Austrália, Aspectos Gerais da Austrália

Austrália, Aspectos Geográficos e Socioeconômicos da Austrália

Mapa da Austrália
Geografia: Área: 7.682.300 km². Hora local: +13h. Clima: árido tropical (maior parte), subtropical (SE), tropical (N e NO), mediterrâneo (S). Capital: Canberra. Cidades: Sydney (4.085.600), Melbourne (3.466.000), Brisbane (1.626.900), Perth (1.381.100), Adelaide (1.096.100), Newcastle (483.300), Canberra (310.150) (aglomerações urbanas) (2016).

População: 23 milhões (2016); nacionalidade: australiana; composição: europeus 95% (principais: britânicos), asiáticos 3,5%, grupos étnicos autóctones 1,5%. Idioma: inglês (oficial). Religião: cristianismo 79,3% (católicos 28,6%, anglicanos 21,5%, protestantes 13,9%, sem filiação 12,6%, outros 9,4% - dupla filiação 6,7%), sem religião 14,5%, outras 4,4%, ateísmo 1,7%.

Relações Exteriores: Organizações: Apec, Banco Mundial, Comunidade Britânica, FMI, OCDE, OMC, ONU. Embaixada: Tel. (61) 226-3111, fax (61) 226-1112 – Brasília (DF); e-mail: embaustr@zaz.com.br, site na internet: www.embaixada-australia.org.br.

Bandeira da AustráliaGoverno: Monarquia parlamentarista. Div. administrativa: 6 estados e 3 territórios. Partidos: Liberal da Austrália (LPA), Trabalhista Australiano (ALP), Nacional da Austrália (NAP), dos Democratas Australianos (AD). Legislativo: bicameral – Senado, com 76 membros; Casa dos Representantes, com 150 membros. Constituição: 1901. Territórios administrados: ilhas Cocos, Christmas e Norfolk.

Canberra, capital Australiana
Canberra, capital Australiana
Sydney
Sydney
Um dos maiores países do mundo, a Austrália forma a massa continental da Oceania. Apresenta grande diversidade de paisagens: florestas tropicais, desertos, montes nevados e praias. Ao longo da costa nordeste fica a formação de corais mais importante do planeta, a Grande Barreira Coralina. O país se destaca pela criação de ovelhas e é um dos líderes na exportação de carvão e importante produtor de minério de ferro e ouro. Com alto padrão de vida, é a nação com o terceiro melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Quase dizimados pelos colonizadores, os aborígenes, os primeiros habitantes do território, reivindicam maior espaço na sociedade.

História da Austrália

Os povos chamados aborígenes habitam as terras que formam a Austrália desde, pelo menos, 45 mil anos antes de Cristo. Calcula-se que a população no território estava entre 150 mil e 350 mil pessoas antes da chegada dos colonizadores europeus (hoje são aproximadamente 60 mil). Depois das incursões de holandeses, portugueses e franceses nas terras australianas, o explorador inglês James Cook desembarca em 1770 na ilha, consolidando a posse britânica. Em 1788 é estabelecida uma colônia penal para criminosos ingleses. A população começa a crescer com a chegada maciça de imigrantes. A economia se desenvolve com a transformação de vastas regiões em pastagens e em decorrência da corrida do ouro na segunda metade do século XIX. No fim desse século, as regiões de Melbourne e Sydney encontram-se bastante urbanizadas.

Constituição – Em 1901, seis colônias britânicas (Nova Gales do Sul, Tasmânia, Queensland, Victoria, Austrália do Sul e Austrália Ocidental) criam a Comunidade da Austrália, além de formar um Parlamento. A Constituição entra em vigor em 1° de janeiro de 1901, mas a nova federação continua a ter como chefe de Estado formal o soberano do Reino Unido. A Austrália se envolve de forma expressiva nas duas guerras mundiais do século XX, sempre ao lado das tropas britânicas. De 1945 a 1973 chegam ao país mais de 2 milhões de imigrantes europeus. A partir de então são revogadas leis racistas que impediam a imigração de não-brancos, o que favorece a instalação de asiáticos e de nativos das ilhas do Pacífico. As lutas pela ampliação dos direitos da população aborígene já são marcantes desde o fim da década de 1960.

Plebiscito – Nas últimas décadas, três partidos se alternam no poder: o Trabalhista Australiano (ALP), o Liberal da Austrália (LPA) e o Nacional da Austrália (NAP). Nas eleições de 1996, o ALP é derrotado por uma coalizão do LPA e do NAP liderada por John Howard, que assume o governo. Em 1999, os australianos decidem, em plebiscito, pela manutenção da monarquia, em que o chefe de Estado permanece sendo a rainha Elizabeth II. Rejeitam também emenda constitucional que visava ao reconhecimento dos aborígines como "o primeiro povo da nação". Essa questão ganha destaque, em 2000, durante as Olimpíadas de Sydney. Uma atleta aborígine é escolhida para acender a tocha olímpica na cerimônia de abertura dos Jogos. O Conselho pela Reconciliação Aborígine, órgão criado pelo Parlamento, reconhece, nesse mesmo ano, que os habitantes nativos do país têm expectativa de vida mais baixa e acesso limitado à educação, em comparação com os descendentes de europeus.

