Ilhas Marshall, Aspectos Gerais das Ilhas Marshall

Ilhas Marshall, Aspectos Geográficos e Socioeconômicos das Ilhas Marshall

ILHAS MARSHALL, ASPECTOS GEOGRÁFICOS E SOCIOECONÔMICOS DAS ILHAS MARSHALLGeografia: Área: 181 km². Hora local: +15h. Clima: equatorial. Capital: Dalap-Uliga-Darrit (Atol de Majuro). Atóis: Majuro (25.000), Kuajalein (12.000) (2016).

População: 56 mil (2016); nacionalidade: marshallina; composição: micronésios 95%, polinésios 5%. Idiomas: inglês, marshallês (oficiais), línguas regionais. Religião: cristianismo 96,6% (protestantes 105%, outros 27,8% - dupla filiação 36,2%), outras 2,6%, sem religião 0,8%. Moeda: dólar americano.

Relações Exteriores: Organizações: Banco Mundial, FMI, ONU. Embaixada: 2433, Massachusetts Avenue NW, Washington D.C. 20008, EUA; e-mail: info@rmiembassyus.org, site na internet: www.rmiembassyus.org/usemb.html.

Governo: República parlamentarista. Div. administrativa: 33 municipalidades. Partidos: Democrático Unido (UDP), Nossas Ilhas. Legislativo: unicameral – Nitijela (Parlamento), com 33 membros. Constituição: 1979.

As Ilhas Marshall são um arquipélago de mais de 1,1 mil ilhas, agrupadas em 34 atóis. A nação tem apenas 181 quilômetros quadrados de área, mas se estende por uma superfície de 1 milhão de quilômetros quadrados no oceano Pacífico. Entre 1946 e 1958, os Estados Unidos (EUA) realizam testes nucleares nos atóis de Bikini e Eneuetak, pertencentes ao arquipélago, o que faz do país a região de maior contaminação radioativa conhecida no planeta. A maior parte dos habitantes se concentra nos atóis de Majuro – onde está a capital – e de Kuajalein. Apesar das praias de clima tropical, as ilhas têm infra-estrutura turística precária. A economia é pouco desenvolvida e depende da ajuda norte-americana.

Bandeira das Ilhas Marshall História das Ilhas Marshall

As ilhas são visitadas pelo navegador português Fernão de Magalhães em 1521, na primeira circunavegação terrestre. Em 1788 são exploradas pelo britânico Jonh Marshall, que dá origem a seu nome. Em 1899, elas passam a ser administradas pela Alemanha, e, em 1914, o Japão as ocupa. Durante a II Guerra Mundial, as ilhas são ocupadas pelos norte-americanos e, em 1947, por decisão da Organização das Nações Unidas (ONU), tornam-se território tutelado pelos EUA. Em 1979 obtêm autonomia interna e se transformam em República. Em 1986, elas tornam-se Estado independente associado aos EUA, por meio de um acordo que prevê ajuda financeira dos norte-americanos e manutenção, por 15 anos, de suas bases militares no país.

Dalap-Uliga-Darrit, Capital das Ilhas Marshall
Dalap-Uliga-Darrit, Capital das Ilhas Marshall
Contaminação nuclear - Na década de 1980, os EUA concordam em estabelecer um fundo para indenizar os contaminados pela radioatividade, mas as ilhas não podem ser reocupadas. O presidente Amata Kabua, no poder desde 1980, morre em 1996 e é substituído por seu primo Imata Kabua. Amata havia apoiado a iniciativa dos EUA de construir um depósito de resíduos nucleares na ilha de Bikini, considerada inabitável por 10 mil anos. Depois de sua morte, a oposição consegue suspender o projeto. Nas eleições de 1999, o oposicionista Partido Democrático Unido (UDP) conquista 18 das 33 cadeiras do Parlamento. Em 2000, os parlamentares elegem Kessai Note, do UDP, novo presidente da República. Nesse ano, o país é apontado pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) como paraíso fiscal, por atrair investimentos por meio de isenção de impostos e de garantia de anonimato aos aplicadores.

Novo acordo de livre associação com os EUA é assinado em maio de 2003 e entra em vigor em dezembro, após ratificação pelo Congresso norte-americano. O texto mantém a ajuda econômica por mais 20 anos. Nas eleições de novembro, o UDP conquista 20 cadeiras, contra dez do partido Nossas Ilhas, que se opôs aos termos do acordo fechado com os EUA. Em janeiro de 2004, Kessai Note é reeleito pelo Parlamento.

Fonte: http://www-geografia.blogspot.com.br/