Papua Nova Guiné, Aspectos Gerais de Papua Nova Guiné

Papua Nova Guiné, Aspectos Geográficos e Socioeconômicos de Papua Nova Guiné

PAPUA NOVA GUINÉ, ASPECTOS GEOGRÁFICOS E SOCIOECONÔMICOS DE PAPUA NOVA GUINÉGeografia – Área: 462.840 km². Hora local: +13h. Clima: equatorial. Capital: Port Moresby. Cidades: Port Moresby (310.000), Lae (83.000), Arawa (41.000), Mount Hagen (30.000), Madang (29.000) (2016).

População – 6,5 milhões (2016); nacionalidade: papuásia ou papua; composição: papuas 84%, melanésios 15%, outros 1%. Idiomas: inglês, pidgin, motu (oficiais), línguas regionais. Religião: cristianismo 95,1% (protestantes 56,6%, católicos 30%, outros 25,8% - dupla filiação 17,3%), crenças tradicionais 3,6%, outras 1,1%, sem religião 0,3%. Moeda: kina.

Relações Exteriores – Organizações: Apec, Banco Mundial, Comunidade Britânica, FMI, OMC, ONU. Embaixada: 1779, Massachusetts Avenue NW, suite 805, Washington D.C. 20036, EUA; e-mail: kunduwash@aol.com, site na internet: www.pngembassy.org.

Governo – Monarquia parlamentarista. Div. administrativa: 20 províncias. Chefe de Estado: rainha Elizabeth II, do Reino Unido. Partidos: da Aliança Nacional (NAP), Movimento Democrático do Povo (PDM), do Progresso do Povo (PPP). Legislativo: unicameral – Parlamento Nacional, com 109 membros. Constituição: 1975.

Bandeira de Papua Nova GuinéPapua Nova Guiné localiza-se ao norte da Austrália e ocupa a parte leste da segunda maior ilha do mundo – Nova Guiné –, o arquipélago de Bismarck e outras ilhas vizinhas. O território é coberto por florestas tropicais, com montanhas de até 4,5 mil metros, e vulcões ativos. Mais de 700 línguas e dialetos formam o grupo papua. Quase 75% da população economicamente ativa trabalha na agricultura, essencialmente de subsistência. A nação exporta ouro, cobre e petróleo, além de café e cacau. A exploração dos recursos é prejudicada pela topografia, que aumenta o custo da infra-estrutura.

História de Papua Nova Guiné

A ocupação na região remonta a alguns milênios antes da Era Cristã. No século XVI, o explorador português Jorge de Meneses alcança a costa da ilha. No século XIX, os colonizadores europeus dividem o arquipélago em três: ocidental, dos holandeses (província indonésia de Irian Jaya, atualmente chamada de Papua); setentrional, dos alemães; e meridional, dos britânicos. A administração britânica é transferida em 1906 para a Austrália, que, na I Guerra Mundial, ocupa o setor alemão. Tomado pelo Japão na II Guerra, o arquipélago volta ao controle da Austrália no fim do conflito. O país torna-se independente em 1975, integrando a Comunidade Britânica. Mantém relações tensas com a Indonésia, por apoiar os rebeldes de Irian Jaya.

Port Moresby, Capital de Papua Nova Guiné
Port Moresby, Capital de Papua Nova Guiné
Separatismo – Em 1988 começa uma rebelião separatista na ilha de Bougainville, que mata 20 mil pessoas em aproximadamente dez anos de conflito. Um acordo de paz, assinado em 1998, concede maior autonomia à ilha. No governo a partir de 1999, o primeiro-ministro Mekere Morauta, do Movimento Democrático do Povo (PDM), reata relações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e adota um programa de ajuste econômico. O Acordo de Loloata, de 2000, define a formação de um governo provincial interino em Bougainville.

Em 2001 é acertado um futuro plebiscito em Bougainville, com a opção de independência. Nas eleições legislativas de 2002, o Partido da Aliança Nacional (NAP) obtém 19 cadeiras, de um total de 109, enquanto o PDM conquista 13. Michael Somare (NAP) é eleito primeiro-ministro. Em setembro de 2003 é anunciado acordo com a Austrália, que prevê o envio de 300 policiais e servidores civis australianos ao país, para reforçar a segurança interna e assumir funções centrais no governo. Somare inicialmente reluta em aceitar a proposta, por temer perda da soberania nacional, mas acaba concordando. Em maio de 2004, o Parlamento elege o novo governador-geral, Paulias Matane. Em junho, é assinado oficialmente o acordo com a Austrália.

Fonte: http://www-geografia.blogspot.com.br/