internacional são hoje, por motivos nacionalistas, menos sensíveis que em qualquer outro momento da história da civilização moderna. A sociedade internacional dos séculos XVII  e XVIII foi substituída por um número de entidades nacionais isoladas, com alto grau de integração social. Essas entidades têm sua própria moral, à qual nenhuma outra se sobrepõe. Para elas é exigido o reconhecimento universal por meio do princípio da soberania absoluta. A função do direito internacional  não é a de restringir as aspirações nacionais, mas, ao contrário, de proteger a soberania e assegurar-lhes a legalidade.


Formas e fases do Nacionalismo. O nacionalismo tradicional buscava a libertação do país do domínio estrangeiro para proporcionar-lhe vida política autônoma. A formação nacional era a meta suprema, além da qual outras nações existiam com direitos idênticos e aceitos como justos. Essa atitude corresponde à primeira fase do comportamento nacionalista. A partir desse ponto e começando pela afirmação da dignidade nacional no campo externo, o nacionalismo assume caráter de missão universal, cujo objetivo final atinge os confins do mundo político. Essa é a forma de nacionalismo da segunda metade do século XX.


Nos conflitos do século XIX, a nação se insurgia contra o domínio estrangeiro. Exemplificam essa posição os levantes dos países latino-americanos contra a Espanha e Portugal, das nações balcânicas contra a Turquia, dos estados de predominância eslava da bacia do Danúbio contra o império austro-húngaro. Outra causa de atrito, na época, era a luta pela delimitação das respectivas esferas de domínio nacional. Nesse caso se situam os litígios entre alemães, de um lado, e de franceses e poloneses de outro.


Depois da primeira guerra mundial, terminado o período de formação de estados-nações, era de presumir que a vida internacional encontrasse nos princípios da autodeterminação os meios de assegurar sua preservação. O nacionalismo em sua última fase de desenvolvimento reclama, porém, para as nações o direito de impor seus valores e padrões de vida a outras nações.


Evolução do Nacionalismo. A primeira manifestação do nacionalismo pode ser situada na Grã-Bretanha, com a revolução puritana. O povo inglês considerou-se portador de uma missão histórica. A nova mensagem, misto de humanismo e reformismo, vinha dominada por amplo sentido de liberdade e impregnada de espírito religioso. Esses dois elementos, transmitidos a outros povos, atuaram decisivamente sobre os movimentos nacionalistas dos Estados Unidos e da França.


Considerados a vanguarda da humanidade, os Estados Unidos lideravam a marcha para um mundo mais livre e mais justo. O nacionalismo da revolução francesa conservava certas características comuns com o americano e acentuava o aspecto racional do comportamento humano. A Declaração dos Direitos do Homem era considerada válida não só para o povo francês, mas para todos os povos. Criou-se uma consciência nacional e, pela primeira vez, grande parcela da população participou do traçado e da execução da política externa.


O veículo difusor das idéias nacionalistas francesas foi o serviço militar universal. O exército genuinamente nacional, imbuído de motivação ideológica, tinha capacidade de combate superior às antigas formações mercenárias ou às integradas por indivíduos indiferentes aos objetivos das campanhas de que participavam. Os exércitos napoleônicos espalharam, assim, o nacionalismo pela Europa. O espírito de conquista que os conduzia fez, porém, voltar-se contra a França a força das idéias que originara e difundira. A onda revolucionária de 1848 trouxe com ela o triunfo da concepção do estado-nação liberal, simbolizado pela unificação da Itália e da Alemanha, e que se fez sentir na Espanha e na Rússia.


Bismarck, porém, imprimiu caráter autoritário ao nacionalismo germânico, e a anexação da Alsácia-Lorena, contra o desejo de suas populações, desvirtuou os princípios liberais do nacionalismo. Na segunda metade do século XIX, as idéias nacionalistas desintegraram os impérios multinacionais, representados pela monarquia dos Habsburgos e pelos sultões otomanos. Vários tratados de delimitação de fronteiras assinados em 1919 e 1920 apenas transferiram para a Romênia e para o novo Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos muitos dos problemas de nacionalidade que atormentavam o império otomano e o dos Habsburgos.


