Filo Nemertinos

Tags

Filo Nemertinos

Filo Nemertinos

O filo dos nemertinos compreende vermes carnívoros, às vezes venenosos e em geral marinhos, que vivem principalmente em águas costeiras, onde se abrigam em cavidades, sob pedras, no lodo, na areia ou nos emaranhados de plantas. Os nemertinos podem ser vermelhos, amarelados, verdes, brancos e às vezes têm estrias. Há contudo espécies que vivem a 1.500m ou mais de profundidade. Algumas formam tubos de muco (ou de outra substância mais resistente), dentro dos quais se encerram. Há também espécies terrestres, que se protegem das secas por meio de intensa produção de muco, e espécies de água doce, que encontram nos lagos, poços e rios seu habitat mais típico.
 
Animais vivos ou mortos, de preferência anelídeos, mas também moluscos, crustáceos e peixes, são os alimentos dos nemertinos, capazes de ficar até um ano sem comer. Nesse caso, o corpo do animal diminui de tamanho enquanto células mesenquimatosas (fagócitos) devoram pigmentos e outras células e invadem o tubo digestivo, que degenera. Esses fagócitos por fim se desintegram e fornecem alimento ao animal esfomeado.

O corpo dos nemertinos, com menos de um milímetro até vários centímetros de comprimento, é alongado, cilíndrico ou ligeiramente achatado. Há uma espécie que, quando distendida, pode atingir 25m. A cabeça mal definida apresenta um poro do qual se projeta uma probóscida, dotada eventualmente de um pequeno estilete. A probóscida é usada na captura de alimentos, na defesa e na locomoção. O estilete é usado para injetar nas presas um fluido tóxico.

O sistema nervoso dos nemertinos se compõe de cérebro (ou gânglios cerebrais) e uma rede de nervos. Outros órgãos sensoriais importantes são os sulcos ciliados e as rugas na cabeça, com provável função táctil, e os olhos (2 a 250) sob a epiderme. Alguns nemertinos, como os do fundo do mar, não têm olhos.

A maioria dos nemertinos é dioica, mas há espécies hermafroditas, principalmente de gêneros terrestres e de água doce. As gônadas são simples sacos que se abrem diretamente no exterior. Nos hermafroditas, as gônadas masculinas e femininas podem situar-se num mesmo saco ou em sacos separados. Exceto em algumas espécies vivíparas, os ovos são postos em massa gelatinosa produzida pelas glândulas epidérmicas, soltos ou envolvidos por cápsulas produzidas pelo ovário. A reprodução costuma ocorrer uma vez por ano.

A respiração dos nemertinos se dá através da superfície do corpo, por difusão. Existem espécies, porém, que bombeiam água para a porção anterior do tubo digestivo que, nesse caso, tem as paredes revestidas de lacunas irrigadas pelo sangue, nas quais ocorre a troca de gases. O aparelho circulatório consiste de um par de vasos laterais, mas pode haver ainda um vaso dorsal.

www.klimanaturali.org