Mostrando postagens com marcador Libéria. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Libéria. Mostrar todas as postagens

Libéria | Mapas Geográficos da Libéria

Libéria | Mapas Geográficos da Libéria

A Libéria está localizada entre a Serra Leoa, a Guiné e a Costa do Marfim, é um país que se estende nas terras do oeste da África. Liberia oferece muitos tesouros naturais, como manguezais ou florestas densas, ricas em essências raras, como mogno ou jacarandá. O pico mais alto do país é Mount Wuteve, no norte. A reserva natural do Monte Nimba, onde encontramos chimpanzés (entre outros), foi protegida pela Unesco desde 1981 e está situada entre a Guiné, a Costa do Marfim e a Libéria. O Parque Nacional Sapo, mais ao sul, é um magnífico espaço rico em flora e fauna excepcional. A floresta selvagem permanece preservada e abriga cachoeiras esplêndidas e muitas espécies de animais que estão em perigo de extinção, como o Gato de Ouro Africano ou o Mongoose da Libéria.

Rodeado pelo Oceano Atlântico, o país tem muitas praias de areia desertas com vegetação generosa. A pequena ilha de Providencia nas águas da capital, Monrovia, recorda a história do país e os primeiros escravos libertados no século XIX. O estado também é um paraíso fiscal, além de ter uma das plantações de borracha de plantações de borracha mais grandes do mundo (planta que serve para fabricação de borracha). Também possui fontes minerais de ferro.

Ao sul de todo o país é Harper (Cape Palmas), assim chamado em referência a Robert Goodloe Harper, um político americano no momento em que a "Liberia" se originou. E é pelo presidente James Monroe que a capital do país foi nomeada Monrovia. As praias perto da cidade são lindas e o mar está cheio de peixes, baleias e golfinhos. Monrovia está localizada na costa na foz do rio São Paulo. O mercado Waterside é um dos maiores da cidade e um dos mais impressionantes: lojas coloridas são famosas por seus têxteis. Os outros lugares para visitar a cidade são as ruínas do templo maçônico e do museu nacional. A coleção apresentada explica a difícil história do país.

Os exploradores portugueses, seguidos pelos holandeses e ingleses, se encontraram primeiro com os nativos. A Libéria tornou-se a primeira república independente da África negra em 1847, que os americanos marcaram como um lugar para libertar os escravos afro-americanos. Mas houve um forte antagonismo entre os últimos e os nativos das terras.

Um golpe derrubou famílias governantes em 1980, e a guerra civil estourou em 1990 por vários grupos rebeldes, resultando em dezenas de milhares de mortes. A história sangrenta do país faz com que os turistas potenciais esqueçam a beleza de um estado que trabalha para encontrar a paz. No momento, os conflitos cessaram, e a população recebe generosamente os estrangeiros que se arriscam em seu país.

Libéria | Mapas Geográficos da Libéria
Libéria | Mapas Geográficos da Libéria

Libéria | Mapas Geográficos da Libéria
Libéria | Mapas Geográficos da Libéria
Libéria | Mapas Geográficos da Libéria
Libéria | Mapas Geográficos da Libéria
Libéria | Mapas Geográficos da Libéria
Libéria | Mapas Geográficos da Libéria
Geografia Total

Libéria | Aspectos Geográficos e Socioeconômicos da Libéria

Libéria | Aspectos Geográficos e Socioeconômicos da Libéria


Geografia: Área: 111.369 km². Hora local: +3h. Clima: equatorial chuvoso. Capital: Monróvia. Cidades: Monróvia (620.200), Zwedru (38.300), Buchanan (28.300), Yekepa (23.500), Harper (21.000).

População: 4,1 milhões; nacionalidade: liberiana; composição: grupos étnicos autóctones 95% (principais: capeles 19%, bassas 15%), américo-liberianos 3%, outros 2%. Idiomas: inglês (oficial), línguas regionais. Religião: crenças tradicionais 42,9%, cristianismo 39,3% (independentes 17,1%, protestantes 13,6%, outros 15,9% - dupla filiação 7,3%), islamismo 16%, sem religião 1,5%, bahaísmo 0,3%. Moeda: dólar liberiano

Relações Exteriores: Organizações: Banco Mundial, FMI, ONU, UA. Embaixada: 5201, 16th Street NW, Washington D.C. 20011, EUA; site na internet: www.liberiaemb.org.

Governo: República presidencialista. Div. administrativa: 13 condados. Partidos: Patriótico Nacional (NPP) (ex-Frente Patriótica Nacional, NPFL), da Unidade (UP), de Ação Liberiano (LAP). Legislativo: bicameral – Senado, com 26 membros; Casa dos Representantes, com 64 membros. Constituição: 1986.

Fundada por ex-escravos norte-americanos – seu nome significa "país dos libertos" –, a Libéria é uma das duas nações da África não colonizadas por europeus (a outra é a Etiópia). Os descendentes de escravos (3% da população) formam a elite do país – a mais antiga república africana. A maior parte dos habitantes vive na pobreza, e são altas as taxas de analfabetismo e de mortalidade infantil. A situação é agravada pela instabilidade e pelas guerras civis desde 1989 e pelo embargo que atinge a Libéria, acusada de contrabandear diamantes retirados da vizinha Serra Leoa. Boa parte dos recursos do país vem do registro de navios de todo o mundo com a bandeira liberiana, graças a um regime fiscal vantajoso aos proprietários.

