Aconselhamento e as Teorias de Aconselhamento

Aconselhamento  e as Teorias de Aconselhamento

Aconselhamento  e as Teorias de Aconselhamento
Define-se aconselhamento como uma relação interpessoal estabelecida com a finalidade de auxiliar os indivíduos na tomada de decisões. É uma área da psicologia fundamentada na aprendizagem, no desenvolvimento da personalidade e no autoconhecimento, processos que concorreram para que a pessoa tome consciência do papel que desempenha na sociedade e adquira padrões adequados de comportamento.

Os primeiros centros de orientação para pais e filhos foram criados no início do século XX e neles se empregava o aconselhamento como meio de obter melhor ajustamento familiar. A multiplicação dos serviços de orientação profissional ilustra a importância que as técnicas de aconselhamento ganharam na atualidade.

Os serviços de orientação pedagógica das escolas, dirigidos a obter melhor rendimento na aprendizagem e ajuste psicossocial do aluno, constituem uma das modalidades mais difundidas de aconselhamento. A orientação vocacional, conjunto de técnicas aplicadas ao indivíduo para descobrir suas aptidões e encaminhá-lo a um bom exercício profissional, é praticada nos próprios estabelecimentos de ensino ou por instituições especializadas.

As pesquisas no campo da psicologia do trabalho constataram que o ajustamento social e emocional é fator preponderante na produtividade do trabalhador. A maior parte das grandes empresas conta com gabinetes de assistência psicológica, cuja função é promover esse ajuste. O serviço social em geral incorporou a prática do aconselhamento, já que a livre expressão das cargas emocionais é considerada tão importante quanto os benefícios financeiros e a assistência médica.

As técnicas tradicionais de aconselhamento prescreviam uma atitude passiva do cliente em relação ao conselheiro, que dirigia o processo e era o único a dar informações e sugestões. Os métodos modernos consideram o aconselhamento uma relação bipolar equilibrada, na qual o conselheiro ajuda o cliente a compreender e resolver seus problemas, especialmente nas áreas educacional, social e profissional. O cliente é estimulado a assumir uma atitude dinâmica e participante na busca de seus próprios caminhos.

Teorias de aconselhamento - Em geral, as teorias de aconselhamento praticadas na atualidade obedecem a duas linhas fundamentais, segundo sejam coercitivas ou mais abertas à participação do cliente: as teorias diretivas e as não diretivas.

Na teoria de traços e fatores, o conselheiro conserva a iniciativa do processo, selecionando os assuntos a debater, definindo os problemas e sugerindo soluções. Como num atendimento médico, o histórico do caso, o diagnóstico e o prognóstico são etapas indispensáveis. Os testes psicológicos têm amplo emprego.

Na teoria centrada no cliente, desenvolvida principalmente por Carl Rogers, o desempenho do conselheiro consiste na compreensão do comportamento e esclarecimento das vivências do cliente. As entrevistas se realizam em ambiente favorável à conquista de soluções pelo próprio cliente. O uso de testes psicológicos e a formulação de diagnósticos são considerados irrelevantes.

A teoria comportamental baseia-se no princípio de que todo comportamento é aprendido e passível de alteração. O objetivo do aconselhamento é obter modificações no comportamento a fim de torná-lo mais adaptativo. O diagnóstico e a aplicação de testes ocorrem eventualmente.

A teoria eclética caracteriza-se pelo emprego de conceitos e técnicas baseadas nas diversas correntes de aconselhamento. O conselheiro aproveita as técnicas que considera indicadas em cada caso, sendo para isso indispensável a elaboração de diagnóstico.

www.klimanaturali.org