Crime e Castigo | Fiódor Dostoiévski

Crime e Castigo | Fiódor Dostoiévski

Crime e Castigo | Fiódor Dostoiévski– "E se fosse eu quem tivesse assassinado a velha e Lisavieta? – exclamou de repente, e... recuperou a sua lucidez. Zamiótov olhou para ele assustado e ficou lívido. O seu rosto simulou um sorriso.

– Mas será possível? – exclamou com uma voz quase imperceptível.

Raskólhnikov lançou-lhe um olhar de ódio.

– Confesse que acreditava – disse por fim, fria e ironicamente. – Ai, não! Ai, não!

– De maneira nenhuma! Agora menos do que nunca! – declarou Zamiótov precipitadamente.

– Acabou por cair na armadilha! O melro branco foi apanhado! Donde se conclui que, se agora não o crê menos do que nunca, é porque, dantes, acreditava nisso.

– Nada disso, nada disso! – exclamou Zamiótov, visivelmente sobressaltado. – Foi o senhor quem me assustou e me levou para esse campo.

– Então não acredita? Mas de que se puseram os senhores a falar na minha ausência, quando eu saí do comissariado? E por que é que o Tenente Pórokhov me fez aquelas perguntas, depois que voltei a mim, do meu desmaio?"

www.megatimes.com.br

www.klimanaturali.org