Na década de 1930, o nazismo, na Alemanha, e o fascismo, na Itália, resultaram de uma intensificação do espírito nacionalista autoritário, enquanto a vitória da revolução soviética de 1917 significou a predominância do comunismo internacional sobre o nacionalismo russo.


Em consequência da segunda guerra mundial, os estados-nações então existentes no leste europeu passaram a integrar o bloco comunista de nações. Os sentimentos nacionalistas, porém, continuaram vivos, e depois de numerosas rebeliões - como a ocorrida na Tchecoslováquia em 1968 - e principalmente após a dissolução da União Soviética, em dezembro de 1991, redundaram na independência dos países bálticos (Letônia, Lituânia e Estônia) e no desmembramento da Tchecoslováquia.


Na Iugoslávia, esses fatos reacenderam o sentimento nacionalista. No período 1991-1992, a Croácia, a Eslovênia, a Macedônia e a Bósnia e Herzegovina declararam-se independentes, enquanto Montenegro e Sérvia proclamavam a República Federal Iugoslava. Mesmo em repúblicas autônomas encravadas em estados que antes formavam a União Soviética, como a Tchetchênia (na Federação Russa) e a Abcázia (na Geórgia), anseios nacionalistas se manifestavam, às vezes com violência.


Na África e na Ásia, o sentimento nacionalista latente, que acabou por se impor, já forçava a descolonização desde o início da década de 1940. Mas assim como ocorrera com seus antecessores europeus, muitos dos novos estados entraram em conflito no processo de encontrar o justo limite para seus domínios. Os exemplos mais significativos são a luta entre árabes e judeus, ambos movidos por forte espírito nacionalista, e a disputa entre Índia e Paquistão pela posse dos territórios de Jammu e Cachemir. No Sri Lanka (ex-Ceilão), a guerra da minoria tâmil, iniciada em 1983, para criar um estado próprio no norte e nordeste do país ainda não havia terminado em meados da década de 1990.

Nacionalismo  no Brasil

Nacionalismo no Brasil. O sentimento nacionalista no Brasil confundiu-se, na primeira metade do século XX, com a aspiração de desenvolvimento econômico e evolução política que teve origem no tenentismo da década de 1920 e na revolução de 1930. Depois da segunda guerra mundial, acentuou-se a característica essencial do nacionalismo brasileiro contemporâneo: a independência econômica, isto é, a transferência dos comandos da economia nacional e do destino econômico do país para mãos nacionais. Essa aspiração se traduziu numa política cujos fundamentos básicos foram a industrialização e o avanço tecnológico; a interferência do estado no domínio econômico, com o objetivo de dirigir as medidas promocionais do desenvolvimento; e a participação direta do estado no processo de industrialização mediante iniciativas pioneiras. Os dois grandes momentos de afirmação do nacionalismo econômico foram a construção da usina siderúrgica de Volta Redonda, na década de 1940, e a campanha nacional pelo monopólio estatal da prospecção, lavra e refino do petróleo na década de 1950, que levou à criação da Petrobrás.

A industrialização brasileira teve como fundamento a política de substituição de importações, com o incentivo estatal à produção no país dos bens essenciais de consumo por empresas nacionais ou multinacionais. Esse modelo, que se intensificou a partir da vitória do movimento militar de 1964, teve diversas conseqüências: a reserva do mercado interno contribuiu de forma decisiva para o crescimento quantitativo, a ampliação da área de atuação e a sofisticação da atividade industrial; ao mesmo tempo, impediu a concorrência necessária ao aprimoramento do produto final, dirigido a um público consumidor sem parâmetros de comparação qualitativa. Finalmente, cresceu de forma incontrolável o papel do estado na economia, com a intervenção estatal se afirmando nos setores mais diversificados, desde o financiamento direto aos produtores por meio de agentes bancários e não bancários até a produção de bens em que a presença do estado seria totalmente desnecessária. A partir da recessão mundial da década de 1980, intensificou-se no país a discussão sobre a adequação do modelo econômico dirigido pelo estado e as reais finalidades da atividade estatal para o bem-estar da população.


