Rio Paraguai e a Bacia do Paraguai

Rio Paraguai e a Bacia do Paraguai
Rio Paraguai e a Bacia do Paraguai
Rio Paraguai
Quinto rio em extensão da América do Sul, o Rio Paraguai banha os territórios do Brasil, Bolívia, Paraguai e Argentina. Principal afluente do Rio Paraná, rio que, ao juntar-se com o Uruguai, forma o rio da Prata, o Paraguai corre em sentido norte-sul, com inclinação pouco pronunciada, ao longo de 2.550km. Tem uma bacia hidrográfica de mais de 985.000m².

No idioma guarani, paraguay significa "rio das coroas de palmas", nome que se refere aos grandes palmeirais que margeiam o curso do Paraguai, rio que nasce no Brasil, atravessa terras paraguaias e desemboca no rio Paraná, perto da fronteira com a Argentina.

Com o nome de Pedras de Amolar, o rio Paraguai nasce no planalto central do Mato Grosso, 300m acima do nível do mar. Seu curso alto, estreito e recortado, torna-se navegável a partir da cidade de Cáceres (MT), a 240km da nascente. Após receber as águas do Jauru, o Paraguai penetra na região do pantanal mato-grossense e atinge a fronteira da Bolívia. Recebe então, pela margem esquerda, o Cuiabá, o Taquari e o Miranda, e marca um trecho da fronteira entre Brasil e Paraguai até encontrar-se com o Apa. Da confluência com o Apa, a 1.550km da nascente, até desembocar no Paraná, o Paraguai ocupa um leito largo e relativamente raso ao longo da planície pantaneira.

Em seguida, o rio Paraguai percorre 320km em território paraguaio e, após receber o Pilcomayo pela margem direita, delimita 240km de fronteira entre o Paraguai e a Argentina. Em seu curso baixo, de Assunção até a foz, atravessa a região das lombadas Valentinas, onde forma numerosos meandros, ilhas e pântanos. Nessa altura recebe afluentes caudalosos, como o Vermelho e o Tebiquari. Em seguida deságua no rio Paraná, perto da cidade argentina de Corrientes.

Rio Paraguai e a Bacia do Paraguai
Bacia do Paraguai
O regime fluvial do Paraguai varia muito em seus diversos trechos, ainda que no conjunto seja bastante regular. Nas cabeceiras e no pantanal é do tipo tropical, com cheias em fevereiro e secas entre julho e agosto. Ao sul de Corumbá MS, o caudal máximo é registrado após o outono, em julho, e o mínimo entre dezembro e janeiro. As planícies inundadas do pantanal, no norte, e do lago Ipacaraí, no sul, atuam como represas naturais e regulam o fluxo sazonal das águas. As margens do rio são marcadas por extensos bosques e savanas, e em suas águas vivem peixes como o dourado, a piranha e o pacu.

A bacia do Paraguai é escassamente povoada e tem restrito desenvolvimento econômico. As principais atividades são a pecuária e a agricultura de subsistência. Embora a profundidade do leito não permita o tráfego de navios de grande calado, a navegação nas águas do rio Paraguai é intensa, sobretudo no trecho compreendido entre Assunção e a desembocadura. Destacam-se ao longo de seu curso os portos de Corumbá e Porto Esperança, no Brasil; Puerto Suárez, na Bolívia; e Puerto Sastre, Concepción e Assunção, no Paraguai.

www.klimanaturali.org