Mali, Aspectos Gerais do Mali

Tags

Mali, Aspectos Geográficos e Socioeconômicos do Mali

MALI, ASPECTOS GEOGRÁFICOS E SOCIOECONÔMICOS DO MALIGeografia: Área: 1.240.142 km². Hora local: +3h. Clima: tropical (maior parte) e árido tropical (N). Capital: Bamaco. Cidades: Bamako (1.200.000) (aglomeração urbana), Sikasso (145.800), Ségou (104.000), Mopti (89.000), Koutiaba (81.000) (2016).

População: 15,6 milhões (2016); nacionalidade: malinesa; composição: bambaras 50%, fulanis 17%, voltas 12%, chongais 6%, tuaregues, dogões, peules, bozos e outros 15%. Idiomas: francês (oficial), línguas regionais (principais: bambara, fulani, sonrai, tamacheque, soninquê, dogão). Religião: islamismo 81,9%, crenças tradicionais 16%, cristianismo 2%, sem religião 0,1%. Moeda: franco CFA.

Relações Exteriores: Organizações: Banco Mundial, FMI, OMC, ONU, UA. Consulado Geral Honorário: Tel. (11) 5575-0404, fax (11) 5906-0633 – São Paulo (SP); e-mail: dapex@sti.com.br.

Governo: República com forma mista de governo. Div. administrativa: 8 regiões e 1 distrito. Partidos: Aliança pela Democracia no Mali – Panafricano pela Liberdade, Solidariedade e Justiça (Adema), União pelo Mali (RPM). Legislativo: unicameral – Assembleia Nacional, com 147 membros. Constituição: 1992.

O norte do Mali fica no deserto do Saara, região habitada por tribos nômades tuaregues. A maioria da população se concentra no centro e no sul do país, nas terras férteis banhadas pelo rio Níger. A agropecuária emprega 80% da mão-de-obra, mas as terras aráveis sofrem os efeitos da desertificação. Os principais produtos de exportação são algodão e ouro, cuja produção vem crescendo. O Mali tem o quarto pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da África e do mundo.

Bandeira do MaliHistória do Mali

No século XIII desenvolve-se na região o Império Mali, um dos centros de difusão da cultura islâmica na África, suplantado em meados do século XV pelo Império Songhai. Em 1898 se torna colônia da França, passando a se chamar Sudão Francês em 1904. Em 1959 forma com o Senegal a Federação do Mali, que dura pouco mais de um ano. A independência é conquistada em 1960, e o Mali torna-se uma república, com Modibo Keita como presidente. Seu governo nacionaliza as principais atividades econômicas. Em 1968, o tenente Moussa Traoré dá um golpe de Estado e governa o país até 1991, quando é derrubado por uma rebelião. No mesmo ano ocorrem confrontos entre o Exército e tribos tuaregues que voltavam ao Mali, após fugirem da seca. Um acordo de 1992 busca integrar os tuaregues, mas os conflitos continuam. As eleições presidenciais de 1992 são vencidas por Alpha Oumar Konaré, da Aliança pela Democracia no Mali – Partido Panafricano pela Liberdade, Solidariedade e Justiça (Adema), cujo governo adota austeridade econômica. Em 1997, Konaré é reeleito, em pleito boicotado pelos principais partidos de oposição.

Bamako, Capital do Mali
Bamako, Capital do Mali
O general reformado Amadou Toumani Touré, sem partido, vence as eleições presidenciais de 2002. Touré, que em 1991 havia deposto o ditador Traoré e governado o país por 15 meses, era candidato de oposição. Em março de 2004, o governo reúne-se com o comando do Exército dos Estados Unidos para tratar da luta contra o terrorismo na região do Saara.No fim de abril, o primeiro-ministro Ahmed Ag Amani é substituído por Ousmane Issoufi Maiga, anterior ministro dos Transportes. Em maio reaparece no Mali a poliomielite, que estava erradicada. A Nigéria é o foco da doença na região.

Fontehttp://www-geografia.blogspot.com.br/