Top 20 Países Com as Maiores Florestas do Mundo | km²

Países Com Maior População de Jovens do Mundo

Países Com Maior População de Jovens do Mundo

População de Jovens do Mundo
Paises Populosos 2021: https://youtu.be/giRuaGK2JfE
Países Menos Povoados: https://youtu.be/YgRtpNq67VA
População de Idosos: https://youtu.be/SteMyEBvhMM
População de Idosos (%): https://youtu.be/89j_DnRb_ag
População Jovem: https://youtu.be/2zy3vFQ_cHQ
População Mundial de 1800 a 2100: https://youtu.be/lVmMJahGjI0
População do Mundo: 1800-2100: https://youtu.be/iHMRPWmtyYk
População Rural: https://youtu.be/ON4GWYze68k
População Urbana: https://youtu.be/h-4W_j-57g0
Taxa de Fecundidade: https://youtu.be/YeUOwzBpslQ
 

Países Com a Maior População Urbana do Mundo

Países Com a Maior População Urbana do Mundo

População Urbana

 Países Com a Maior População Urbana do Mundo


Países Populosos 2021: https://youtu.be/giStreetGK2JfE
Países populados: https://youtu.be/Mh7T98VGzbc
Países menos povoados: https://youtu.be/YgRtpNq67VA
População mundial de 1800 a 2100: https://youtu.be/lVmMJahGjI0
População mundial: 1800-2100: https://youtu.be/iHMRPWmtyYk
População rural: https://youtu.be/ON4GWYze68k
População urbana: https://youtu.be/h-4W_j-57g0
********************************
► Link do site → http://www.megatimes.com.br
► Link do site → http://www.klimanaturali.org

Países Com Mais Vegetarianos do Mundo

Países Com Mais Vegetarianos do Mundo

Vegetarianos do Mundo

Países Com Mais Vegetarianos do Mundo

► Instagram: https://www.instagram.com/cityglobetour/
► Instagram: https://www.instagram.com/luciano_mende/


Top Countries Number Vegetarians in the World

0:00 - Divida Externa no Mundo: https://youtu.be/un6PWUETXr0
1:30 - Maiores Empresas por Receita: https://youtu.be/o1uKSSR9roA
2:00 - Países Pobres - PPC: https://youtu.be/5Mj9sTjARNQ 
2:20 - Países Ricos: PPP: https://youtu.be/h7jK24YBOWk 
2:40 - Países Ricos PPP Per Capita: https://youtu.be/2hbpa1GcifA 
3:00 - Países América: PPP: https://youtu.be/5cLMka-hV3s 
3:30 - Taxa de Crescimento do PIB: https://youtu.be/R2CSokXyLoY
4:00 - Total Reservas: https://youtu.be/PuUdSC3l4lw 
4:15 - Vegetarianos: https://youtu.be/RRxfb_87Y_Y 

 
►Facebook: ttps://www.facebook.com/www.klimaturali.org/ 
► Link do Site → http://www.megatimes.com.br
 
► Link do Site → http://www.klimanaturali.org

Países Mais Populosos do Mundo | 1800-2100

Países Mais Populosos do Mundo | 1800-2100

Países Mais Populosos do Mundo
Violência no Mundo: https://youtu.be/ir9u4us-t3k

Países Mais Populosos do Mundo | 1800-2100 ► Instagram: https://www.instagram.com/cityglobetour/
► Instagram: https://www.instagram.com/luciano_mende/
Most Populous Countries in the World Países Populosos 2021: https://youtu.be/giRuaGK2JfE População Mundial de 1800 a 2100: https://youtu.be/lVmMJahGjI0 População do Mundo: 1800-2100: https://youtu.be/iHMRPWmtyYk #CityGlobeTour ********************************* ► Instagram: https://www.instagram.com/cityglobetour/
►Facebook: https://www.facebook.com/meggapress/
►Facebook: ttps://www.facebook.com/www.klimaturali.org/ ► Link do Canal → https://www.youtube.com/c/CityGlobeTour ► Link do Site → http://www.megatimes.com.br
► Link do Site → http://www.klimanaturali.org

Os Maiores Produtores de Tomates do Mundo

Estados Unidos vs China vs Japão | Evolução do PIB Nominal

 Estados Unidos vs China vs Japão | Evolução do PIB Nominal

Estados Unidos vs China vs Japão
Top 10 Países Mais Ricos do Mundo: https://youtu.be/0RK9E2C0sSE
Top 20 Países Mais Ricos do Mundo: https://youtu.be/B1aVMXjEBrw
Top 20 PIB Per Capita: https://youtu.be/eJoYfIcr-X0

Lightning | Raios

Amazonita | Mineral

Amazonita | Mineral

Amazonita | Mineral
A amazonita, também conhecida como Amazonstone, é um mineral tectossilicato verde, uma variedade do feldspato de potássio chamado microclina. Sua fórmula química é (KAlSi3O8), que é polimórfica à ortoclase.

