Youtube Channels

Realismo

Tags


Realismo
Realismo
1) Fazer um resumo das características do Realismo
As obras do período realista são:
· Anti-românticas: são completamente o inverso do romantismo, não lembram em nada as obras de autores do Romantismo;
· A realidade é nua e crua: os autores não se preocupam em dizer o que pensam, não medem as palavras ao escrever;
· Objetivismo: falam direta e claramente, sem rodeios, vão logo ao assunto;
· Negam a burguesia: as obras realistas não possuem um núcleo burguês, ou seja, a burguesia não é retratada , seja através de personagens ou insinuações políticas, etc;
· Histórias feitas em família: o núcleo de personagens é sempre compostos por familiares (pai, mãe, tio, tia, avô, avó, etc.);
· Antimonarquismo: não retratam em nenhum momento a monarquia, não há um rei ou uma rainha ou membros da realeza em suas histórias;
· Materialismo: as histórias e personagens são voltadas ao materialismo;
· Revolucionismo: as obras realistas possuem um certo revolucionismo no sentido de que podem revolucionar a época em que são escritos com suas idéias inovadoras ou antes não comentadas;
· Triângulo amoroso (marido traído, mulher adúltera e amante amigo da casa): situações em que um pai de família é traído pela esposa, cujo amante é sempre alguém muito próximo à família (um amigo ou até mesmo familiar, por exemplo);
· Preocupação com o presente: as narrações de fatos no passado servem apenas para explicar o que está acontecendo no presente. Além disso, nas obras realistas raramente se encontram “flashbacks” ;
· Socialismo Científico: o pensamento, o conteúdo das obras realistas são, geralmente, baseados nas obras de Filósofos socialistas-científicos como Karl Marx e Friederick Engels, por exemplo;
· Linguagem contemporânea: os autores escreviam conforme falavam diariamente, pode-se notar alguns modismos e até mesmo gírias;
· Predomínio do personagem sobre o enredo: o personagem é o centro de tudo o que acontece, isto é, o leitor presta atenção àquilo que o personagem desenvolve e não à história, ao fato narrado.
2) Traçar um perfil de Machado de Assis
Costuma-se dividir a obra de Machado de Assis em duas fases distintas: fase romântica ou de amadurecimento e a fase realista ou de maturidade. Suas obras durante a fase romântica são carregadas de sentimentalismo, onde a trama e os personagens são simples. Entre suas obras inspiradas no romantismo destacam-se Iaiá Garcia, Helena e Histórias da Meia-Noite.
Em sua fase realista, Machado começa a desenvolver seu extraordinário realismo psicológico, onde se percebe um impiedoso sarcasmo.
Principais características durante a fase Realista de Machado de Assis:
· Análise Psicológica dos Personagens
· Egoísmo
· Pessimismo
· Negativismo
· Frases Curtas
· Linguagem Correta
· Técnica dos Capítulos Curtos
· Conversa com o leitor
· Enredo mais ou menos simples
· Narração desordenada cronologicamente
3) Fazer um paralelo entre as características das obras de Machado de Assis com o conto “O Alienista”.
Algumas das Características de Machado de Assis encontradas no conto “O Alienista”[1]:
1) Frases Curtas:
“Dona Evarista sentiu faltar-lhe o chão debaixo dos pés.” Capítulo III
“E levou-a aos livros. Dona Evarista ficou deslumbrada. Era uma via láctea de algarismos. E depois levou-a às arcas, onde estava o dinheiro.” Capítulo III
2) Linguagem correta:
As crônicas da vila de Itaguaí dizem que em tempos remotos viver ali um certo médico, o Dr. Simão Bacamarte, filho da nobreza da terra e o maior dos médicos do Brasil, de Portugal e das Espanhas.” Capítulo I
“(...) porquanto não corria o risco de preterir os interesses da ciência na contemplação exclusiva, miúda e vulgar da consorte.” Capítulo I
3) Conversa com o Leitor:
E agora prepare-se o leitor para o mesmo assombro em que ficou a vila, ao saber um dia que os loucos da Casa Verde iam todos ser postos na rua. (...)” Capítulo XI
Mas a ciência tem o inefável dom de curar todas as mágoas; o nosso médico mergulhou inteiramente no estudo e na prática da medicina (...) ” Capítulo I
4) Análise psicológica das personagens:
(...) Um, por exemplo, um rapaz bronco e vilão, que todos os dias, depois do almoço, fazia regularmente um discurso acadêmico, ordenado de tropos, de antíteses, de apóstrofes, com seus recamos de grego e latim, e suas obras de Cícero, Apuleio e Tertuliano.(...)” Capítulo II
Os loucos por amor eram três ou quatro, mas só dois espantavam pelo curioso do delírio. ( ...) Era um desgraçado, a quem a mulher deixou por seguir um peralvilho. (...)” Capítulo II



[1] Outras características podem se notadas no contexto geral da obra. O autor não especifica seu egoísmo ou pessimismo, por exemplo, em uma frase ou diálogo; o leitor percebe essas características depois de ler o conto.

Arquivo