Suécia, Aspectos Gerais da Suécia

Tags

SUÉCIA - ASPECTOS GEOGRÁFICOS E SOCIAIS DA SUÉCIAGeografia – Área: 449.964 km². Hora local: +4h. Clima: temperado frio (maior parte) e subpolar (N). Capital: Estocolmo. Cidades: Estocolmo (770.000), Göteborg (480.000), Malmö (270.000), Uppsala (182.000), Lidköping (140.000) (2016).

População – 8,9 milhões (2016); nacionalidade: sueca; composição: suecos 92%, finlandeses e lapões 8%. Idiomas: sueco (oficial), finlandês, lapão. Religião: cristianismo 67,9% (protestantes 94,5%, outros 5,3% - dupla filiação 4,4%, desfiliados 27,5%), sem religião 17,5%, ateísmo 11,9%, outras 2,8%. Moeda: coroa sueca.

Relações Exteriores – Organizações: Banco Mundial, FMI, OCDE, OMC, ONU, UE. Embaixada: Tel. (61) 443-1444, fax (61) 443-1187 – Brasília (DF); e-mail: swebra@opengate.com.br.

Governo – Monarquia parlamentarista. Div. administrativa: 21 condados subdivididos em distritos municipais. Chefe de Estado: rei Carl XVI Gustaf (desde 1973). Partidos: Trabalhista Social-Democrático (SdAP), da Coalizão Moderada (MSP), Popular Liberal (FP), Democrata-Cristão (Kd), da Esquerda (Vp), Verde (MpG). Legislativo: unicameral – Riksdag (Parlamento), com 349 membros. Constituição: 1975.

Situada no norte da Europa, a Suécia é a maior e mais populosa nação da península Escandinava. O país tem perto de 100 mil lagos. A oeste, a cadeia montanhosa dos Alpes Escandinavos o separa da Noruega. Recifes e fiordes (golfos estreitos cercados por montanhas) caracterizam a costa sudeste. Sua próspera economia tem como destaques as indústrias de papel, veículos e produtos químicos. Setores de alta tecnologia, como telefonia, estão em desenvolvimento. Impostos elevados financiam vasto programa social, que assegura aos suecos alto padrão de vida.

História da Suécia

Os suiones, povo escandinavo que habitava a região do lago Mälarem (sudeste da atual Suécia), criam um Estado no século I a.C. Por volta do século VI, conquistam regiões vizinhas, ocupadas pelos godos. No período viking (do século IX ao XIII), estendem sua influência pela Rússia até o mar Negro e unem-se a dinamarqueses e noruegueses em incursões pela Europa Ocidental. O cristianismo é introduzido no século IX. Entre 1150 e 1160, Eric IX elimina os outros cultos do país e lança uma cruzada contra os não-cristãos da Finlândia, anexando-a ao Reino da Suécia. Em 1319, Suécia e Noruega são unificadas pelo rei sueco Magnus VII, que herdara também o trono norueguês.

Bandeira da SuéciaGuerras e conquistas – Em 1389, a rainha Marghrete, que governava a Dinamarca, a Noruega e a Islândia, assume o trono sueco. Tal ligação é referendada em 1397 pela União de Kalmar. O objetivo é enfrentar a Liga Hanseática, organização mercantil germânica. O reinado de Gustavo I, de 1523 a 1560, é marcado pelo fim da união com os países vizinhos, pelo rompimento com a Igreja Católica e pela formação da Igreja Luterana sueca. A monarquia passa a ser hereditária. No reinado de Gustavo II, entre 1611 e 1632, a Suécia expande o território em guerras contra Rússia, Polônia e Áustria.

Reformas sociais – Entre 1805 e 1809, a Suécia participa da aliança contra Napoleão Bonaparte e perde o restante de seus territórios alemães para a França e a Finlândia para a Rússia. O rei Gustavo IV é derrubado e estabelece-se uma monarquia constitucional. Em sua última grande guerra (1813/1814), o país se volta novamente contra Napoleão. Em 1814, a Dinamarca cede a Noruega à Suécia. Ao subir ao trono, em 1818, Carlos XIV dirige a nação com uma política de neutralidade. A união com a Noruega é desfeita em 1905. Em 1917, um ministério de coalizão entre liberais e social-democratas assume o poder e inicia reformas sociais, como a redução da jornada de trabalho para oito horas diárias e a extensão do sufrágio universal às mulheres.

