Indústria Química

Tags

Indústria Química

Indústria QuímicaA Indústria Química é a que manufatura produtos, em grande escala, mediante o emprego de processos químicos. Suas matérias-primas principais são os combustíveis fósseis (carvão, gás natural e petróleo), água, sal, calcário, enxofre e outros materiais específicos, como fosfatos e o mineral espatoflúor. Entre os inúmeros materiais fabricados pela indústria química se incluem plásticos, detergentes, perfumes, tintas, vernizes, fertilizantes, inseticidas, além de fibras e materiais sintéticos.

A indústria química é, paradoxalmente, a melhor cliente de si própria. Um produto químico comum passa de uma fábrica a outra várias vezes antes de estar pronto para chegar ao mercado consumidor.

Não são muito definidas as fronteiras da indústria química. A indústria petroquímica, por exemplo, é comumente considerada uma atividade separada, pois em seus primórdios, no século XIX, o petróleo cru era submetido a um simples processo de destilação. O processamento industrial moderno do petróleo, porém, envolve alterações químicas, e alguns produtos oriundos de uma refinaria moderna são, de qualquer ponto de vista, produtos químicos. Normalmente, porém, utiliza-se o termo petroquímica para descrever esses processos químicos. Também a produção de metais poderia incluir-se na indústria química, já que seus processos muitas vezes envolvem reações químicas, mas comumente se trata esse ramo separadamente como metalurgia. A produção de aço chama-se siderurgia.

Características gerais A finalidade primordial da indústria química é a conversão de matérias-primas em produtos que, segundo seu afastamento em relação ao usuário final, podem ser primários, secundários ou terciários. Os primários são os mais afastados, mas uma das principais características da indústria química é o fato de seus produtos quase sempre exigirem processamento posterior antes de chegarem ao consumidor final. Assim se configura a situação paradoxal em que indústrias químicas assumem o papel de principais clientes de outras do mesmo ramo. Os produtos químicos passam de uma indústria a outra em diferentes estados de acabamento até chegarem finalmente ao mercado.

Ao mesmo tempo, há grande competição entre produtos similares de diferentes marcas, e até mesmo entre um mesmo material acabado, pois os custos de fabricação apresentam diferenças em função dos variados processos de elaboração. Assim, o auto-abastecimento e a acirrada competição fazem do setor químico uma indústria relativamente fechada, com canais de distribuição próprios e bem definidos.

A competitividade característica da indústria química, e dos produtos químicos, exige grandes investimentos em pesquisa. Foi graças à pesquisa que, a partir da década de 1950, uma enorme variedade de produtos que, em qualidade e variedade crescentes, ampliaram notavelmente o mercado de fertilizantes, cosméticos, desinfetantes, plásticos e medicamentos. Esse investimento se deu particularmente nos países altamente desenvolvidos, como Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, França, Itália e outros países europeus, líderes da fabricação mundial de produtos químicos. Na década de 1960, também o Japão surgiu como grande produtor em certas áreas.

Ramos da indústria químicaA classificação dos diferentes ramos da indústria química é difícil devido ao grande alcance e à variedade de seus processos associados. Em linhas gerais, distinguem-se três grandes campos de aplicação: a indústria pesada de materiais inorgânicos, que começou no século XVIII a partir da fábrica do médico francês Nicolas Leblanc, patrocinada pelo duque de Orleans; a indústria química fina, produtora de substâncias em pequenas quantidades para fins específicos; e a indústria pesada de material orgânico (ou petroquímica), que foi separada da inorgânica a partir da década de 1960 graças à importância crescente de sua produção.

Dentro da indústria inorgânica pesada, observam-se duas subdivisões estabelecidas em função de seus produtos mais importantes: a produção de substâncias alcalinas, como o carbonato de sódio, obtido mediante o chamado processo Solvay e métodos eletrolíticos, nos quais se usam correntes elétricas de diferentes intensidades para desencadear as reações; e a fabricação de ácidos, em especial do ácido sulfúrico, que é o principal produto químico manufaturado em escala mundial.

Pela própria natureza de seus produtos, as indústrias químicas finas são orientadas para o consumidor. Dedicam-se em especial à obtenção de medicamentos, tintas e corantes. A indústria orgânica pesada trata dos produtos ligados à química do carbono, com especial atenção ao tratamento dos hidrocarbonetos aromáticos, que produz polímeros como o náilon, alguns tipos de plásticos e derivados benzênicos, e dos hidrocarbonetos de cadeia linear, entre cujos produtos se inclui o etileno, o acetileno e plásticos (aminorresinas, vinil e elastômeros).

Produtos finais e aplicaçõesEntre os diversos tipos de produtos manufaturados resultantes dos tratamentos realizados em indústrias químicas, destacam-se, pelas quantidades produzidas, os fertilizantes, as substâncias alcoólicas, os compostos halogenados e o ácido sulfúrico e seus derivados. Os sais de potássio, os fosfatos e os compostos de nitrogênio são excelentes adubos, usados na fertilização de campos agrícolas. Já os compostos alcoólicos, como o metanol e o etanol são usados na indústria como desinfetantes e combustíveis.

Os compostos halogenados, como o ácido clorídrico e bromídrico, são usados por sua alta capacidade reativa e podem atuar quimicamente com outras substâncias. Uso semelhante tem o ácido sulfúrico, do qual se obtêm importantes derivados.

www.klimanaturali.org