Implementos Agrícolas

Tags

Implementos Agrícolas

#Implementos Agrícolas

Desde os primórdios da agricultura, o homem utiliza diferentes instrumentos que facilitam as tarefas agrícolas. Algumas das mais primitivas ferramentas continuam sendo usadas até hoje, pois sua simplicidade e baixo custo as tornaram insubstituíveis. Outros implementos, próprios da era industrial, permitem trabalhar grandes extensões de terra com elevado rendimento.

Os primeiros implementos agrícolas eram instrumentos rudimentares, feitos de pedra, madeira, chifre ou osso. Alguns restos encontrados em sítios arqueológicos do Neolítico, mostram que os primitivos lavradores europeus usavam enxadões de pedra com cabos de madeira, enquanto os pré-colombianos serviam-se de um pau comprido acabado em ponta para enterrar os grãos de milho.

A evolução das técnicas agrícolas determinou a diversificação progressiva dos implementos, e o metal substituiu a madeira. Com o descobrimento de novas formas de energia, como o vapor, a combustão e a eletricidade surgiram as máquinas agrícolas: tratores, colheitadeiras e motosserras, que aumentaram consideravelmente a produtividade rural e transformaram as condições de trabalho no campo.

Ferramentas agrícolas - No preparo da terra para o plantio, colheita e remoção da produção são empregados diversos tipos de ferramentas agrícolas. Os mais utilizados são a enxada, o enxadão, o arado, o ancinho ou rastelo, o forcado, a foice e o alfanje.

As enxadas e enxadões constam de uma folha de ferro, de forma aproximadamente triangular, com uma aresta cortante, presa a um cabo longo. São usados para cavar, capinar, revolver a terra e distribuí-la sobre canteiros.

O arado serve para revolver a terra e lançá-la simetricamente para os lados do sulco central que ele produz. Compõe-se de uma relha, peça que sulca a terra; de uma aiveca, larga placa côncava que distribui a terra revolvida para os lados, e um timão. O arado de tração animal é puxado por bois e cavalos. Existem também arados de discos, que substituem a relha na função de sulcar, girando em torno de um eixo à medida que o arado avança.

O ancinho ou rastelo é formado por uma placa metálica provida de dentes e fixada a um cabo. Serve para juntar e empilhar palha ou capim. O forcado tem formato semelhante ao de um garfo e em geral é munido de três dentes, mais longos e pontiagudos do que os do rastelo.

Como instrumentos de corte se empregam a foice, de cabo curto e lâmina curva apropriada para ceifar, e o alfanje, similar à foice, porém com o cabo mais comprido, o que permite ceifar rente ao chão.

Maquinaria agrícola - As possibilidades de aplicação das máquinas agrícolas são muito amplas. As máquinas a vapor, nas quais os precursores da mecanização rural depositavam grandes esperanças devido a seu alto rendimento, revelaram-se demasiado pesadas. Passaram a funcionar como unidades estacionárias em moinhos, serrarias e descaroçadoras.

Os tratores a motor de explosão, que usam como combustível a gasolina ou o óleo diesel, passaram a exercer no trabalho rural duas funções principais. Como máquinas de tração, substituíram bois e eqüinos para puxar arados e outras máquinas agrícolas e, como fontes estacionárias de energia, movimentam, por meio de um sistema de transmissão por correia, beneficiadoras de cereais, trilhadeiras, moinhos e outros instrumentos.

A locomoção dos tratores se faz por meio de rodas ou lagartas, dispositivos semelhantes aos dos tanques de guerra que permitem o deslocamento em terrenos irregulares. Aos tratores pode ser acoplada grande variedade de implementos, para operações diversas como o preparo do solo, plantio, cultivo, colheita e debulha. As peças adequadas a essas funções denominam-se, respectivamente, arado, plantadeira, cultivador, ceifadeira e trilhadeira.

Os tratores mais modernos são munidos de um sistema hidráulico por meio do qual o operador realiza tarefas pesadas, como deslocar grandes volumes e separar, por sopro, a palha das sementes. Alguns tratamentos especiais do solo podem ser feitos por máquinas acionadas por trator. O aplainamento do terreno requer o uso de rolos cilíndricos, e o roçado em solo pedregoso exige o emprego do escarificador, máquina de forma similar à de um grande ancinho.

Outras máquinas se destinam a recolher a forragem ou a colheita e prensá-la em fardos ou amarrá-la em feixes. São as enfardadeiras ou empacotadoras. As batedeiras de cereais malham automaticamente os grãos para livrá-los dos invólucros, abanam a palha e ensacam esses grãos. Há ainda artefatos para triturar a forragem a ser consumida pelos rebanhos; e lançadoras de fertilizantes, adaptáveis ao armazenamento da colheita em silos.

As colheitadeiras efetuam ao mesmo tempo diversas operações. Além de ceifar e recolher os vegetais, separam e ensacam os grãos. Para a colheita de algumas espécies de tubérculos, como a beterraba, a batata e a batata-doce, usam-se colheitadeiras capazes de cortar os talos das plantas e decepar-lhes as raízes.

www.klimanaturali.org