Boxe, História do Boxe

Tags

Boxe, História do Boxe 

Boxe, História do Boxe Boxe é o tipo de luta na qual dois adversários trocam socos com as mãos protegidas por luvas acolchoadas, em combate travado num quadrilátero limitado por cordas.

Entre os ataques de seus detratores e o entusiasmo de seus apreciadores, o boxe é um esporte de massas, que cativa o grande público.

História do BoxeEm sua versão moderna, o boxe surgiu na última metade do século XVII, na Inglaterra, onde o primeiro campeão nacional foi James Figg, em 1719. Nessa época não havia limitação de tempo para as lutas, que só terminavam com a desistência de um dos adversários. Eram disputadas sem luvas, permitiam-se golpes de luta livre para derrubar o adversário e era comum um lutador atacar um oponente caído.

Entre 1734 e 1750, o inglês Jack Broughton foi o primeiro a contribuir para a sistematização do esporte. Ao deixar de lado as técnicas rudes de seus antecessores, deu maior ênfase ao jogo de punhos e pernas. Tais regras regeram o boxe até 1838, quando foram substituídas pelo código de Londres. No final do século XVIII, outro grande lutador inglês, John Gentleman Jackson, usando o jogo de pernas e de corpo derrotou Daniel Mendoza, conquistando o título inglês. Mendoza então abriu uma academia em Londres, introduziu no esporte o uso de luvas acolchoadas e atraiu para sua escola a elite inglesa. Daí surgiu a definição do boxe como sendo o "esporte dos nobres". As regras de 1867, que com ligeiras modificações regem o esporte até os dias atuais, foram estabelecidas por John Graham Chambers, do Clube Atlético Amador. As regras procuraram destacar a destreza e a arte dos lutadores.

Foi a partir de 1872 que os lutadores passaram a ser classificados em diversas categorias, conforme o peso de cada um. O ringue elevado, com isolamento de cordas dispostas em três alturas diferentes, surgiu em 1891. No início do século XX, o dentista inglês Jack Marks inventou o protetor de dentes, hoje universalmente adotado. Associações para controle e sistematização de lutas surgiram na Inglaterra, Estados Unidos e posteriormente em outros países europeus. Em 1904 o boxe foi incluído novamente entre os esportes olímpicos, ao lado da luta greco-romana.

O maior desenvolvimento do esporte veio com o profissionalismo. Com o tempo surgiram as duas organizações mais importantes do boxe mundial, a Associação Mundial de Boxe (AMB) e o Conselho Mundial de Boxe (CMB), cada uma delas com suas próprias listas de campeões. Alguns campeões conseguiram unificar seus títulos vencendo lutas organizadas pelas duas entidades. Para chegar ao título mundial o boxeador ou pugilista deve derrotar os adversários mais bem colocados nas listas das associações internacionais, publicadas mensalmente. Entre as disputas amadoras, a mais importante é a dos Jogos Olímpicos. Em geral os campeões olímpicos se tornam depois profissionais.

A origem anglo-saxônica do boxe moderno explica a hegemonia dos Estados Unidos nesse esporte durante a primeira metade do século XX. Posteriormente, boxeadores de todo o mundo, sobretudo de países latino-americanos, passaram a dominar em várias categorias. Mas a supremacia dos Estados Unidos persiste na tradicional categoria dos pesos-pesados, a que mais desperta interesse em todo o mundo, revelando nomes que se tornaram legendários na história do boxe, como Jack Dempsey, Rocky Marciano, Joe Louis, Cassius Clay (Mohamed Ali) e, mais recentemente, Mike Tyson.

