Ásia, Aspectos Geográficos da Ásia

Ásia, Aspectos Geográficos da Ásia

Ásia, Aspectos Geográficos da Ásia

A Ásia é o maior e o mais populoso continente. Na cordilheira do Himalaia estão os pontos mais altos do planeta, em especial o monte Everest, de 8.848 metros, na fronteira entre o Nepal e a China. Abriga paisagens inóspitas, como o deserto quente da Arábia e o deserto frio de Gobi, além da gelada Sibéria. Conta com algumas das maiores concentrações humanas, em megacidades como Tóquio (Japão), Mumbai (ex-Bombaim, na Índia), Xangai (China) e Daca (Bangladesh). Além disso, é o berço de algumas das mais antigas civilizações e das principais religiões do planeta. Seus recursos naturais são imensos. Produz quase metade do petróleo do mundo, possuindo as maiores reservas conhecidas, nos países do golfo Pérsico, e jazidas com enorme potencial na Ásia Central.Ao lado do Japão, a principal nação industrial do continente, e de países em acelerado processo de desenvolvimento, como China e Coreia do Sul, há várias regiões atrasadas, com graves problemas sociais, principalmente na Ásia Central. Superado o colonialismo europeu e a oposição ideológica entre capitalistas e comunistas, que alimentou as guerras da Coreia (1950/1953) e do Vietnã (1959/1975), o fundamentalismo religioso e os antagonismos étnicos, sempre associados a disputas territoriais, transformaram-se nos principais obstáculos à paz no continente. Assim, opõem-se israelenses e palestinos no Oriente Médio, e a Índia e o Paquistão na região da Caxemira, entre outros conflitos. Em 2011, mais da metade das forças militares dos Estados Unidos (EUA) pelo mundo estão concentradas no continente, cerca de um terço só no Afeganistão e Iraque, que, sob a acusação de apoiar organizações terroristas e de desenvolver armas de destruição em massa, são atacados e militarmente ocupados por tropas lideradas pelos EUA. Países do sul do continente são duramente atingidos, em dezembro de 2004, pela catástrofe natural do tsunami, o maremoto que causa a morte de mais de 175 mil pessoas. Nas regiões mais castigadas, o fenômeno chega a submergir ou deslocar ilhas, além de arrasar cidades e vilas em poucos minutos. O epicentro do terremoto que provocou as ondas gigantes localizou-se próximo à ilha indonésia de Sumatra, e os países que mais sofrem seus efeitos são Indonésia, Sri Lanka, Índia e Tailândia.

Em março de 2011 um maremoto causa a maior catástrofe natural do Japão deixando centenas de milhares de mortos no nordeste do país, causando, também, o maior desastre nuclear do Japão.

Vários Continentes em Um - A extensão do território, o tamanho da população e as peculiaridades do relevo fazem da Ásia um verdadeiro continente de continentes. Ali, encontram-se a maior nação em extensão de terra (Federação Russa) e o país mais populoso (China). Entre sua porção mais ocidental, no Oriente Médio, e a mais oriental, no Japão, estende-se um mundo de paisagens e culturas diferentes:

• o Oriente Médio, berço das três grandes religiões monoteístas (judaísmo, cristianismo e islamismo), com sua abundância de petróleo, escassez de água e permanente tensão provocada pelo conflito árabe-israelense;

• a Ásia Central, reunindo países desmembrados da antiga União Soviética, com sua diversidade étnica e predominância do islamismo;

• o Subcontinente Indiano, com enorme população e profundas desigualdades sociais, riquíssima cultura e agudas contradições religiosas, que opõem a Índia (de maioria hindu) ao Paquistão (de maioria muçulmana sunita);

• o sudeste da Ásia, com economia fortemente apoiada no setor eletroeletrônico, vem se recuperando da crise financeira iniciada na região e disseminada por todo o globo em 1997;

• o Extremo Oriente, sub-região que, com o Japão, a Coreia do Sul e a China, é a maior força industrial da Ásia.Além dessas regiões, ainda há o norte do continente, por onde se estende a parte asiática da Federação Russa, porção mais vasta, menos populosa e industrializada do país.

Geografia física – A Ásia, que inclui a maior parte dos territórios da Federação Russa e da Turquia, corresponde a quase um terço das terras emersas do globo. Ásia e Europa formam uma única massa continental, e a fronteira convencional entre ambas é determinada pelos montes Urais, pelo rio Ural, pelo mar Cáspio, pelas montanhas do Cáucaso e pelo mar Negro. O fim da União Soviética e outras mudanças políticas e econômicas nos dois continentes vêm submetendo essas fronteiras tradicionais a revisões . A Ásia une-se à África pelo istmo de Suez, comunica-se com a Oceania pelas ilhas da Indonésia e separa-se da América pelo estreito de Bering.

O litoral do continente estende-se por cerca de 250 mil quilômetros. O relevo asiático apresenta a maior altitude média da Terra (960 metros), em razão da presença de grandes cadeias montanhosas, entre as quais a cordilheira do Himalaia e a do Kunlun, que contornam o planalto do Tibete, conhecido como o teto do mundo. Em virtude da vastidão de seu território, da diversidade de relevos e do regime de monções (vento periódico que no verão sopra do mar para o continente e no inverno, do continente para o mar), existem muitos tipos de clima na Ásia: polar, continental frio, continental árido, continental, montanhoso, mediterrâneo, tropical árido, tropical e equatorial. Como consequência, há também grande variedade de vegetação: tundra, estepes, florestas de coníferas, florestas temperadas e florestas tropicais. Segundo o World Resources Institute, aproximadamente 70% das florestas asiáticas foram desmatadas. Esse índice é o maior entre todos os continentes. Países como Camboja, Federação Russa, Indonésia, Laos e Myanmar contêm boa parte da vegetação nativa remanescente.

