Mostrando postagens com marcador Suazilândia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Suazilândia. Mostrar todas as postagens

Suazilândia | Mapas Geográficos da Suazilândia

Suazilândia | Mapas Geográficos da Suazilândia

Suazilândia | Mapas Geográficos da SuazilândiaO Reino da Suazilândia é um país pequeno e sem litoral na África (um dos menores do continente), localizado entre a África do Sul a oeste, norte e sul e Moçambique a leste. O país é nomeado após o Swazi, um povo de língua Bantu. Está dividido em quatro distritos administrativos regionais: Hhohho, Manzini, Lubombo e Shiselweni. As regiões são subdivididas em tinkhundla administradas por tindvuna (assessores reais ou governadores); cada inkhundla, por sua vez, é composto por várias comunidades governadas por chefes, além de áreas urbanas municipais e terras privadas.

Suazilândia | Mapas Geográficos da Suazilândia
Suazilândia | Mapas Geográficos da Suazilândia
Suazilândia | Mapas Geográficos da Suazilândia
Suazilândia | Mapas Geográficos da SuazilândiaSuazilândia | Mapas Geográficos da Suazilândia
Suazilândia | Mapas Geográficos da Suazilândia
Suazilândia | Mapas Geográficos da Suazilândia


www.geografiatotal.com.br
www.klimanaturali.org

Suazilândia | Aspectos Geográficos e Socioeconômicos de Suazilândia

Suazilândia | Aspectos Geográficos e Socioeconômicos de Suazilândia


Geografia – Área: 17.364 km². Hora local: +5h. Clima: tropical de altitude. Capital: Mbabane. Cidades: Mbabane (95.000) (aglomeração urbana), Manzini (29.000), Nhlangano (6.950), Pigg's Peak (5.000), Siteki (4.000).

População – 1,37 milhão; nacionalidade: suazi; composição: suazis 97%, europeus (ingleses e holandeses) e zulus 3%. Idiomas: inglês, sissuáti (oficiais). Religião: cristianismo 86,9% (independentes 45,6%, sem filiação 19,3%, outros 25,2% -dupla filiação 3,2%), crenças tradicionais 10,7%, outras 1,4%, sem religião 1,2%. Moeda: lilangeni.

Relações Exteriores– Organizações: Banco Mundial, Comunidade Britânica, FMI, OMC, ONU, SADC, UA. Embaixada: 3400, International Drive NW, Washington D.C. 20008, EUA.

Governo – Monarquia parlamentarista. Div. administrativa: 273 áreas tribais. Chefe de Estado: rei Mswati III (desde 1986). Partidos: Congresso Nacional Libertador Ngwane (NNLC), Movimento Democrático Unido do Povo (Pudemo), Movimento Nacional Imbokodvo (INM), Partido Progressista Suazi (SPP) (todos na ilegalidade). Legislativo: bicameral – Senado, com 30 membros; Assembleia Nacional, com 65 membros. Constituição: 1978.

Suazilândia é um pequeno e montanhoso país do sul da África, sem saída para o mar, é uma das poucas monarquias remanescentes no continente. Em seu território predominam os planaltos cobertos por savanas e pastagens. A sociedade, patriarcal e formada por clãs, admite a poligamia. A economia se baseia na agropecuária, mas o país não é auto-suficiente na produção de alimentos. A Suazilândia exporta cana-de-açúcar e abriga importantes reservas de carvão. A saúde pública enfrenta uma catástrofe: quase 40% da população adulta está contaminada pelo vírus HIV.
SUAZILÂNDIA - ASPECTOS GEOGRÁFICOS E SOCIAIS DE SUAZILÂNDIA

História de Suazilândia

Bandeira de SuazilândiaA região é ocupada, no século XIX, pela nação suazi. Acordos firmados entre o Reino Unido e o Transvaal (Estado criado por bôeres, colonos de origem holandesa e alemã) prometem a independência do reino, diante dos zulus, já em 1881. Torna-se protetorado britânico em 1903, depois da vitória do Reino Unido na Guerra dos Bôeres. Suazilândia obtém independência em 1968, como monarquia constitucional liderada pelo rei Sobhuza II. Em 1973, o rei dissolve o Parlamento, revoga a Constituição e proíbe os partidos, assumindo poderes absolutos. Desde então vigora no país o estado de sítio.

Mbabane
Mbabane, Capital de Suazilândia
Protestos – Uma nova Constituição, em 1978, cria um Parlamento com poderes limitados e mantém os partidos na ilegalidade. Sobhuza II morre, em 1982, e é sucedido pelo filho Makhosetive, coroado em 1986 com o nome de Mswati III. Na década de 1990, o fim do apartheid na África do Sul impulsiona o movimento por democracia no país. As primeiras eleições legislativas são realizadas em 1993. Em 1996 ocorre uma greve geral pelo fim da monarquia. Mswati III instala um Comitê de Revisão Constitucional (CRC). Novos protestos ocorrem em 1997 e 2000.

Em 2002, Mario Masuku, líder da oposição à monarquia e presidente do Movimento Democrático Unido do Povo (Pudemo), é inocentado da acusação de incentivar rebelião contra o Estado. A Alta Corte de Justiça do país ordena sua libertação, após dois anos preso. Na sequência, o Parlamento derrota a proposta de compra de um jato de 45 milhões de dólares para o rei, que insiste na ideia. O valor é mais que o dobro do orçamento nacional de saúde. Em 2003, os sindicatos chamam greve geral pela redução dos poderes do rei. Em janeiro de 2004, Mswati III pede ao Parlamento 15 milhões de dólares para construir um palácio para cada uma de suas esposas. O primeiro-ministro declara, em fevereiro, que o país está ante uma crise humanitária, após três anos de seca. Em julho, são anunciados dados terríveis sobre a Aids no país: 20% da população está contaminada com o vírus HIV. Na faixa dos 15 aos 49 anos, o índice é de 38,8%.

www.geografiatotal.com.br
www.klimanaturali.org