Nova York | História, Geografia e Cultura de Nova York

Nova York | História, Geografia, Economia e Cultura de Nova York

Situada no estado de mesmo nome, Nova York é a cidade de maior densidade demográfica dos Estados Unidos. Localiza-se no litoral do Atlântico, na desembocadura do rio Hudson, que cobre uma área de antigos vales glaciários submersos.

Área: 1.213 km²
Fundação: 1624
População: 8,390 milhões

A estátua da Liberdade, em Nova York, era a primeira imagem que, entre o fim do século XIX e início do seguinte, os imigrantes europeus viam ao chegar. A cidade dos arranha-céus, sede da Organização das Nações Unidas e de uma importante bolsa de valores, é uma das capitais econômicas, políticas e culturais do mundo contemporâneo.
New York, USA
New York, USA
New York, USA
New York, USA
New York, USA
New York, USA
New York, USA

 História
O navegador florentino Giovanni da Verrazano foi o primeiro europeu a entrar na baía de Nova York, em 1524. A descoberta da região onde se ergueria a cidade, contudo, é creditada ao navegador inglês Henry Hudson, que em 3 de setembro de 1609, a serviço de uma companhia holandesa, subiu o rio que hoje leva seu nome em busca de uma passagem para o Oriente. De volta à Europa, convenceu os holandeses da viabilidade econômica do território. Enviaram-se, então, os primeiros colonos, que fundaram a cidade de Nova Amsterdam na ilha de Manhattan, comprada dos indígenas por uma quantia irrisória. A cidade se desenvolveu como capital da província da Nova Holanda, que abrangia a área de Long Island e dos atuais estados de Connecticut e Nova Jersey, além da ilha de Manhattan.

Nova Amsterdam se tornou a mais cosmopolita das colônias holandesas, mas as regiões vizinhas foram povoadas por colonos britânicos. Em 1664, a cidade se rendeu às tropas de Jaime II da Inglaterra, duque de York, que mudou o nome do lugar para Nova York. Os holandeses reconquistaram a cidade em 1673, mas no ano seguinte cederam-na definitivamente à Inglaterra. Durante o século XVII a cidade se tornou um porto de piratas. Seu desenvolvimento se deu sobretudo a partir da década de 1730, com a importação de escravos e outras atividades comerciais, embora Boston e Filadélfia ainda permanecessem como principais centros políticos e econômicos da colônia.

Desde seus primórdios como núcleo urbano, Nova York foi centro de agitação contra a metrópole. Em 1775, o movimento revolucionário Filhos da Liberdade forçou o governador inglês William Tryon a deixar a cidade. Em 1776, durante a guerra da independência, a cidade foi ocupada por forças britânicas e sofreu vários incêndios. Foi sede do governo dos Estados Unidos de 1785 a 1790, ano em que a capital se transferiu para Filadélfia, mas manteve-se como capital do estado de Nova York até 1797. Em Nova York, George Washington prestou seu juramento ao assumir o cargo de primeiro presidente do novo país em 30 de abril de 1789.

New York, Times Square

Em 1790, com uma população de 33.000 habitantes, Nova York se tornou a maior cidade do país. Ao virar o século, em 1800, a população já chegava a sessenta mil. A abertura do canal Erie, em 1825, que liga a cidade de Nova York à de Buffalo e aos Grandes Lagos, garantiu a proeminência da cidade como porto marítimo e grande empreendedora comercial internacional.

Em conseqüência da abertura da ponte entre Manhattan e o Brooklyn, em 1883, os bairros de Queens, Bronx e Staten Island, além do Brooklyn, se fundiram ao de Manhattan que, embora fosse o menor em tamanho, tornou-se o mais poderoso da grande Nova York. Com a fusão, a cidade transformou-se numa metrópole de importância mundial. A transição para a condição de metrópole foi acelerada entre os anos de 1885 e 1895, com a chegada em massa de imigrantes europeus. Nova York recebeu nesse período mais de dois milhões de imigrantes, em especial da Itália, da Irlanda e de países do leste da Europa. A partir de 1900, a anexação de Porto Rico pelos Estados Unidos estimulou a imigração hispânica e, depois de 1929, a grande depressão levou para a cidade elevado contingente de negros procedentes dos estados do sul.