População – O continente asiático é o mais populoso. Depois da explosão populacional ocorrida entre as décadas de 1950 e 1970, porém, sua taxa de crescimento demográfico vem diminuindo: 1,2% entre 2000 e 2005, de acordo com projeção do Fundo de População das Nações Unidas (Fnuap). A distribuição da população é bastante desigual. Mais da metade se concentra na China e na Índia . Em contraste com cidades superpovoadas, como Tóquio, Mumbai e Calcutá, existem regiões praticamente despovoadas, entre elas a Sibéria, o Tibete e a península Arábica.

O continente exibe enorme diversidade religiosa: animismo (Sibéria), hinduísmo (Índia), taoismo e confucionismo (China), xintoísmo (Japão), budismo (Ásia Centro-Oriental e Sudeste Asiático), judaísmo (Israel), cristianismo (Federação Russa, Oriente Médio e Filipinas) e islamismo (Oriente Médio, Ásia Centro-Ocidental e Indonésia). Diferentes comunidades religiosas convivem nos mesmos espaços, reverenciando frequentemente os mesmos lugares, como a cidade de Jerusalém, no Oriente Médio, cultuada por judeus, cristãos e muçulmanos; ou a aldeia de Katirgama, no Sri Lanka, cultuada por hinduístas, budistas e muçulmanos. Há também grande riqueza étnica e linguística, com idiomas de todos os troncos, exceto o ameríndio e o africano. O mandarim, o bengali, o hindi, o russo e o japonês, presentes no continente, integram o grupo das dez línguas mais faladas do mundo.

Economia – A Ásia apresenta contrastes econômicos extremos. A porção mais desenvolvida – que inclui o Japão e parte dos países do sudeste – registra renda per capita quase 100 vezes maior que a das regiões pobres. No sul do continente, a pobreza atinge proporções alarmantes: cerca de 30% da população vive com menos de 1 dólar por dia, segundo dados relativos a 2001 do Banco Mundial. A China e a Índia exibem acelerado crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), de 10,3% e 6%, respectivamente, na década de 1990. A China foi a nação que mais se industrializou, com a abertura econômica iniciada no fim dos anos 1970. A implantação do bloco econômico Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (Apec) tem propiciado maior integração entre países asiáticos e americanos.

A extração mineral é a principal fonte de divisas dos prósperos países do golfo Pérsico, que detêm quase 70% das jazidas mundiais de petróleo e vastas reservas de gás natural. O petróleo começa a ser explorado também na Ásia Central. Em 2001 é inaugurado um oleoduto que liga a jazida cazaque de Tengiz, no mar Cáspio, ao porto russo de Novorossiisk, no mar Negro. O fim do regime do Taliban no Afeganistão, em 2001, oferece às grandes empresas petrolíferas a possibilidade de retomarem seus ambiciosos planos de construção de oleodutos, passando pelo país e pelo Paquistão, para escoar a produção da Ásia Central no mar da Arábia. A atividade extrativista é intensa também na Federação Russa (que detém cerca de um terço do gás natural do planeta e grandes reservas de petróleo, carvão, ferro, ouro e diamante, a maior parte na Sibéria) e na China (uma das maiores produtoras de carvão e petróleo). O desmatamento e a atividade industrial descontrolada vêm provocando graves problemas ambientais na Ásia, como a enorme nuvem marrom de poluição de 3 quilômetros de espessura, que, em 2002, se estendia do Japão ao Afeganistão, no sentido leste-oeste, e da China à Indonésia, no sentido norte-sul. Algumas de suas causas são as emissões das indústrias e dos automóveis nas regiões altamente industrializadas e urbanizadas, as queimadas agrícolas e a combustão de madeira e material plástico a que recorrem as famílias pobres para se aquecer e cozinhar. Apesar da intensa modernização econômica, mais de 50% da força de trabalho asiática está empregada na agricultura, especialmente nas nações do Subcontinente Indiano (Índia, Paquistão e Bangladesh). A Ásia responde por quase um terço da produção mundial de cereais, com destaque para o arroz (90% do que se produz no planeta). Mas, ainda assim, precisa importá-los para suprir a demanda interna. Entre os principais produtos exportados estão o chá, a borracha e a cana-de-açúcar.

Países – Total: 45. Afeganistão, Arábia Saudita, Bangladesh, Barein, Brunei, Butão, Camboja, Catar, Cazaquistão, China, Cingapura, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos, parte asiática da Federação Russa, Filipinas, Iêmen, Índia, Indonésia, Irã, Iraque, Israel, Japão, Jordânia, Kuwait, Laos, Líbano, Malásia, Maldivas, Myanmar, Mongólia, Nepal, Omã, Paquistão, Quirguistão, Síria, Sri Lanka, Tadjiquistão, Tailândia, Taiwan (Formosa), Timor-Leste, Turcomenistão, parte asiática da Turquia, Uzbequistão e Vietnã.

Geografia Total