LIBÉRIA, ASPECTOS GEOGRÁFICOS E SOCIOECONÔMICOS DA LIBÉRIA

História da Libéria

Bandeira da LibériaOs portugueses, no século XV, são os primeiros europeus a chegar à região da atual Libéria, que batizam de Costa da Pimenta (ou dos Grãos). Em 1821, a Sociedade Americana de Colonização compra o território, que pertencia a Serra Leoa, a fim de enviar para lá escravos libertos norte-americanos. O primeiro grupo chega em 1822 e funda Monróvia. Em 1847, Joseph Jenkins Robert, governador da comunidade de negros norte-americanos na Libéria, proclama a independência e torna-se o primeiro presidente. No século XX, empresas dos Estados Unidos (EUA) exploram borracha, ferro e diamante. No fim dos anos 1970, cresce a oposição ao governo. Em 1980, o sargento Samuel Doe executa o presidente William Tolbert Jr. e suspende a Constituição. Doe é eleito presidente em 1985, depois de proibir a participação de opositores no pleito. Em 1989, guerrilheiros da Frente Patriótica Nacional (NPFL), liderada por um ex-integrante do governo, Charles Taylor, iniciam a luta contra o regime.

Monróvia, Capital da Libéria
Monróvia, Capital da Libéria

Guerra civil
- O presidente Doe é preso e executado em 1990 por uma dissidência da NPFL, a Frente Patriótica Nacional Independente (INPFL). Novos grupos armados também passam a disputar o governo. Amos Sawyer é eleito presidente provisório, em conferência realizada em 1991, e aceita o envio de uma tropa de paz da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (Ecowas) ao país, a fim de desarmar os rebeldes. Um acordo de paz, em 1993, leva à criação do Conselho de Estado da Libéria, órgão executivo de transição formado por representantes das facções em luta e do governo. O conselho assume o poder em 1994, mas não consegue estabelecer um acordo entre as partes.

Redemocratização - Em 1996, Ruth Perry assume a presidência do Conselho de Estado, com apoio o da Ecowas. A desmobilização e o desarmamento da guerrilha são feitos com sucesso. Taylor dissolve a NPFL, que passa a se chamar Partido Patriótico Nacional (NPP). Em 1997, Taylor vence por larga margem a eleição presidencial, considerada legítima por observadores internacionais. O número de mortos na guerra civil é estimado em 150 mil. A normalização da situação permite a volta de 200 mil refugiados. Em 2000 pioram as relações com Guiné e Serra Leoa, acusados pela Libéria de abrigar grupos rebeldes. Ao mesmo tempo, EUA e Reino Unido afirmam que a Libéria apóia a Frente Revolucionária Unida (RUF), grupo armado de oposição ao governo de Serra Leoa, em troca de diamantes. Em outubro, Libéria, Guiné e Serra Leoa iniciam conversações sobre os conflitos, com a mediação de outros países da região.

Em 2001, a Organização das Nações Unidas (ONU) acusa o governo liberiano de dar apoio à RUF em troca de diamantes e impõe sanções econômicas ao país. Em 2002, a guerrilha da organização Liberianos Unidos pela Reconciliação e a Democracia (Lurd) avança contra o regime.

Novo governo - Em março de 2003 surge um novo grupo armado, o Movimento pela Democracia na Libéria (Model). Taylor é indiciado em junho pela Corte Especial da ONU para Serra Leoa por crimes de guerra no país vizinho. Em meados do ano, os rebeldes chegam à capital, Monróvia, obrigando Taylor a entregar a Presidência ao vice, Moses Blah, em agosto, e se exilar na Nigéria. Ecowas e EUA enviam tropas, que assumem o controle da capital. Blah, os dois grupos rebeldes e a oposição acertam a formação de um governo provisório, chefiado por Gyude Bryant, empresário e líder da Igreja Episcopal. A ONU decide enviar em setembro uma força de paz de até 15 mil homens (a maior no mundo). Em dezembro, as tropas da ONU começam o desarmamento dos antigos combatentes, estimados em 40 mil.

Coalizão ampla - Em março de 2004, Bryant anuncia uma formação ampla para o governo, com representantes dos grupos Model e Lurd, do antigo governo, dos 18 partidos legais e da sociedade civil. No mesmo mês, o Conselho de Segurança (CS) da ONU decide congelar os bens do ex-presidente Taylor. Mas em outubro de 2004 Monróvia é palco de distúrbios de massa por vários dias, nos quais prédios são incendiados e 16 pessoas morrem. O governo acusa ex-combatentes pela violência. No fim do ano, a ONU afirma que 50 mil refugiados da guerra civil já voltaram ao país, mas ainda faltam 340 mil.

http://www.klimanaturali.org
http://www.geografiatotal.com.br