Galo-das-Trevas | Pedro Nava

Galo-das-Trevas | Pedro Nava

Galo-das-Trevas | Pedro Nava"Lembram certos sobradões da Bahia. O 35 já é outro arranha-céu. Em frente, sem placa de numeração (mas entre o 32 e 36) ressalta um dos mais lindos chalés do bairro. As duas águas são alegradas na frente pelo rendado leve dos lambrequins e na parte mais alta da fachada, duas janelinhas para arejamento do forro, conjugadas e protegidas por grade de serralheria tão cheia de curvas, alças, protuberâncias, bossas que nos seus restos de prateado o ferro se liquefaz e fica parecendo quebrado de espuma da crista de onda que fosse imobilizado na graça de sua posição –como em chapa de fotografia instantânea. Vêm depois, do lado par, sobradões de portas e janelas com cercadura de granito. No lado ímpar eu vejo há dois anos o muro onde está gravada a capricho e a indelével piche a palavra CORNO e depois seta que aponta um portão. Acho reprovável a indicação assim omissa: devia ser seguida da informação BRAVO ou MANSO –esclarecedora dos interessados. o 59 dir-se-ia que é sonoro como as clochetes da elevação, na missa. Esse zirzumbir prateado vibra retine nas serralherias das sacadas e do portão. Minhalma se entristece com a reforma aviltante por que passou o velho 67."

www.megatimes.com.br

www.klimanaturali.org