domingo, 2 de abril de 2017

Pântanos, Ecossistemas de Terrenos Parcialmente Inundados

Pântanos, Ecossistemas de Terrenos Parcialmente Inundados

Pântanos, Ecossistemas de Terrenos Parcialmente Inundados

Os férteis limos retidos pela vegetação herbácea e arbustiva dos pântanos costumam permitir uma proveitosa exploração agrícola, mas muitas zonas pantanosas podem também ser utilizadas para pastoreio ou extração de turfa.

Pântano é um tipo de ecossistema constituído de terrenos parcialmente inundados e cobertos de vegetação. Forma-se geralmente em zonas em que não existe uma rede hidrográfica capaz de dar vazão à totalidade das águas acumuladas. Os pântanos são também frequentes na foz de grandes rios, sobretudo nos deltas, devido à sedimentação de aluviões e limos em terras ao nível do mar.

Nas regiões tropicais e sub-tropicais, as marismas (zonas pantanosas costeiras submetidas ao fluxo e refluxo das marés) apresentam vegetação de mangues formada de arbustos e árvores de folhas perenes, adaptados à salinidade. Marisma muito característica é a de Everglades, na Flórida. Entre os rios importantes que formam zonas pantanosas ou marismas em suas desembocaduras figuram o Ródano, o Guadalquivir e o Danúbio na Europa, o Nilo na África, o Tigre e o Eufrates no Oriente Médio, o Mekong no Vietnã, e o Mississippi e o Amazonas no continente americano.

Outras zonas pantanosas se formam em terrenos, no interior dos continentes, para onde confluem as águas de uma bacia fechada, como no caso dos pântanos do Okavango, a leste do deserto africano de Kalahari. As planícies inundáveis por grandes rios, as grandes superfícies de erosão glacial do período quaternário, os vales de rios que perderam caudal e os meandros abandonados por um curso fluvial são lugares em que facilmente se formam pântanos.

www.klimanaturali.org