Liechtenstein, Aspectos Gerais de Liechtenstein

Liechtenstein, Aspectos Geográficos e Socioeconômicos do Principado de Liechtenstein

LIECHTENSTEIN, ASPECTOS GEOGRÁFICOS E SOCIOECONÔMICOS DO PRINCIPADO DE LIECHTENSTEINGeografia: Área: 160 km². Hora local: +4h. Clima: de montanha. Capital: Vaduz. Cidades: Schaan (5.580), Vaduz (5.050) (2016).

População: 33 mil (2016); nacionalidade: liechtensteiniense; composição: alemães 73%, suíços 15%, outros 12%. Idiomas: alemão (oficial), alemão dialetal. Religião: cristianismo 93% (católicos 74,2%, sem filiação 10,5%, outros 8,1%), sem religião 3,9%, outras 3,1%. Moeda: franco suíço.

Relações Exteriores: Organizações: OMC, ONU. Embaixada: Tel. (61) 443-5500, fax (61) 443-5711 – Brasília (DF); e-mail: vertretung@bra.rep.admin.ch, site na internet: www.dfae.admin.ch/brasilia.

Governo: Monarquia parlamentarista. Div. administrativa: 11 comunas. Chefe de Estado: príncipe Hans-Adam II (desde 1989). Partidos: dos Cidadãos Progressistas de Liechtenstein (FBPL), União Patriótica (VU). Legislativo: unicameral – Parlamento, com 25 membros. Constituição: 1921.

Um dos menores países da Europa, com apenas 25 quilômetros de norte a sul, o Principado de Liechtenstein está situado nos Alpes Centrais. No oeste do território, as montanhas dão lugar às planícies férteis do vale do rio Reno. Desde o início do século XX, mantém fortes vínculos com a Suíça. O principado adota o franco suíço e delega a essa nação vizinha a administração das relações exteriores e dos serviços telefônicos e postais. Liechtenstein tem no turismo grande fonte de receitas e é sede de cerca de 75 mil empresas, atraídas pelos baixos impostos. As mulheres só conquistam direito de voto no país na década de 1980.

Bandeira de LiechtensteinHistória de Liechtenstein

O Principado de Liechtenstein é criado, em 1719, como feudo do Sacro Império Romano-Germânico, após a aquisição de seus domínios pela família austríaca Liechtenstein. Permanece ligado ao Império Austro-Húngaro até 1918, quando firma união aduaneira com a Suíça, que assume sua política externa. Em 1938, Francisco José II é coroado príncipe. Neutro na II Guerra Mundial, o país cresce rapidamente de 1945 a 1965. Em 1989, o príncipe Hans-Adam II assume o trono. O país assina, em 1995, acordo comercial com a União Europeia (UE).

Paraíso fiscal - Em junho de 2000, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) inclui o país na lista de paraísos fiscais que não cooperam no combate à evasão de divisas. As acusações fazem Liechtenstein mergulhar em grande crise. Nova legislação financeira é promulgada em dezembro, prevendo maior controle sobre as transações e abolindo contas correntes anônimas.

Vaduz, Capital de Liechteinstein
Vaduz, Capital de Liechteinstein
Nas eleições de 2001, o Partido dos Cidadãos Progressistas de Liechtenstein (FBPL) conquista 13 das 25 cadeiras do Parlamento e a União Patriótica (VU) obtém 11. Otmar Hasler (FBPL) passa a ser o primeiro-ministro. Relatório da OCDE de 2002 mantém o país na lista de paraísos fiscais. Em março de 2003, referendo popular aprova, com 64,3% dos votos, emendas à Constituição que aumentam o poder do príncipe. Ele passa a ter o direito de designar e destituir o governo, nomear juízes e vetar leis. Uma comissão do Conselho da Europa classifica as mudanças de retrocesso para a democracia. Em agosto de 2004, Hans-Adam II transfere o dia-a-dia do governo para seu filho Alois, mas mantém-se como chefe de Estado.


Fonte: http://www-geografia.blogspot.com.br/