Morte do Caixeiro Viajante | Arthur Miller


Morte do Caixeiro Viajante | Arthur Miller

Morte do Caixeiro Viajante | Arthur Miller
" Charley
Já está escurecendo, Linda.
Ela não reage. Olha para a tumba.)

Biff
Vamos, mamãe? Você precisa descansar. Eles já vão fechar o cemitério.
(Ela não se mexe. Pausa.)

Happy (profundamente ressentido)
Ele não tinha o direito de fazer isso. Não havia necessidade. Nós o teríamos ajudado.

Charley – (murmurando)
Humm...

Biff
Vamos, mamãe.

Linda
Por que não veio ninguém?

Charley –
Foi um enterro muito digno.

Linda
Mas onde estão todos aqueles que ele conheceu? Quem sabe eles o culparam?

Charley
Não. É um mundo cruel, Linda. Ninguém o culpou.

Linda
Não compreendo. Principalmente agora. Pela primeira vez em trinta e cinco anos, estava tudo pago. Ele só precisava de um pequeno salário. Até o dentista estava pago.

Charley
Homem algum precisa apenas de um pequeno salário.

Linda
Não compreendo.

Biff
Houve muitos dias felizes. Quando ele voltava de uma viagem; ou aos domingos, quando ele construía a varanda; terminando o porão, fazendo o novo alpendre; quando construiu o outro banheiro ou quando fez a garagem. Sabe de uma coisa, Charley, existe mais de meu pai ali naquela varanda do que em todas as vendas que ele fez.

Charley
É. Ele era um homem feliz com uma pá cheia de cimento.

Linda
Era tão maravilhoso com suas mãos.

Biff
Teve os sonhos errados. Todos errados.

Happy (quase pronto a brigar com Biff)
Não diga isso!

Biff
Ele nunca soube quem ele era.

Charley (detendo o movimento e a resposta de Happy; a Biff) Que ninguém acuse este homem. Você não compreende. Willy era um caixeiro-viajante. E para um caixeiro-viajante, não há terra firme na vida. Ele não coloca uma rosca num parafuso. Não diz qual é a lei nem receita um remédio. É um homem solto no espaço, cavalgando num sorriso e num sapato brilhante. E se eles não devolvem o sorriso... é um terremoto. E quando surgem algumas manchas no chapéu, está liquidado. Que ninguém acuse este homem. Um caixeiro-viajante precisa sonhar, rapaz. Faz parte de sua vida."