Em 2001, a recusa do governo em acolher refugiados que aportam no território australiano de Ilha Christmas evidencia a firme posição do governo contra a imigração ilegal. As más condições de vida nos campos de refugiados são condenadas pela Organização das Nações Unidas (ONU). O governo australiano se recusa a ratificar o Protocolo de Kyoto, que prevê a redução da emissão de gases que favorecem o efeito estufa, e argumenta que a adesão ao acordo poderia provocar desemprego.

Participação na guerra – Em fevereiro de 2003, Howard envia 2 mil soldados ao golfo Pérsico para apoiar a coalizão anglo-americana na guerra contra o Iraque, que começaria em março. A iniciativa provoca protestos. As tropas retornam em abril sem nenhuma baixa. Em maio, o governador-geral Peter J. Hollingsworth afasta-se do cargo sob a acusação de estupro e de ter encoberto casos de pedofilia no clero nos anos 1990, quando era arcebispo anglicano. É substituído por Michael Jeffery.Em setembro de 2004, o governo anuncia um programa de mísseis de cruzeiro para dar à Austrália a supremacia bélica na região. No mesmo mês, uma bomba explode em frente à embaixada australiana em Jacarta, na Indonésia, matando nove pessoas. Em outubro, após vencer as eleições legislativas federais, Howard forma seu quarto governo de coalizão entre o LPA e o NAP.

Territórios – A Austrália possui três territórios: ilhas Cocos, Christmas e Norfolk.
Flying Fish Cove
Flying Fish Cove

Ilhas Christmas

Área - 135 km².
População - 1.620 (2016).
Idiomas - inglês (oficial).
Capital - Flying Fish Cove.

As Ilha Christmas é um Território australiano desde 1958, localiza-se no oceano Índico, a noroeste da Austrália, e tem população de maioria chinesa e religião budista. O fosfato é explorado desde 1990. Área: 135 km2. População: 1.508 (2010). Idioma: inglês (oficial). Capital: Flying Fish Cove.

Localizada no oceano Índico, a noroeste da Austrália, a ilha Christmas é um território australiano, com maioria da população de origem chinesa e seguidora do budismo. A extração de fosfato é a única atividade econômica significativa, mas o turismo está em expansão. Para preservar as várias espécies raras de vegetais e animais que habitam a ilha, o governo ampliou o parque nacional para 70% da área do território.

Ilhas Cocos Ilhas Cocos

As Ilhas Cocos é um Arquipélago constituído por 27 ilhas, das quais apenas Home e West são habitadas. Situadas no oceano Índico.Área: 14,2 km2. População: 626 (2010). Idiomas: inglês (oficial), malaio. Capital: West Island.

Este arquipélago, um território externo da Austrália, tem 27 ilhas, mas apenas Home e West são habitadas. Situadas no oceano Índico, a noroeste da Austrália, formam dois atóis de coral densamente recobertos por coqueiros. O coco é o único produto comercializado pelo território. A população local – em sua maioria muçulmana – traz da Austrália quase tudo o que consome.

Ilhas Norfolk Ilhas Norfolk

Área - 34,6 km².
População - 2.7 Mil (2011).
Idiomas - inglês (oficial), dialeto polinésio.
Capital - Kingston.

A Ilha Norfolk está situada a leste da Austrália, no oceano Pacífico, é uma antiga colônia penal. Os moradores descendem dos presos e de colonizadores vindos da ilha Pitcairn em 1856. Norfolk exporta sementes de pinus e tem também campos de petróleo e gás com grande potencial. Área: 34,6 km2. População: 2.601 (2010). Idiomas: inglês, dialeto polinésio. Capital: Kingston.

Situada a leste da Austrália e ao norte da Nova Zelândia, no oceano Pacífico, a Ilha de Norfolk é usada como colônia penal nos séculos XVIII e XIX. Seus habitantes são descendentes dos presos e também dos colonizadores que ali se estabelecem mais tarde. Dependência australiana a partir de 1913, Norfolk tem no turismo sua principal atividade econômica, desde a década de 1960. Sementes de pinus são exportadas e há um programa florestal para aumentar as reservas dessa árvore. A ilha tem também campos de petróleo e gás com grande potencial. Norfolk inclui ainda as ilhas Phillip e Nepean, desabitadas.

www.klimanaturali.org