Rio Congo na África Central

Rio Congo na África Central

Rio Congo na África CentralNo centro da África, formando centenas de quilômetros de corredeiras e dezenas de cataratas gigantescas, encontra-se o Congo, um dos mais longos e caudalosos rios do planeta.

O rio Congo ou Zaire banha a África equatorial e desemboca no oceano Atlântico. Com 4.700km de percurso, é o rio mais extenso da África depois do Nilo. Seu caudal médio é de 41.000m3 por segundo. A bacia abrange uma superfície de 3.457.000km2, só superada no mundo pela do Amazonas. A zona drenada por esse rio compreende a República do Congo, a maior parte da República Democrática do Congo, o oeste de Zâmbia, o norte de Angola, grande parte da República Centro-Africana e setores do Camarões e da Tanzânia.

O Congo nasce no Zaire, no sul da região de Shaba, perto da fronteira com Zâmbia, mas sua fonte mais remota é o rio Chambezi, entre os lagos Niassa e Tanganica, em Zâmbia. No trecho inicial, até a linha do equador, recebe o nome de Lualaba e ruma para o norte. Forma monumentais corredeiras e cataratas (Nzilo, Konde, Stanley) e atravessa os lagos de Upemba e Kisale. Nessa parte do percurso, recebe as águas dos rios Luvua e Lukuga.

A partir das cataratas Stanley, junto à cidade de Kisangani, já conhecido como rio Congo, penetra na bacia congolesa, traçando um grande arco na direção oeste. Nesse trecho, alarga-se e se divide em muitos braços, formando ilhas aluviais e zonas pantanosas e lacustres. Entre Kisangani e a lagoa Malebo (Stanley Pool) é navegável e recebe seus afluentes mais caudalosos: Ruki, Kasai, Ubangui e Sanga. A jusante da lagoa Malebo, estreita-se e, com muitas corredeiras e quedas (cataratas Livingstone), transpõe os maciços costeiros que fecham a bacia, até chegar a Matadi, onde volta a alargar-se e aprofundar seu leito. Desemboca num grande estuário entre a República Democrática do Congo e Angola.

O regime fluvial do Congo caracteriza-se pela regularidade, já que os meses de estiagem dos afluentes do hemisfério sul (Ruki e Kasai) são compensados pelas cheias dos afluentes do hemisfério norte (Ubangui) e vice-versa. A bacia do Congo é ocupada por um cinturão de selvas equatoriais que se estende desde os 4o de latitude norte até os 5o de latitude sul. A fauna do rio é muito rica, sobretudo em peixes, mas são também muito característicos os crocodilos, as tartarugas, as serpentes aquáticas, os hipopótamos, os peixes-boi e numerosas espécies de aves que fazem ninho nas margens.

O Congo é uma das grandes vias de comunicação da África equatorial. De Kisangani até a foz, esse rio e seus afluentes oferecem uma rede navegável de aproximadamente 14.500km.



www.klimanaturali.org