Nas primeiras décadas do século XX, Nova York se transformou em importante foco de agitação social e política. Ao mesmo tempo, seu sistema público de ensino proporcionava a qualificação necessária para o enorme e complexo desenvolvimento que se registraria em sua economia. Na segunda metade do século, a cidade já se tornara um centro cultural, comercial e financeiro dos mais importantes do mundo. Em sua área urbana, concentravam-se zonas de grande opulência e bairros de extrema pobreza. O êxodo da população de classe média, que se transferiu para os subúrbios, provocou uma série de crises financeiras no município na década de 1970, solucionadas, porém, na década seguinte.

Descrição urbana
Nova York é formada por bairros que se distribuem pelos cinco distritos (boroughs) da cidade, cada um com seu estilo de vida próprio: Manhattan, Queens, Bronx, Staten Island (ex-Richmond) e Brooklyn.

Para os turistas, e mesmo para a maioria dos nova-iorquinos, a "cidade" é Manhattan, uma ilha alongada de apenas 57km2, que tem seu traçado urbano cuidadosamente planejado, com as ruas numeradas em ordem crescente de leste a oeste e de sul a norte. A Quinta Avenida separa a zona leste -- o East Side -- da zona oeste -- o West Side. Em sentido longitudinal, a ilha se divide em três setores: Downtown, que inclui Wall Street -- famosa rua onde se localiza a bolsa de valores --, o bairro chinês, Chinatown, e o bairro do Soho; Midtown, que inclui a zona dos teatros, o edifício das Nações Unidas e o Museu de Arte Moderna; e Uptown, onde se localizam o Central Park, o Harlem e o Lincoln Center for the Performing Arts, além de milhares de lojas e restaurantes.

Brooklyn é o distrito mais populoso, onde vive uma das maiores comunidades negras do mundo, em Bedford-Stuyvesant; em Borough Park predomina a comunidade de judeus ortodoxos e em Bensonhurst a colônia italiana. O distrito de Queens tornou-se reduto da classe média e se em Woodside predominam os irlandeses, em Astória vive a maior comunidade grega fora da Grécia. O Bronx, cuja população é em grande parte negra e porto-riquenha, caracteriza-se pela deterioração de seus edifícios, abandonados pela antiga população branca mais abastada que se deslocou para os bairros residenciais da periferia. Staten Island, corruptela do nome holandês original, Staaten Landt, é o distrito com menor densidade demográfica. Até 1975 chamava-se Richmond Borough e dele parte o ferry do qual se vê, no trajeto para Manhattan, a estátua da Liberdade.

Economia
Além de ser o maior centro financeiro e comercial dos Estados Unidos e do mundo, Nova York dispõe de um grande parque industrial que inclui todos os setores da produção: metalurgia de transformação, refino de petróleo, fabricação de têxteis, produtos alimentícios e químicos, artigos de luxo etc. A atividade financeira se concentra na área de Wall Street, cujos bancos e companhias de crédito constituem a imagem mais típica do capitalismo moderno. O sistema bancário da cidade é responsável por cerca de dois terços das transações realizadas no país.

Seu porto, um dos mais importantes do mundo, conta com mais de 1.500km de cais. O aeroporto La Guardia está localizado em Queens e se liga à cidade por vias expressas. O aeroporto internacional John F. Kennedy, também em Queens, é mais afastado do centro.  A cidade conta ainda com sistema ferroviário, metrô e vários túneis, pontes e linhas de barcos que cruzam o Hudson. As linhas férreas que unem a cidade ao resto do país confluem para a Grande Estação Central.

New York, Times Square

Cultura
As atividades culturais de Nova York repercutem em todo o mundo. Entre as instituições culturais, além de grandes bibliotecas, destacam-se o Metropolitan Museum of Art, no Central Park; o Museu Americano de História Natural; o Museu de Arte Moderna, o Instituto de Artes e Ciências do Brooklyn, o Museu de Ciências e da Indústria, os jardins zoológicos e botânicos do parque do Bronx, os zoológicos do Central Park, do Brooklyn, de Staten Island etc. Também são muito famosos os teatros nova-iorquinos, entre os quais o Metropolitan Opera House, o Carnegie Hall e o Town Hall. A maioria dos teatros e cinemas de Manhattan fica nos arredores de Times Square.

O sistema de ensino depende basicamente do estado de Nova York. Entre as universidades particulares destacam-se a de Colúmbia, Fordham e de Nova York. Seus centros de ensino técnico e profissional são também muito conceituados.

www.klimanaturali.org