Seu nome é retirado do rio Amazonas, do qual foram obtidas pedras verdes anteriormente, embora não se saiba se essas pedras eram amazonitas. Embora tenha sido usado para [esclarecimentos necessários por mais de dois mil anos, como atestado por achados arqueológicos no Egito e na Mesopotâmia, nenhuma autoridade antiga ou medieval menciona isso. Foi descrito pela primeira vez como um mineral distinto apenas no século XVIII.

As variedades verde e azul esverdeado de feldspato de potássio que são predominantemente triclínicos são designadas como amazonita. Foi descrito como uma "bela variedade cristalizada de um verde-verdete brilhante" e como possuindo uma "cor verde viva". É ocasionalmente cortado e usado como uma pedra preciosa.

Por muitos anos, a fonte da cor da amazonita foi um mistério. Algumas pessoas assumiram que a cor era devido ao cobre, porque os compostos de cobre geralmente têm cores azul e verde. Um estudo de 1985 sugere que a cor azul esverdeado resulta de quantidades de chumbo e água no feldspato. Os estudos teóricos subsequentes de 1998 de A. Julg expandem o papel potencial do chumbo aliovalente na cor da microclina.

Outros estudos sugerem que as cores estão associadas ao aumento do teor de chumbo, rubídio e tálio, variando em quantidades entre 0,00X e 0,0X nos feldspatos, com até níveis extremamente altos de PbO, monóxido de chumbo (1% ou mais) conhecidos em a literatura. Um estudo recente de 2010 também implicou o papel do ferro divalente na coloração verde. Esses estudos e hipóteses associadas indicam a natureza complexa da cor na amazonita, ou seja, o efeito agregado de vários fatores mutuamente inclusivos e necessários.

Amazonita | Mineral
Amazonita | Mineral
Amazonita | Mineral
Amazonita | Mineral

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org
lumepa.blogspot.com

El Niño | Climatologia

El Niño | Climatologia

El Niño | Climatologia
Fenômeno da inversão das correntes do Pacífico Equatorial e que pode ser verificado na época próxima ao Natal. Esse fenômeno provoca em vários países graves conseqüências climáticas, como períodos severos de seca, trombas-d`água no Pacífico, ciclones e tornados e chuvas violentas. Nas condições normais, os ventos sopram do leste ao oeste no Pacífico Equatorial. Em outras condições, ligadas a uma alta considerável da temperatura das águas do Pacífico, as correntes de ventos se invertem, afetando o clima mundial. El Niño em espanhol significa ¨O Menino¨, em referência ao Menino Jesus. (2) Fenômeno oceanográfico e atmosférico, altamente complexo, caracterizado por uma corrente quente marítima deslocando-se do Equador para os trópicos, que inverte, ou pelo menos impede, a circulação normal das águas quentes do Oceano Pacífico, a qual se dá da costa ocidental da América do Sul para a costa oriental da Austrália e Ásia. As causas objetivas deste fenômeno ainda são em grande parte desconhecidas, embora estudos minunciosos estejam em andamento em várias partes do mundo. O deslocamento normal (leste-oeste) das águas do Pacífico provoca uma grande ressurgência nas costas do Chile e Peru, o que por sua vez ocasiona o clima seco normalmente presente nessa área, e proporciona uma intensa reprodução de peixes. Periodicamente, com um intervalo variando de dois a sete anos, o El Niño ocorre no início do verão do hemisfério sul, daí seu nome " o menino" , originário de uma homenagem dos pescadores ao menino Jesus. Dura em média um ano e causa efeitos tão fortes nas condições do tempo em várias partes do planeta, que é considerado pelos meteorologistas o segundo fenômeno atmosférico-climático mais importante da Terra, atrás apenas da mudança das estações. Sua intensidade e período são muito variáveis e de difícil previsão, mas como modernas técnicas de sensoriamento remoto e os satélites, já é possível prever e prevenir minimamente seus efeitos. Estes vão de calor excessivo no norte dos EUA, seca intensa no nordeste brasileiro, chuvas fortes no sul do Brasil, ausência de peixes nas costas do Peru e Chile, secas na Austrália e uma série de outros efeitos significativos pelo mundo todo. No outono de 1997, foi detectado um El Niño iniciando-se excepcionalmente tarde, mas que provocou intensas chuvas nas costas do Chile e Peru, e um inverno excepcionalmente quente e seco no sudeste brasileiro. (3) Corrente de Água morna que flui preriodicamente no Oceano Pacífico, ao longo da costa oeste da América do Sul, provocando alterações no regime de ventos e de chuvas de várias partes do planeta. (4) Corrente oceânica quente, originária da corrente quente equatorial que, em cada sete de um período de quarentas anos, temporariamente desloca a corrente de Humboldt da costa peruana, ocorrendo quando os ventos de sudeste do oceano Pacífico perdem sua força; provoca, entre outros fenômenos, bruscas alterações climáticas no continente (como as violentas chuvas e conseqüentes inundações no Brasil). Tem esse nome por sempre ocorrer próximo ao fim do ano. O El Niño, no caso, é o Menino Jesus (Glossário LIbreria, 2003).

