Guerra Hispano-Americana

Guerra Hispano-Americana



Conflito armado entre os Estados Unidos e a Espanha que acontece em abril e maio de 1898. A guerra faz parte da estratégia norte-americana de expansão imperialista no mar do Caribe e no oceano Pacífico, regiões sob domínio espanhol.

A guerra hispano-Americana teve origem na luta de Cuba para se libertar da Espanha, iniciada em fevereiro de 1895. O governo americano, desde o início, mostrou simpatia pelos rebeldes. Em 15 de fevereiro de 1898, explodiu o cruzador americano Maine, que fora enviado ao porto de Havana para proteger os americanos radicados em Cuba e suas propriedades, matando 266 tripulantes. Um tribunal declarou que o Maine fora destruído por uma mina submarina e os Estados Unidos deram um ultimato à Espanha para sair de Cuba. A Espanha viu-se compelida a declarar guerra aos Estados Unidos em 24 de abril de 1898. A luta que se seguiu foi desigual, já que o exército e a armada espanhola não estavam preparados para enfrentar o poderio americano.

Guerra Hispano-AmericanaEm busca de um pretexto para a guerra, desde 1895 os EUA acompanham a luta de Cuba, então colônia espanhola, pela independência. A chance surge em fevereiro de 1898, quando o encouraçado norte-americano USS Maine, aportado em Havana, sofre uma explosão de autoria nunca esclarecida. O incidente ocorre em meio à revolta cubana contra as tarifas dos EUA, que ocasionam um colapso no mercado de açúcar. A Espanha, por causa da inferioridade militar, tenta evitar o confronto. Mas os EUA são intransigentes e consideram a guerra como a primeira oportunidade de se projetar na política internacional. Em abril, o governo norte-americano declara guerra à Espanha, que se rende em 1º de maio. A derrota espanhola marca o fim de seu domínio sobre Cuba e Porto Rico e o início do imperialismo norte-americano pelo mundo. Os EUA se transformam em herdeiros da Espanha no Caribe e no Pacífico: anexam Porto Rico, Filipinas e a ilha de Guam e incorporam formalmente o Havaí, seu protetorado desde 1875. Cuba também é cedida aos EUA, tornando-se independente em 1902.


Em consequência da guerra hispano-americana, a Espanha perdeu os últimos redutos de seu império na América e no Pacífico. Os Estados Unidos ganharam novos territórios e áreas de influência e começaram a se transformar numa potência mundial.

Nas Filipinas, a frota espanhola foi destruída pela superioridade esmagadora do adversário. A frota do Caribe, sob o comando do almirante Pascoal Cervera, ao ser ameaçada em Santiago de Cuba pelo desembarque do exército americano, viu-se obrigada a deixar o porto. A batalha que se seguiu foi catastrófica para a Espanha. Em 17 de julho, Santiago capitulou diante das tropas americanas, pondo fim à guerra. Na Ásia, a capital filipina foi ocupada pelas tropas americanas em agosto.

Pelo Tratado de Paris, assinado em 10 de dezembro de 1898, a Espanha renunciou à soberania sobre Cuba e cedeu Guam e Porto Rico para os Estados Unidos, que assumiram também o controle das ilhas Filipinas, mediante pagamento de vinte milhões de dólares à Espanha. A Guerra Hispano-Americana trouxe modificações importantes para a história de ambos os antagonistas. A Espanha, derrotada, desviou a atenção das aventuras coloniais e concentrou-a nos graves problemas internos. Os Estados Unidos saíram da guerra transformados em potência mundial, com possessões ultramarinas de grande valor estratégico e com um novo peso na política internacional.


http://www.klimanaturali.org
http://www.geografiatotal.com.br