Reforma Protestante (1517-1564)

Reforma Protestante (1517-1564)

Reforma Protestante (1517-1564)A Reforma Protestante foi um conjunto de movimentos de caráter religioso, político e econômico que surgem na Europa entre 1517 e 1564. Contestam a estrutura e os dogmas da Igreja Católica e rompem com a unidade do cristianismo, dando origem ao protestantismo. Os reformistas rejeitam a pretensão da Igreja de ser o único acesso ao mundo religioso e questionam a supremacia papal.

Os movimentos reformistas ocorrem paralelamente ao Renascimento à passagem do feudalismo para o capitalismo e ao fortalecimento das monarquias nacionais europeias. São o resultado da nova visão sobre o homem – ele é o centro do universo –, dada pelo humanismo. As reformas interessam às monarquias, que querem acabar com os privilégios da Igreja. O progresso comercial e urbano também necessita de uma religião afinada com o capitalismo emergente. Os camponeses, oprimidos, revoltam-se contra o catolicismo dos senhores feudais, o que transforma a luta religiosa em luta de classes. Os movimentos provocam ainda guerras religiosas entre protestantes e católicos, como a Guerra dos Trinta Anos(1618-1648). Ela começa como um conflito religioso no interior do Sacro Império Romano-Germânico e logo adquire caráter de disputa pela hegemonia política na Europa, envolvendo quase todos os países do continente. O avanço do movimento reformista pela Europa obriga a Igreja Católica a adotar reformas internas, conhecidas por Contra-Reforma.

Reforma Luterana – Em 1517 inicia-se no Sacro Império Romano-Germânico a reforma do monge Martinho Lutero que defende a fé como forma de salvação do indivíduo. Lutero é excomungado em 1520. Com o apoio da nobreza, as idéias de Lutero difundem-se rapidamente. Elas substituem o poder eclesiástico pelo do Estado, simplificam a liturgia, revogam o celibato clerical e acabam com o culto às imagens.

Reforma Anglicana – É promulgada em 1534 pelo rei Henrique VIII, da Inglaterra. O pretexto é a recusa do papa ao pedido de anulação de seu casamento com Catarina de Aragão, para que possa desposar Ana Bolena. Na verdade há o interesse da Monarquia inglesa em submeter a Igreja e tornar o rei a autoridade suprema. A reforma anglicana consolida-se em 1558, sob o reinado de Elizabeth I.

Reforma Calvinista – Começa em 1534, na França, com as pregações de João Calvino Mais radical que Lutero, Calvino defende a tese de o homem nascer predestinado à salvação ou à condenação. Considera-o livre de todas as proibições não explicitadas nas Escrituras, o que torna as práticas do capitalismo lícitas, em especial a usura, condenada pela Igreja Católica. O homem deve buscar o lucro por meio do trabalho e de uma vida regrada – também formas de louvar a Deus.

http://www-storia.blogspot.com.br/