Urtiga (Urtica dioica)

Urtiga (Urtica dioica)

#Urtiga (Urtica dioica)

Quando penetram na pele, os pêlos pontiagudos que revestem as folhas e os ramos da urtiga facilmente se quebram, liberando uma substância ácida que provoca fortes coceiras. A intensidade dos efeitos varia, conforme a quantidade de substância injetada e a susceptibilidade da pessoa atingida. Não são raros os casos de grave empolamento da pele.

Urtiga é o nome que se dá especialmente a duas espécies do gênero Urtica, plantas da família das urticáceas originárias da Europa mas dispersas por todo o mundo, inclusive no Brasil. A urtiga-maior (Urtica dioica) atinge cerca de um metro. Suas folhas são grandes, opostas, afiladas na ponta e com as bordas bem denteadas. As flores masculinas e femininas dão em pés diferentes: esta é a principal característica a distingui-la da urtiga-menor (Urtica urens), de menos de meio metro de altura e com folhas menores, na qual as flores dos dois sexos se agrupam em um mesmo pé e nos mesmos cachos.

Ricas em cálcio, potássio e ferro, essas duas urtigas figuram desde a antiguidade entre as plantas medicinais. A urtiga-menor, em especial, é usada em homeopatia contra a urticária e outras afecções da pele. O nome aplica-se ainda a outras plantas urticantes, sejam ou não da mesma família, como a urtiga-branca (Lamium album), a urtiga-brava ou urtigão (Urera baccifera) e a urtiga-cansanção (Jatropha vitifolia).

www.klimanaturali.org