www.megatimes.com.br
www.klimanaturali.org

lumepa.blogspot.com

Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre

Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre

Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre

Cobre (Cu), elemento químico, um metal avermelhado e extremamente dúctil do Grupo 11 (Ib) da tabela periódica, que é excepcionalmente bom condutor de eletricidade e calor. O cobre é encontrado no estado metálico livre da natureza. Este cobre nativo foi usado pela primeira vez (cerca de 8000 aC) como substituto da pedra por humanos neolíticos (Nova Idade da Pedra). A metalurgia amanheceu na Mesopotâmia quando o cobre foi moldado para moldar em moldes (c. 4000 aC), foi reduzido a metal a partir de minérios com fogo e carvão e foi intencionalmente ligado com estanho como bronze (c. 3500 aC). O suprimento romano de cobre veio quase inteiramente de Chipre. Era conhecido como aes Cyprium, “metal de Chipre”, abreviado para cyprium e posteriormente corrompido para cuprum. Veja também bronze.

Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre

Ocorrência, usos e propriedades
O cobre nativo é encontrado em muitos locais como mineral primário em lavas basálticas e também reduzido a partir de compostos de cobre, como sulfetos, arsenetos, cloretos e carbonatos. (Para propriedades mineralógicas do cobre, consulte a tabela de elementos nativos.) O cobre ocorre combinado em muitos minerais, como calcocita, calcopirita, bornita, cuprita, malaquita e azurita. Está presente nas cinzas das algas marinhas, em muitos corais marinhos, no fígado humano e em muitos moluscos e artrópodes. O cobre desempenha o mesmo papel do transporte de oxigênio na hemocianina de moluscos e crustáceos de sangue azul que o ferro na hemoglobina de animais de sangue vermelho. O cobre presente nos seres humanos como oligoelemento ajuda a catalisar a formação de hemoglobina. Um depósito de cobre de pórfiro na Cordilheira dos Andes, no Chile, é o maior depósito conhecido do mineral. No início do século XXI, o Chile havia se tornado o principal produtor mundial de cobre. Outros grandes produtores incluem Peru, China e Estados Unidos.

Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre

O cobre é produzido comercialmente principalmente por fundição ou lixiviação, geralmente seguido por eletrodeposição de soluções de sulfato. Para um tratamento detalhado da produção de cobre, consulte Processamento de cobre. A maior parte do cobre produzido no mundo é usada pelas indústrias elétricas; a maior parte do restante é combinada com outros metais para formar ligas. (Também é tecnologicamente importante como revestimento galvanizado.) Séries importantes de ligas nas quais o cobre é o principal constituinte são metais (cobre e zinco), bronzes (cobre e estanho) e pratas de níquel (cobre, zinco e níquel, não prata). Existem muitas ligas úteis de cobre e níquel, incluindo a Monel; os dois metais são completamente miscíveis. O cobre também forma uma série importante de ligas com alumínio, chamadas bronzes de alumínio. O cobre-berílio (2% de Be) é uma liga de cobre incomum, pois pode ser endurecido por tratamento térmico. O cobre faz parte de muitos metais de cunhagem. Muito tempo após a Idade do Bronze ter passado para a Idade do Ferro, o cobre permaneceu o segundo metal em uso e importância para o ferro. Na década de 1960, no entanto, o alumínio mais barato e muito mais abundante passou para o segundo lugar na produção mundial.

