Luxemburgo, Aspectos Gerais de Luxemburgo

Luxemburgo, Aspectos Geográficos e Socioeconômicos de Luxemburgo

LUXEMBURGO, ASPECTOS GEOGRÁFICOS E SOCIOECONÔMICOS DE LUXEMBURGOGeografia: Área: 2586,4 km². Hora local: +4h. Clima: temperado oceânico. Capital: Luxemburgo. Cidades: Luxemburgo (80.300), Esch-sur-Alzette (28.600), Differdange (17.600), Dudelange (17.500), Petange (14.200) (2016).

População: 460 mil (2016); nacionalidade: luxemburguesa; composição: luxemburgueses 69,7%, portugueses 10,8%, italianos 5%, franceses 3,4%, belgas 2,5%, alemães 2,2%, outros 6,4%. Idiomas: luxemburguês (oficial), alemão, francês. Religião: cristianismo 93,9% (católicos 94,4%, outros 3,7% - dupla filiação 4,2%), sem religião e ateísmo 4,5%, outras 1,6%. Moeda: euro.

Relações Exteriores: Organizações: Banco Mundial, FMI, OCDE, OMC, ONU, Otan, UE. Consulado Geral Honorário: Telefax (11) 251-4538 – São Paulo (SP); e-mail: consulate.lux@terra.com.br, site na internet: www.luxemburgo.com.

Governo: Monarquia parlamentarista. Div. administrativa: 3 distritos subdivididos em cantões. Chefe de Estado: grão-duque Henri (desde 2000). Partidos: Cristão Social (PCS), Operário Socialista Luxemburguês (POSL), Democrático (PD). Legislativo: unicameral – Câmara dos Deputados, com 60 membros. Constituição: 1868.

Situado entre Alemanha, França e Bélgica, Luxemburgo é o menor país membro da União Europeia (UE) e sede do Parlamento europeu. O grão-ducado destaca-se como centro financeiro internacional, favorecido pela localização. Investimentos estrangeiros no setor de serviços e na indústria leve compensam o declínio da siderurgia, base da economia até os anos 1970. O país tem a maior renda per capita do mundo.

Bandeira de  Luxemburgo História de Luxemburgo

Tribos belgas ocupam a região até a conquista romana, no último século antes de Cristo. Segue-se a ocupação dos francos. No século IX torna-se parte do império de Carlos Magno. Em 963, sob o comando de Siegfried, conde de Ardennes, passa a ser um Estado soberano. A nação alcança o apogeu em 1312, quando Henry IV, conde de Luxemburgo, é coroado imperador do Sacro Império Romano-Germânico, como Henry VII, e anexa a Boêmia (parte ocidental da atual República Tcheca). Em 1867, Luxemburgo passa a ser um Estado neutro associado aos Países Baixos (Holanda). Na I Guerra Mundial, a Alemanha ocupa o grão-ducado. Durante a II Guerra Mundial é novamente invadido pelos alemães, que permanecem até 1944. Em 1948, Luxemburgo, Bélgica e Holanda formam uma união aduaneira, o Benelux. No ano seguinte, o país abandona a neutralidade, unindo-se à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Cidade de  Luxemburgo, a Capital
Cidade de  Luxemburgo, a Capital
Reforma financeira - Jean-Claude Juncker, do Partido Cristão Social (PCS), torna-se primeiro-ministro em 1995. Sob pressão da UE, em 1997 o país faz reformas em seu sistema financeiro, acusado de favorecer a lavagem de dinheiro. O partido de Juncker vence as eleições gerais de 1999, e ele permanece no poder. O grão-duque Jean D’Aviano abdica em 2000 em favor de seu filho Henri. No mesmo ano, a Câmara dos Deputados aprova mudanças na legislação financeira que afrouxam o sigilo bancário.

Nas eleições de junho de 2004, o PCS conquista 24 das 60 cadeiras, cinco a mais que no pleito anterior. O Partido Operário Socialista Luxemburguês (POSL) elege 14 parlamentares, e o Partido Democrático (PD), dez. Jean-Claude Juncker mantém-se como primeiro-ministro, numa nova coalizão governamental que reúne PCS e POSL.

Fonte: http://www-geografia.blogspot.com.br/