Guerra das Rosas na Inglaterra | 1445 - 1485

Guerra das Rosas na Inglaterra | 1445 - 1485 



Ao findar a guerra dos cem anos, um conflito pela posse do trono dividiu a Inglaterra em duas facções: a casa de York, simbolizada por uma rosa branca, e a de Lancaster, por uma rosa vermelha.

A guerra das rosas foi uma série de lutas dinásticas que tiveram lugar na Inglaterra entre 1445 e 1485, durante os reinados de Henrique VI, Eduardo IV e Ricardo III. Iniciou-se com a disputa da aristocracia pelo controle do Conselho Real, por causa da menoridade de Henrique VI. Este, ao assumir o poder em 1442, teve o apoio dos Beaufort e do duque de Suffolk, aliados da casa de York.

O duque Ricardo de York, pretendente ao trono, esperou muitos anos que Henrique VI -- vítima de problemas mentais -- morresse. Ao nascer um príncipe herdeiro, porém, York resolveu agir e, na década de 1450, chefiou uma liga de barões, na qual Richard Neville, conde de Warwick, era o mais influente. Os senhores de York exigiram a demissão de um membro do Conselho Real da casa dos Lancaster. O rei negou-se a atendê-los; assumiu o comando de dois mil representantes dos Lancaster e marchou para Saint Albans para participar da batalha na qual foi capturado, em 1455. Quatro anos depois, York foi derrotado em Ludford Bridge e fugiu para a Irlanda.

Guerra das Rosas na InglaterraFoi breve, porém, a vantagem da casa de Lancaster pois, em 1460, Warwick veio da França, onde se refugiara, venceu as forças do rei e o aprisionou. Designado pelo Parlamento sucessor de Henrique VI, York foi, porém, morto em Wakefield, quando perseguia os últimos contingentes das forças reais. Seu filho e herdeiro, Eduardo de York, com o auxílio de Warwick, vingou a morte paterna. Entrou em Londres e em 1461 foi aclamado rei com o nome de Eduardo~IV, e destruiu o exército de Lancaster na batalha de Towton. Henrique VI refugiou-se na Escócia até ser capturado em 1464.

Warwick influenciou os primeiros anos do reinado de Eduardo IV, mas os dois nobres divergiram após o casamento do rei, e a ruptura ocorreu em 1467. Dois anos depois, o conde, à frente de força militar, derrotou o exército do rei em Edgecote e o aprisionou. A manobra, no entanto, falhou e Warwick refugiou-se na França, onde se reconciliou com Margarida de Anjou, esposa de Henrique VI. Warwick voltou à Inglaterra em setembro de 1470, depôs Eduardo IV, que fugiu para os Países Baixos, e Henrique VI reassumiu o trono. Em 1471, Eduardo IV retornou à Inglaterra e venceu a batalha de Barnet, na qual Warwick morreu. Nesse mesmo ano, Eduardo IV voltou a ser o soberano e Henrique VI foi assassinado.


A morte de Eduardo IV, em 1483, fez ressurgir a velha disputa dinástica. Gloucester, seu irmão, assassinou os sobrinhos e se proclamou rei como Ricardo III, porém foi morto na batalha de Bosworth, em 1485. Por fim, as duas casas reconciliaram-se em apoio a Henrique Tudor, último representante dos Lancaster, que assumiu o trono como Henrique VII e consolidou a paz ao casar-se com Elizabeth de York, filha de Eduardo IV.

http://www.klimanaturali.org
http://www.geografiatotal.com.br