O cobre é um dos metais mais dúcteis, não especialmente fortes ou duros. A resistência e a dureza são sensivelmente aumentadas pelo trabalho a frio devido à formação de cristais alongados da mesma estrutura cúbica centrada na face que está presente no cobre recozido mais macio. Gases comuns, como oxigênio, nitrogênio, dióxido de carbono e dióxido de enxofre, são solúveis em cobre fundido e afetam bastante as propriedades mecânicas e elétricas do metal solidificado. O metal puro perde apenas para a prata em condutividade térmica e elétrica. O cobre natural é uma mistura de dois isótopos estáveis: cobre-63 (69,15%) e cobre-65 (30,85%).

Como o cobre fica abaixo do hidrogênio na série eletromotriz, ele não é solúvel em ácidos com a evolução do hidrogênio, embora reaja com ácidos oxidantes, como o ácido sulfúrico nítrico e quente, concentrado. O cobre resiste à ação da atmosfera e da água do mar. A exposição por longos períodos ao ar, no entanto, resulta na formação de um fino revestimento protetor verde (pátina) que é uma mistura de hidroxocarbonato, hidroxossulfato e pequenas quantidades de outros compostos. O cobre é um metal moderadamente nobre, não sendo afetado por ácidos diluídos não-oxidantes ou não-complexos na ausência de ar. Contudo, dissolverá-se rapidamente em ácido nítrico e em ácido sulfúrico na presença de oxigênio. Também é solúvel em amônia aquosa ou cianeto de potássio na presença de oxigênio devido à formação de complexos ciano muito estáveis ​​após a dissolução. O metal reagirá no calor vermelho com oxigênio para fornecer óxido cúprico, CuO e, a temperaturas mais altas, óxido cuproso, Cu2O. Ele reage ao aquecimento com enxofre para dar Cu2S ao sulfeto cuproso.

Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre

Produção e reservas de cobre
País produção em 2016 (toneladas) * % da produção mundial  Reservas2016 (tons)* % das Reservas Mundiais
*Estimada
** Por causa do arredondamento, os detalhes não somam o total fornecido.
Fonte: U.S. Department of the Interior, Mineral Commodity Summaries 2017.
Chile 5,500,000 28.4 210,000,000 29.2
Peru 2,300,000 11.9 81,000,000 11.3
China 1,740,000 9.0 28,000,000 3.9
Estados Unidos 1,410,000 7.3 35,000,000 4.9
Australia 970 5.0 89,000,000 12.4
Congo (Kinshasa) 910 4.7 20,000,000 2.8
Zambia 740 3.8 20,000,000 7.4
Canada 720 3.7 11,000,000 1.5
Russia 710 3.7 30,000,000 4.2
Mexico 620 3.2 46,000,000 6.4
Outros Países 3,800,000 19.6 150,000,000 20.8
Total mundial 19,400,000** 100** 720,000,000 100**

Principais Compostos
O cobre forma compostos nos estados de oxidação +1 e +2 em sua química normal, embora em circunstâncias especiais alguns compostos de cobre trivalente possam ser preparados. Foi demonstrado que o cobre trivalente sobrevive não mais que alguns segundos em uma solução aquosa.

Os compostos de cobre (I) (cuproso) são todos diamagnéticos e, com poucas exceções, incolores. Entre os importantes compostos industriais de cobre (I) estão óxido cuproso (Cu2O), cloreto cuproso (Cu2Cl2) e sulfeto cuproso (Cu2S). O óxido cuproso é um pó ou cristal vermelho ou marrom avermelhado que ocorre na natureza como o mineral cuprita. É produzido em larga escala pela redução de minérios de óxido de cobre misturados com metal de cobre ou por eletrólise de uma solução aquosa de cloreto de sódio usando eletrodos de cobre. O composto puro é insolúvel em água, mas solúvel em ácido clorídrico ou amônia. O óxido cuproso é usado principalmente como pigmento vermelho para tintas antiincrustantes, vidros, esmaltes de porcelana e cerâmica e como fungicida de sementes ou culturas.

