Família Beauharnais | França

Tags

Família Beauharnais | França



O nome Beauharnais designa uma família da aristocracia francesa, do Orléanais, conhecida desde o século XV.

Bela, virtuosa e educada, ainda quase adolescente,  dona Amélia, da família Beauharnais, preencheu as exigências de D. Pedro I para desposá-la e tornou-se imperatriz do Brasil, embora sua linhagem não figurasse entre as mais nobres da Europa.

Alexandre, visconde de Beauharnais. Nascido em Fort-Royal de la Martinique, em 1760, casou-se com Joséphine de La Pagerie, que seria mais tarde mulher de Napoleão I e imperatriz Josefina da França. Combateu na guerra de independência dos Estados Unidos da América, foi deputado pela nobreza nos Estados Gerais e comandou o exército do Reno durante a revolução francesa. Criticado por não haver detido os prussianos em Mogúncia, demitiu-se. Julgado e condenado, foi guilhotinado em 23 de junho de 1794.

Família Beauharnais | França
Amélia, da família Beauharnais
Eugênio (Eugène) de Beauharnais. Militar e político nascido em Paris, em 3 de setembro de 1781, filho de Alexandre e enteado de Napoleão, mais tarde seu filho adotivo. Fez brilhante carreira militar: coronel aos 21 anos, general-de-brigada aos 23, distinguiu-se em Marengo, Raab, Wagram e também na campanha da Rússia de 1812. Feito príncipe e arquichanceler, governou com habilidade a Itália na qualidade de vice-rei. Fiel a Napoleão até o fim, foi obrigado a assinar o armistício de Schiarino-Rizzino com a Áustria, em 1814. Retirou-se então para a corte de Maximiliano I da Baviera, cuja filha, Amélia Augusta, havia desposado. Tornou-se duque de Leuchtenberg e príncipe de Eichstätt e morreu em Munique, em 21 de fevereiro de 1824.

Hortênsia de Beauharnais (Eugènie-Hortense). Rainha da Holanda, nasceu em Paris em 10 de abril de 1783. Irmã de Eugênio e enteada de Napoleão, seu casamento com Luís Bonaparte acabou em separação, apesar dos três filhos: Napoléon Charles, Napoléon Louis e Charles Louis Napoléon, este o imperador Napoleão III. Leal ao padrasto, foi banida em 1815 e, novamente, por Luís Filipe. Morreu em Arenenberg, Suíça, em 5 de outubro de 1837.

Amélia, D. (Maria Amélia Augusta Eugênia Napoleão de Beauharnais, duquesa de Leuchtenberg). Imperatriz do Brasil, nascida em Munique em 31 de julho de 1812. Segunda mulher de D. Pedro I, era filha de Eugênio de Beauharnais e neta da imperatriz Josefina. Depois de tentar impedir a abdicação, em 1831, acompanhou o marido a Paris, onde lhe nasceu a filha única, Maria Amélia de Bragança, princesa do Brasil, morta aos 22 anos. Dona Amélia morreu em Lisboa, em 26 de janeiro de 1873, e foi sepultada com a filha no mosteiro de São Vicente de Fora.

www.klimanaturali.org
www.geografiatotal.com.br