Regras e golpes no Boxe

Regras e golpes no BoxeAs lutas são realizadas num quadrilátero (ringue) cercado por cordas e com sete metros de lado. As lutas dividem-se em assaltos com três minutos de duração. O número de assaltos em lutas de profissionais oscila entre quatro e 15. As de amadores são disputadas em três assaltos. Usam-se luvas acolchoadas de seis a oito onças (de 172 a 230 gramas) de peso. São consideradas faltas (fouls) golpes abaixo da cintura, cabeçadas, socar o adversário com uma das mãos enquanto a outra segura sua cabeça, atacar o adversário caído ou golpeá-lo na nuca.

As lutas podem ter uma das seguintes decisões: vitória por nocaute (o árbitro contará dez segundos a partir do momento em que constatar que um lutador está caído no chão por força de golpe bem dirigido); vitória por pontos; empate; vitória por nocaute técnico (o segundo principal jogará a toalha ou a esponja no ringue ou o árbitro constatará uma lesão que impeça o lutador de prosseguir); vitória por desclassificação (três faltas, aplicação de golpe proibido, simulação de recebimento de golpe, falta de combatividade, ou falta grave dos segundos); vitória por abandono. A luta sem decisão (no contest) acontecerá quando o árbitro a suspender por falta de combatividade dos dois pugilistas, estado precário do tablado ou alguma intervenção externa e irregular, como uma reação incontrolável do público.

Os golpes mais comuns são: o gancho, dado com o braço flexionado e de baixo para cima; o swing, desferido com o braço descrevendo um círculo (é golpe perigoso para quem o dá, por ficar com a guarda aberta); o jab, golpe rápido e curto, preparatório de golpes mais potentes. Um golpe perigosíssimo, se aplicado com violência e no tempo certo, é o uppercut, gancho curto, de baixo para cima, dirigido à ponta do queixo. Existem lutadores exímios na aplicação desse golpe, que já decidiu inúmeras lutas por nocaute. Atualmente o boxe está dominado por lutadores de socos poderosos, em prejuízo do que os aficionados do esporte chamam de "balé" no ringue. Dá-se maior ênfase à luta ofensiva, a curta distância, e ao corpo-a-corpo violento.

As atuais categorias profissionais são as seguintes: mosca, até 51kg; galo, até 54; pena, até 58; leve, até 62; meio-médio, até 67; médio, até 73; meio-pesado, até oitenta; e pesado, acima de oitenta. Há categorias intermediárias, como mosca-leve, até quarenta quilos; super-mosca, até 53; super-galo ou pena-ligeiro, até 59; super-leve ou meio-médio-ligeiro, até 64; super-meio-médio, ou médio-ligeiro, até setenta; e cruzador, até 86 quilos.

Críticas ao boxe O esporte vem sendo objeto de críticas e em alguns países existem movimentos visando sua proibição. Na Suécia o boxe foi proscrito em 1969 e na Noruega em 1982. Várias associações médicas, em todo o mundo, já se manifestaram contra o esporte, provando que ele pode causar lesões oculares e cerebrais. Tal pressão levou o Conselho Mundial de Boxe a reduzir de 15 para 12 o número de assaltos nas lutas válidas por títulos. Nos Jogos Olímpicos tornou-se obrigatório o uso de capacetes. Os médicos assistentes conquistaram o direito de suspender uma luta, mesmo que o árbitro se manifeste contra. Ainda assim, um elevado número de pugilistas tem morrido nos ringues ou sofrido sérias lesões físicas.

Boxe no BrasilEm 1914 o esporte começou a ser praticado na Società dei Canotieri Esperia (mais tarde, Clube Esperia). No final da década de 1920 chegou ao Brasil o técnico italiano Celestino Caversazio, que logo fez escola, mas somente em 1933 o Brasil conquistou um título internacional, com o marinheiro carioca Jaques Resende.

O país ganharia outros títulos sul-americanos, com Pedro Galasso e Éder Jofre, que foi o grande nome do boxe brasileiro. Outros brasileiros destacaram-se nos ringues, mas somente Miguel de Oliveira conseguiria repetir o feito de Éder Jofre, conquistando o título mundial dos médios-ligeiros, em 1975.

www.klimanaturali.org