Negrinho do Pastoreio

Negrinho do Pastoreio

Negrinho do PastoreioSegundo a lenda dos pampas gaúchos, Negrinho do Pastoreio era um pequeno escravo, maltratado por seu dono, fazendeiro avarento e cruel. Por ter perdido a tropilha que pastoreava, foi surrado e, ainda sangrando, atirado num formigueiro, onde morreu. Diz a lenda que o Negrinho reapareceu, montado num cavalo baio, à frente de uma nova tropilha, invisível, da qual se ouve apenas o som.

Tradicional personagem de uma lenda popular do Rio Grande do Sul, o Negrinho do Pastoreio transformou-se em mito em todo o Brasil. Ainda hoje surgem esporadicamente atos de devoção ao suposto mártir.

A lenda diz que o Negrinho do Pastoreio é afilhado de Nossa Senhora e faz aparecerem objetos perdidos. Para que isso se efetive, é necessário acender, nas campinas, cotos de vela. O tema foi aproveitado literariamente pelo escritor Simões Lopes Neto em sua coletânea Lendas do Sul. A mesma lenda é difundida nos pampas uruguaios e argentinos. O folclorista Luís da Câmara Cascudo afirma que o mito é religioso, de fundamento católico e europeu, dada a atribuição de qualidades divinas ao martirizado negrinho.

www.klimanaturali.org