Camarões | Aspectos Geográficos e Socioeconômicos de Camarões

Camarões | Aspectos Geográficos e Socioeconômicos de Camarões

CAMARÕES, ASPECTOS GEOGRÁFICOS E SOCIOECONÔMICOS DE CAMARÕESGeografia: Área: 475.442 km². Hora local: +4h. Clima: tropical (N) e equatorial (S). Capital: Yaoundê. Cidades: Douala (1.700.000), Iaundê (1.500.000), Bafousam (208.000), Garoua (140.000), Maroua (86.000).

População: 19,5 milhões nacionalidade: camaronesa; composição: camarões 31%, bantos 19%, quirdis 11%, fulanis 10%, outros grupos étnicos autóctones 29% . Idiomas: francês, inglês (oficiais), línguas regionais (principais: fang, bamilequê, duala). Religião: cristianismo 54,2% (católicos 26,5%, protestantes 20,7%, outros 7%), crenças tradicionais 23,7%, islamismo 21,2%, sem religião e ateísmo 0,4%, bahaísmo 0,4%.

Relações Exteriores: Organizações: Banco Mundial, Comunidade Britânica, FMI, OMC, ONU, UA. Embaixada: Tel. (61) 248-5403, fax (61) 248-0443 – Brasília (DF); e-mail: ambacam@ig.com.br, site na internet: www.embcameroun.org.br.

Governo: República presidencialista. Div. administrativa: 10 províncias. Partidos: União Democrática do Povo Camaronês (RDPC), Frente Social-Democrática (SDF), União Nacional pela Democracia e Progresso (UNDP), União Democrática de Camarões (UDC). Legislativo: unicameral – Assembléia Nacional, com 180 membros. Constituição: 1972.

Localizada na costa oeste da África e banhada pelo golfo da Guiné, a República de Camarões é uma das nações de maior diversidade cultural no continente: abriga 230 grupos étnicos, que falam 250 línguas e dialetos nativos. Mais de 40% do território é coberto por florestas tropicais. No norte, onde predominam as savanas, o clima tropical é seco, tornando-se árido nas proximidades do lago Chade. No oeste, há formações montanhosas de origem vulcânica, cujo ápice é o monte Camarões (4,1 mil metros), um dos mais altos da África Central. O petróleo, descoberto em 1976, é importante fonte de divisas. O país exporta ainda madeira e cacau. A disputa com a Nigéria pela península de Bakassi gera conflitos de fronteira desde os anos 1990.

História de Camarões

Bandeira de CamarõesO território onde fica Camarões é ocupado no século II a.C. por tribos de língua banto, que praticam o pastoreio e a agricultura. Em 1472 chega à região o navegador português Fernando Pó, que batiza um rio que encontra de Camarões, o que dá origem ao nome do país. A partir do século XVI, espanhóis, alemães, ingleses, franceses e norte-americanos praticam o comércio costeiro na região. Em 1884, os alemães estabelecem ali um protetorado. Durante a I Guerra Mundial, o território é ocupado por tropas da França e do Reino Unido e depois repartido entre esses dois países. Em 1948 é fundada a União Popular de Camarões (UPC), que organiza a luta pela independência. O partido é posto na ilegalidade em 1956, e, de fora do país, seus dirigentes organizam a luta armada. Independência Sob pressão da UPC, a parte francesa do território torna-se independente, em 1960, batizada de República dos Camarões. Ahmadou Ahidjo assume a Presidência e instaura o regime de partido único, a União Nacional Camaronesa (UNC), liderada por políticos de orientação islâmica. No ano seguinte, a Organização das Nações Unidas (ONU) promove plebiscitos nas duas áreas controladas pelos britânicos: a região norte prefere unir-se à Nigéria e a do sul vota pela fusão com a área francesa, originando a República Federativa dos Camarões, que une os Camarões Ocidental e Oriental. Em 1972, Ahidjo unifica os dois Camarões. Sem oposição legal, o presidente permanece no poder até 1982, quando é substituído pelo primeiro-ministro Paul Biya, da União Democrática do Povo Camaronês (RDPC), ex-UPC.

Oposição - Pressionado por manifestações populares, o governo instaura o pluripartidarismo em 1990. As eleições de 1992 são vencidas, sob acusações de fraude, pelo partido governista. Nas eleições municipais de 1996, a oposição vence em 13 cidades. O governo nega-se a empossar os eleitos e os substitui por nomes de sua confiança. Nos violentos protestos que se seguem, há grande número de mortos.

Yaoundê, Capital de Camarões

Separatismo - Em 1997, Biya é reeleito, com mais de 90% dos votos. Em maio de 1999, Camarões e Nigéria iniciam conversações para um acordo sobre a península de Bakassi, onde se supõe haver petróleo. Diante do impasse, a Nigéria admite submeter o litígio à Corte Internacional de Justiça (CIJ), o que já fora pedido por Camarões. Em dezembro de 1999, o Conselho Nacional de Camarões do Sul (CNCS) anuncia a independência unilateral das áreas de língua inglesa e proclama a República Federal de Camarões do Sul, mas não obtém reconhecimento internacional. O grupo vinha pedindo ajuda à ONU, desde 1996, para formar um país independente. Sua alegação é que o princípio de isonomia entre os camaroneses de língua inglesa e francesa, estabelecido no plebiscito de 1961, não vem sendo cumprido.Em 2000, a tensão interna cresce com diversos ataques a diplomatas estrangeiros, incluindo o embaixador dos Estados Unidos (EUA), John Yates, ferido na cabeça. A crise leva à substituição de 14 ministros e seis secretários de Estado – todos envolvidos com a segurança pública.

A governista RDPC vence as eleições legislativas de 2002, conquistando 149 das 180 cadeiras do Parlamento. Em 2003 é inaugurada no país a primeira Bolsa de Valores da África Central, em Douala. Começa também a funcionar o oleoduto que sai da zona petrolífera no sul do Chade, atravessa Camarões e chega a seu litoral, o que amplia as receitas do país.

Península de Bakassi - O julgamento da soberania sobre a península de Bakassi começa em fevereiro de 2002. Em outubro, a CIJ dá ganho de causa a Camarões. A Nigéria, que ocupa militarmente a península, não aceita o resultado. Meses depois, os governos reabrem negociação e fixa-se o prazo de 15 de setembro de 2004 para o cumprimento da decisão da corte. Na data acertada, a Nigéria não entrega a península a Camarões, alegando "dificuldades técnicas". Moradores locais defendem um plebiscito, afirmando que a maioria dos 300 mil moradores prefere integrar a Nigéria. Em outubro de 2004, Paul Biya é reeleito presidente por mais sete anos, com mais de 70% dos votos.

Yaoundê, Capital de Camarões
Yaoundê, Capital de Camarões
Yaoundê, Capital de Camarões

Yaoundê, Capital de Camarões
Yaoundé ou Iaundé é a capital dos Camarões. Situa-se no centro do país, a cerca de 700 metros de altitude. Tem cerca de 1,7 milhões habitantes. Foi fundada em 1888 por comerciantes alemães.

www.geografiatotal.com.br
www.klimanaturali.org