Rodeio (Jogo Hípico)

Tags

Rodeio (Jogo Hípico)

#Rodeio (Jogo Hípico)Rodeio é um exercício de caráter essencialmente hípico, que envolve concursos e exibições. Sua origem está nas atividades dos vaqueiros durante a era da pecuária semi-selvagem no oeste americano e norte do México, na segunda metade do século XIX. As cinco competições principais consistem em: montar cavalos bravos (broncos) encilhados e em pêlo, montar touros, laçar bezerros em plena corrida e derrubar novilhos pelos chifres.

Surgido das atividades próprias do cuidado e condução de gado, o rodeio transformou-se num espetáculo público que atrai grande número de espectadores em todo o continente americano. No Brasil, o rodeio conquistou enorme popularidade nas zonas pecuaristas do Sul e do Centro-Oeste, nas últimas décadas do século XX.

Os programas também podem incluir provas de destreza no laço e muitas outras. A corrida, em cavalos encilhados, em torno de uma série de barris é uma competição comum para mulheres. Mais da metade de todos os rodeios independe de feiras ou exposições de gado, e muitos se realizam em arenas dedicadas exclusivamente ao esporte. No Brasil, um dos maiores estádios para a prática de rodeio foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer na cidade de Barretos, em São Paulo. Construído em 1989, ele tem a forma de ferradura e capacidade para 35.000 pessoas.

As demonstrações de habilidade e arrojo que têm lugar no rodeio, assim como na vaquejada brasileira, devem ter surgido já nos primórdios da domesticação do gado. Como esporte, porém, o rodeio nasceu e se organizou como espetáculo tipicamente americano, principalmente no norte do continente. O gaucho sul-americano deixou poucas marcas no rodeio. A contribuição da Austrália foi pequena, a despeito da popularidade do rodeio naquele país, onde é muitas vezes chamado de "carnaval dos bosquímanos". Uma importação valiosa do exterior foi o gado zebu, utilizado na maioria das provas com touros.

Rodeio (Jogo Hípico)

Nos Estados Unidos, o rodeio encontrava-se já notavelmente desenvolvido nas últimas décadas do século XIX. Em 1882, um espetáculo patrocinado por William F. Cody, o Buffalo Bill, em Nebraska, atraiu cerca de mil competidores. Seu sucesso inspirou o Wild West Show, de Buffalo Bill, inaugurado em Omaha, no ano seguinte. O programa era essencialmente composto de números de rodeio.

Torneios como o Cheyenne Frontier Days, iniciado em 1897, tornar-se-iam populares encontros anuais. No início do século XX, mais de duas centenas de espetáculos itinerantes análogos popularizaram o cowboy e suas habilidades nos Estados Unidos e em todo o mundo. Em 1929 criou-se a Associação de Rodeio da América, para regulamentar o esporte. As regras hoje vigentes são, em geral, as da Associação dos Vaqueiros Profissionais de Rodeio.

Nas provas de laçar bezerros e derrubar novilhos, ambas cronometradas, os animais entram na arena em disparada. O bezerro deve ser laçado, derrubado e ter três patas amarradas, o que, nos campeonatos, deve ser feito em cerca de 16 segundos. Ao ser derrubado, o novilho deve ficar com a cabeça e as quatro patas em linha; um tempo comum em campeonatos é de 11 segundos, mas o recorde é de menos de dez.

Nas provas de montaria, o cavaleiro monta o animal antes da abertura do portão, e deve manter-se sobre ele segurando-se com apenas uma das mãos. O julgamento, com base num sistema de pontos, leva em conta o desempenho do animal e do montador. Os cavalos bravos não são treinados para atirar o cavaleiro ao chão. As regras do rodeio profissional proíbem ações violentas com a finalidade de irritar o animal. Em todas as provas de montaria, o concorrente é desclassificado se toca no animal ou nos arreios com a mão que está livre.

www.klimanaturali.org