Serenada | Alphonsus de Guimaraens


Serenada | Alphonsus de Guimaraens

Serenada | Alphonsus de Guimaraens
"Da noite pelos ermos
Choram violões.
São como enfermos
Corações.

Dorme a cidade inteira
Em agonia...
A lua é uma caveira
Que nos espia.

Todo o céu se recama
de argêntea luz...
Uma voz clama
por Jesus...

Toda a triste cidade
É um cemitério...
Há um rumor de saudade
E de mistério...

E em meio da cidade
O rio corre. De alguém
Conduzindo a saudade
De alguém que morre."


www.klimanaturali.org