Franquia e Licenciamento

Franquia e Licenciamento

Franquia e Licenciamento

Franquia (em inglês, franchising) é um contrato mediante o qual uma empresa concede a outras empresas, em troca de remuneração, o direito de comercialização de suas marcas, produtos ou serviços. A empresa franqueada não mantém com a franqueadora um vínculo de subordinação, mas dela recebe ajuda para expandir o mercado. Além da concessão de licença para o uso da marca pelo franqueado, do compromisso de assistência técnica prestada pelo franqueador e das condições de fornecimento de bens ao franqueado, o contrato estabelece a forma como deverá ser operado o negócio, o que inclui determinações sobre o projeto arquitetônico das instalações, sistemas de controle de estoque, orientação para a elaboração de fluxos de caixa e treinamento de pessoal.

Atividade que se expandiu na segunda metade do século XX, em virtude da ultramodernização da mercadologia, a franquia distingue-se basicamente do licenciamento por transferir know-how ou tecnologia específica.

Por seus menores riscos de investimento, uma vez que as marcas, produtos e serviços têm larga aceitação no mercado, a franquia teve grande êxito como sistema de distribuição e comercialização. Seu início data de 1860, quando, para ampliar sua participação no mercado a empresa americana Singer Manufacturing Company permitiu que vários comerciantes, com seu próprio capital, explorassem a marca Singer para vender os produtos da empresa. Mas só após a segunda guerra mundial o sistema de franquias se expandiu por todo o mundo. A cadeia de lanchonetes MacDonald's é o melhor exemplo dessa difusão. No Brasil, as franquias se desenvolveram principalmente após a década de 1970, com a expansão dos shoppings centers.

Licenciamento (em inglês, licensing) consiste na utilização de um nome, personagem ou evento de repercussão para fins mercadológicos. Baseia-se na constatação de que tais elementos podem transferir o prestígio de que gozam para um determinado produto ou serviço, ou para uma campanha publicitária. O detentor dos direitos sobre o nome, personagem ou evento concede o licenciamento mediante remuneração previamente combinada, em forma de royalties ou de uma taxa, e dentro de especificações de uso a serem estritamente cumpridas pelo licenciado.

O licenciamento surgiu do entrosamento entre as técnicas de comercialização e de comunicação. A observação e a análise permanente dos veículos e marcas e de seu nível de aceitação pelo público levou alguns produtores a adicionarem a seus produtos personagens de grande prestígio no imaginário do público, como é o caso da utilização de personagens de histórias em quadrinhos em produtos infantis como alimentos, roupas, brinquedos, jogos etc.

http://www-geografia.blogspot.com.br/