Rosa, Planta da Família das Rosáceas

Rosa, Planta da Família das Rosáceas

#Rosa, Planta da Família das RosáceasOriginária das regiões temperadas do hemisfério norte, a rosa é largamente cultivada pelo valor ornamental das flores que, graças a hibridações, hoje se apresentam em centenas de espécies de variados tons e matizes. Há desde rosas brancas, amarelas e cor-de-rosa até vermelhas e purpúreas.

Rosa é o nome pelo qual são conhecidas diversas espécies de plantas da família das rosáceas, do gênero Rosa. As roseiras são arbustos ou trepadeiras com hastes espinhosas, cujas folhas, isoladas, alternas, simples ou compostas, em geral são serreadas e com estípulas. As flores têm aspecto belo e delicado e aroma agradável.

As espécies de rosas cultivadas são freqüentemente dobradas, isto é, com flores de múltiplos arranjos de pétalas. Em sua forma selvagem, porém, as flores têm o cálice formado de cinco sépalas e a corola matizada com cinco pétalas e numerosos estames. Apresentam-se ora isoladas, ora em cachos. Sua cor varia do branco ao vermelho-escuro e inclui tonalidades amarelas, rosadas e purpúreas. Amarelo ou vermelho-vivo, o fruto é um receptáculo carnoso que envolve os carpelos. Apreciado pelos pássaros, dele também se fazem geléias e vinhos.

Existem fósseis de rosas que datam de vinte milhões de anos. As formas hoje existentes resultaram de hibridação e seleção, durante séculos, de espécies originárias principalmente do monte Cáucaso e do Extremo Oriente -- onde são encontradas em estado silvestre -- e que se propagaram para oeste através da Anatólia até alcançar a Europa. A jardinagem da roseira alcançou grande popularidade na Idade Média, e a flor aparece em emblemas da realeza européia.

Algumas das espécies cultivadas, denominadas rosa-chá e rosa de Bengala, procedem da Ásia e derivam das espécies R. indica e R. sinensis; outras surgem da espécie silvestre R. canina e da R. gallica. Desde então, por meio de hibridação e seleção, surgiram variedades de formas e portes bastante diversos.

O cultivo, que pode ser feito em larga escala para corte ou para fins ornamentais em parques e jardins, requer exposição ensolarada e solo bem adubado. A multiplicação efetua-se principalmente por estaca e por separação de mudas. A poda da planta realiza-se na estação fria; a maior intensidade de poda determina menor floração, mas melhor qualidade. A essência de rosa, obtida principalmente da R. alba e da R. damascena, tem aplicação em perfumaria.

www.klimanaturali.org