O Teatro da Crueldade | Antonin Artaud

O Teatro da Crueldade | Antonin Artaud

"Admitido ou não admitido, consciente ou inconsciente, o estado poético, um estado transcendente de vida, é no fundo aquilo que o público procura através do amor, do crime, das drogas, da guerra ou da insurreição. O Teatro da Crueldade foi criado para devolver ao teatro a noção de uma vida apaixonada e convulsa; e é neste sentido de rigor violento, de condensação extrema dos elementos cênicos, que se deve entender a crueldade sobre a qual ele pretende se apoiar. Esta crueldade, que será, quando necessário, sangrenta, mas que não o será sistematicamente, confunde-se portanto com a noção de uma espécie de árida pureza moral que não teme pagar pela vida o preço que deve ser pago.

1. Do Ponto de Vista do Fundo

quer dizer, dos assuntos e temas tratados: O Teatro da Crueldade escolherá assuntos e temas que correspondam à agitação e à inquietude característica de nossa época. Não pretende abandonar para o cinema a tarefa de produzir os Mitos do homem e da vida modernos. Mas fará isso de um modo que lhe é próprio, isto é, em oposição ao deslizamento econômico, utilitário e técnico do mundo, porá em moda outra vez as grandes preocupações e as grandes paixões essenciais que o teatro moderno cobriu sob o verniz do homem falsamente civilizado. Esses temas serão cósmicos, universais, interpretados segundo os textos mais antigos, tirados das velhas cosmogonias mexicana, hindu, judaica, iraniana etc. Renunciando ao homem psicológico, ao caráter e aos sentimentos bem delimitados, é ao homem total e não ao homem social, submetido às leis e deformado pelas religiões e pelos preceitos, que esse teatro se dirigirá. E desse homem ele pegará não apenas o recto mas também o verso do espírito; a realidade da imaginação e dos sonhos surgirá em igualdade de condições com a vida."

www.klimanaturali.org