Estocolmo, Capital da Suécia
Estocolmo, Capital da Suécia
Austeridade – O Partido Trabalhista Social Democrático (SdAP) permanece no governo quase ininterruptamente de 1932 a 1976. Em 1982, liderado por Olof Palme, volta ao poder. Palme é assassinado em 1986 e sucedido por Ingvar Carlsson, também do SdAP. Nas eleições gerais de 1991, uma coalizão conservadora, chefiada por Carl Bildt, assume o governo. Bildt reduz impostos e gastos públicos, privatiza estatais e defende a entrada da Suécia na União Europeia (UE). Em 1994, eleições gerais recolocam os social-democratas no poder, com Carlsson como primeiro-ministro. Em novembro, uma estreita maioria de 52,2% aprova em plebiscito o ingresso do país na UE em 1995. O novo governo adota um plano de austeridade para reduzir o déficit orçamentário e adaptar-se às diretrizes do bloco europeu. Em 1996, Carlsson renuncia e é sucedido por Göran Persson (SdAP).

Crescimento econômico – O Produto Interno Bruto (PIB) sueco registra crescimento médio de 2,5% ao ano entre 1995 e 1999, um dos mais altos da Europa. O corte de benefícios sociais, entretanto, causa insatisfação popular. Nas eleições gerais de 1998, os social-democratas vencem, mas obtêm a pior votação em 70 anos: 36,6%. O partido continua no governo com o apoio do Partido Verde (MpG) e o da Esquerda (Vp). Em 1999, a Suécia não adere ao euro, a moeda da UE, por causa da forte oposição nacional. A população teme que a nova moeda prejudique a economia sueca, em fase de expansão graças ao setor de alta tecnologia.

Nas eleições de 2002, o SdAP obtém 39,8% dos votos, ficando com 144 das 349 cadeiras do Parlamento. Em setembro de 2003, é assassinada a ministra das Relações Exteriores, Anna Lindh. Três dias depois, 56,1% dos eleitores rejeitam, em referendo, a adesão ao euro. O assassino da ministra é condenado em março de 2004 à prisão perpétua. Em dezembro, pelo menos 52 turistas suecos morrem na Tailândia em virtude do tsunami. Há também 600 desaparecidos, o que faz da Suécia o país europeu com o maior número de vítimas do maremoto.

Ytterby, Vila Suécia Próximo a Vaxholm

Ytterby, Vila Suécia Próximo a Vaxholm

Ytterby é uma vila próxima de Vaxholm, na Suécia. Há uma mina em Ytterby onde minerais incomuns foram descobertos. Estes minerais permitiram a descoberta dos seguintes novos elementos químicos: érbio , térbio, Itérbio e Ítrio, todos nomeados em homenagem ao vilarejo.

A Suécia, e mais especificamente a vila de Ytterby, no arquipélago de Estocolmo , teve um papel importante na história dos elementos terras raras, já que muitos deles foram descobertos lá: o gadolínio ( nomeado em homenagem ao professor Johan Gadolin ), hólmio ( nome latino de Estocolmo ) , túlio ( de "Thule", nome antigo para os paises nórdicos ) e, naturalmente, térbio, érbio . ítrio e itérbio nomeados em homenagem a Ytterby.

Ilhas da Suécia

Ilhas da Suécia

Ordenadas por tamanho:
Gotland, 2994 km²
Öland, 1347 km²
Orust, 346 km²
Hisingen, 199 km²
Värmdö, 181 km²
Tjörn, 148 km²
Väddö och Björkö, 128 km²
Fårö, 113 km²
Selaön, 95 km²
Gräsö, 93 km²
Svartsjölandet, 82 km²
Hertsön, 73 km²
Alnön, 68 km²
Ekerö och Munsö, 68 km²
Tosterön-Aspön, 66 km²
Ingarö, 63 km²
Ljusterö, 62 km²
Torsö, 62 km²
Ammerön, 60 km²
Kållandsö, 57 km²

Outras ilhas conhecidas
Adelsö
Björkö (Birka)
Frösön
Gotska Sandön
Helgö
Lidingö
Mjältön
Stora Karlsö
Hven
Visingsö