O cloreto cuproso é um sólido esbranquiçado a acinzentado que ocorre como o nantoquita mineral. Geralmente é preparado por redução de cloreto de cobre (II) com cobre metálico. O composto puro é estável ao ar seco. O ar úmido o converte em um composto oxigenado esverdeado e, após exposição à luz, é transformado em cloreto de cobre (II). É insolúvel em água, mas se dissolve em ácido clorídrico concentrado ou em amônia devido à formação de íons complexos. O cloreto cuproso é usado como catalisador em várias reações orgânicas, principalmente na síntese de acrilonitrila a partir de acetileno e cianeto de hidrogênio; como um agente descolorante e dessulfurizante para produtos petrolíferos; como agente desnitratador da celulose; e como um agente de condensação para sabões, gorduras e óleos.

O sulfeto de cobre ocorre na forma de pó preto ou nódulos e é encontrado como o calcocito mineral. Grandes quantidades do composto são obtidas pelo aquecimento do sulfeto cúprico (CuS) em uma corrente de hidrogênio. O sulfeto de cobre é insolúvel em água, mas solúvel em hidróxido de amônio e ácido nítrico. Suas aplicações incluem o uso em células solares, tintas luminosas, eletrodos e certas variedades de lubrificantes sólidos.

Os compostos de cobre (II) de valor comercial incluem óxido cúprico (CuO), cloreto cúprico (CuCl2) e sulfato cúprico (CuSO4). O óxido cúprico é um pó preto que ocorre como os minerais tenorita e paramelaconita. Grandes quantidades são produzidas por torrefação de minério de óxido de cobre misto em um forno a uma temperatura abaixo de 1.030 ° C (1.900 ° F). O composto puro pode ser dissolvido em ácidos e cianetos alcalinos. O óxido cúprico é empregado como pigmento (azul a verde) para vidros, esmaltes de porcelana e gemas artificiais. Também é usado como um agente dessulfurizante para gases de petróleo e como um catalisador de oxidação.

O cloreto cúprico é um pó amarelado a marrom que absorve rapidamente a umidade do ar e se transforma no hidrato azul esverdeado CuCl2 ∙ 2H2O. O hidrato é comumente preparado pela passagem de cloro e água em uma torre de contato cheia de cobre metálico. O sal anidro é obtido por aquecimento do hidrato a 100 ° C (212 ° F). Como o cloreto cuproso, o cloreto cúprico é usado como catalisador em várias reações orgânicas - por exemplo, na cloração de hidrocarbonetos. Além disso, serve como conservante de madeira, mordente (fixador) no tingimento e estampagem de tecidos, desinfetante, aditivo para ração e pigmento para vidro e cerâmica.

O sulfato cúprico é um sal formado pelo tratamento do óxido cúprico com ácido sulfúrico. Forma cristais azuis brilhantes grandes contendo cinco moléculas de água (CuSO4 ∙ 5H2O) e é conhecido no comércio como vitríolo azul. O sal anidro é produzido aquecendo o hidrato a 150 ° C (300 ° F). O sulfato cúprico é utilizado principalmente para fins agrícolas, como pesticida, germicida, aditivo para ração e aditivo para o solo. Entre seus usos menores estão como matéria-prima na preparação de outros compostos de cobre, como reagente na química analítica, como eletrólito para baterias e banhos de galvanoplastia e na medicina como fungicida, bactericida e adstringente aplicado localmente.

Outros compostos importantes de cobre (II) incluem carbonato cúprico, Cu2 (OH) 2CO3, que é preparado pela adição de carbonato de sódio a uma solução de sulfato de cobre e, em seguida, filtrando e secando o produto. É usado como um agente corante. Com o arsênico, forma acetoarsenita cúprica (comumente conhecida como verde de Paris), um conservante de madeira e inseticida.

Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre
Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre
Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre
Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre
Cobre (Cu) | Ocorrência, Usos e Propriedades do Cobre

Arquivo