Alfred NobelAlfred Nobel

Alfred Bernhard Nobel nasceu em Estocolmo, Suécia, em 21 de outubro de 1833. Fez seus primeiros estudos em Estocolmo e na cidade russa de São Petersburgo, onde o pai, engenheiro, instalou uma fábrica de nitroglicerina. Aos 16 anos já era químico competente e falava fluentemente inglês, francês, alemão e russo, além de sueco. Completou a especialização em química na França e depois trabalhou nos Estados Unidos, sob a direção de John Ericsson, que construiu a belonave blindada Monitor. De volta a São Petersburgo, trabalhou na fábrica do pai, onde tentou aperfeiçoar a nitroglicerina líquida, inventada em 1846 pelo italiano Ascanio Sobrero.

Inventor da dinamite, da gelatina explosiva e de outros detonantes, Nobel ficou famoso ao criar o mais importante prêmio do mundo, concedido anualmente a personalidades que hajam contribuído para a paz e para o progresso de diversos ramos do saber.

Após a falência do estabelecimento do pai, em 1859, Alfred Nobel regressou à Suécia e trabalhou na fabricação de explosivos à base de nitroglicerina líquida. Um acidente com a substância provocou a morte de seu irmão caçula, Emil. Proibido pelo governo de reconstruir a fábrica e estigmatizado como "cientista louco", Nobel continuou a pesquisar a maneira de minimizar o perigo de manusear a nitroglicerina, o que conseguiu ao misturá-la com um material inerte e absorvente. Pôde então aperfeiçoar a dinamite e o detonador e desenvolver um explosivo mais poderoso, a nitroglicerina gelatinizada.

Nobel acumulou grande fortuna com suas patentes e com a exploração de poços petrolíferos na Rússia. Sem filhos e abalado com a utilização de seus inventos para fins bélicos, legou seus bens a uma fundação encarregada de premiar aqueles que se destacassem por sua contribuição para o bem de humanidade. Alfred Nobel morreu em San Remo, Itália, em 10 de dezembro de 1896.
Dinastia Vasa

Dinastia Vasa

A dinastia Vasa foi fundada pelo sueco Gustavo Erikssen Vasa (ou Wasa). Descendente de uma família nobre, Gustavo foi feito prisioneiro em 1519 e levado como refém para a Dinamarca. Fugiu para Lübeck e no ano seguinte, já na Suécia, soube da morte do pai e do cunhado num massacre. À frente de um exército de camponeses, chefiou uma rebelião e se tornou regente da Suécia em 1521. Dois anos depois foi proclamado rei por uma assembléia reunida em Strangnas. Fundador do estado sueco, Gustavo I adotou o luteranismo como religião oficial.

A dinastia Vasa reinou na Suécia até 1654 e na Polônia até 1668, com a renúncia de João Casimir Vasa, filho de Sigismundo III.

Seu primogênito, Henrique (Erik) XIV, que lhe sucedeu em 1560, obteve êxitos na guerra contra a Dinamarca, mas se tornou impopular: foi destronado pelos irmãos, João e Carlos, aliados aos nobres, e morreu na prisão. João III, sucessor de Henrique, pôs fim ao conflito com a Dinamarca em 1570 e tomou a Estônia e a Narva à Rússia, com a qual entrara em guerra. Sigismundo III, filho de João III, aderiu ao catolicismo e se tornou rei da Polônia em 1587. Com a morte do pai, Sigismundo III assumiu também o reino da Suécia em 1592, mas foi forçado a voltar para a Polônia em razão do litígio religioso que se seguiu. Em 1599, o Parlamento destronou-o do reino sueco e entregou o poder a seu tio, coroado em 1607, com o nome de Carlos IX.

Gustavo II Adolfo, filho de Carlos IX, fez a paz com a Dinamarca e a Rússia e, após breve armistício, prosseguiu a guerra contra a Polônia. Na guerra dos trinta anos, apoiou os protestantes e obteve vitórias que o levaram até Munique, mas morreu na batalha de Lützen, em 1632. Cristina, sua filha, foi proclamada rainha, sob a regência de Axel Oxenstjerna. Católica, alcançou a maioridade em 1644 e dez anos depois renunciou ao trono. Extinguiu-se com ela a dinastia Vasa na Suécia.
http://www-geografia.blogspot.com.br/